Dia 10,11, 12 e 13: Emoções, sorrisos, gratidão, amizades e muita alegria!

Dia 10,11, 12 e 13: Emoções, sorrisos, gratidão, amizades e muita alegria!

Dia 10,11, 12 e 13: Emoções, sorrisos, gratidão, amizades e muita alegria!

Dia 10

Hoje foi uma nova manhã cheia de atividades.

PROGRAMA – Caminhar pela floresta antes do nascer do sol e sentir o som meditativo da variedade de pássaros.
6h30 – Yoga ao nascer do Sol orientada por uma querida e doce amiga Indiana.
Após o Yoga uns foram ao mar de águas quentes, outros ficaram a contemplar a natureza, para degustarem um variado pequeno almoço. Aí, também encontramos quem decidiu ficar a dormir.
8h00 – Pequeno-almoço no jardim, em comunhão com natureza
9h00 – Saída de oito Tuk-tuks, para uma visita pelas redondezas, sendo a primeira paragem no porto de pesca local, ainda muito tradicional. Visitas às igrejas cristãs, de seguida para o grande templo Hindu, que ao som de mais de 20 mulheres a cantar mantras Hindus foi mágico. De seguida lá fomos como Indianos nos tuk-tuks continuar a viver emoções.

Regressamos para almoçar e carregar as baterias para depois assistir mais logo às 17h ao grande showcooking de comida indiana, consciente e natural com a Chef Daniela Ricardo e o Chef Saru… o dia continua em vivências.

Neste momento alguns estão nas massagens, outros a relaxar, outros em conversa, outros na praia e outros nem imaginamos onde. Aqui existe espaço para cada um apenas ser. O grupo esse todos em plena harmonia e amizade. Sabe bem perceber como grandes novas amizades nascem.

Eu sou isto. Entre o glamour e a simplicidade. Conhecer o país é viver o todo. Nas diversas formas. Espiritualidade para mim está quando sabemos estar nas diversas formas respeitando cada umas delas. O glamour também faz parte da espiritualidade. Quem me conhece sabe como gosto de glamour junto da simplicidade.

Costumo dizer às minhas queridas amigas espirituais, quando me dizem que querem conhecer verdadeiramente um país:  junta todos os ingredientes, todos fazem parte da vivência.

Tal como nós quando mostramos o nosso querido Portugal a amigo de fora, vamos viver o glamour e o menos glamouroso dos locais, sempre com alma também. Ambos são complementares, para mostrar o real do nosso país.

Assim vejo também os outros países. Os dois mundos com diversos ingredientes fazem ter a noção do todo. Assim lhes chamo viagens com alma.

As várias vivências que já sentimos ao longo desta viagem são impressionantes. Alimentação é algo que nos fascina e que inspirou o livro de grande sucesso, «Viagens da Comida Saudável» da Daniela. Sendo assim não podíamos deixar de mostrar a forma como a Daniela entrou pelas cozinhas do mundo e foi-se inspirando. Ontem brindamos os viajantes com uma Palestra showcooking pelo mundo e desta vez na Índia Sul. Assim sente um pouco dessa magia de sabores. Vamos ter também Palestras showcooking no Butão e depois no Nepal com os próximos grupos já em março.

Assim começa o ciclo de partilhas pelas cozinhas do mundo nas suas comidas com uma orientação da Chef Dani. Ontem o local escolhido foi o nosso Eco-Nature, local onde estamos a viver estes últimos dias. Assim começou mais um belo momento: o showcooking de comida indiana, consciente e natural, com a Daniela Ricardo (aBiofamily) e com o chef Sanish e os seus cozinheiros ajudantes foi um sucesso.

Fizemos dois pratos vegan típico. Um foi uma Masala suave de vegetais (couve flor, cenoura e feijão verde) e o outro, um salteado com côco e «Lady fingers» (quiabos). Ambos estavam excelentes. Durante o showcooking a Daniela fez a ligação com o nosso país e quais as alterações a fazer para as receitas serem mais locais e sazonais.

No final nada melhor do que um banho nas águas quentes do Oceano Índico, enquanto apreciamos o pôr-do-sol. Este mar é incrível e com um sol a cair na água como uma bola de fogo. Sabem bem estas águas quentes e sentir bem esta magia.

Estamos maravilhados pela união total do grupo que continuam a fluir e a sorrir em plena gratidão da dádiva de estarmos a fazer esta viagem todos juntos.

Ainda temos mais surpresas para o dia seguinte. Estamos em pulgas para as viver e ver o brilhar dos amigos viajantes com o carinho sempre deste povo.

– Dia 11

As emoções estão ao rubro. Sabe bem sentir tanto carinho e amor entre todos nós e gentes locais. O grupo, neste último dia, está fantástico e cheio de harmonia e carinho entre todos. Cada um vivenciando a sua liberdade pessoal e respeitando a de todos os outros. Sabe bem sentir isso mesmo. Esta foi uma genial viagem de partilha e gratidão, cheia de vivências e aprendizagens.

O povo desta terra acarinha-nos com cada olhar e sorriso. A Índia Sul é isto, quando nos permitimos entranhar com as suas gentes. Seja qual for o local onde vamos, somos sempre recebidos com muito amor, autenticidade e simplicidade. Estamos muitos gratos por todo o acolhimento. Hoje, mais uma vez, uns acordaram com meditação ao sons dos pássaros e Yoga. Outros com um mergulho neste mar quente. Outros preferiram continuar a dormir. Outros foram caminhar na natureza. Assim é o exercício da liberdade individual de cada um, na sua autenticidade.

Durante a viagem não podia deixar de visitar uma escola local e fazer trabalho de ajuda. As crianças são sempre as crianças. Em tantos outros projectos, noutros países tiveram a minha atenção, também aqui não foi diferente. Sabe bem ver todo o carinho que recebemos e espontaneidade delas e de toda a escola. Uma ternura. Cantamos para elas e elas para nós, a partir daí não existem palavras para descrever a experiência.

O dia continuou e entre banhos, massagens, partilhas, conversas, sorrisos, por do Sol tivemos ainda tempo para quem quis de assistir a uma missa cristã em hindu. Encantador a música durante a missa e a cor com este povo a fazer do momento algo leve e intenso.  Obrigado por tantas vivências para podermos em viagem sentir cada momento. Assim são as viagens com Alma da Zen family, onde de dentro para fora o nosso ser vive na autenticidade.

 

– Dia 12 e 13

Emoções, sorrisos, gratidão, amizades e muita alegria. Assim chega o final da viagem. Os amigos viajantes voltam para o nosso querido Portugal e nós cá continuamos de coração cheio. Dia 1 de março partimos para o Butão.

Ontem, chegou o dia em que todos sentimos um aperto na garganta. Uma mistura de alegria e tristeza, com as emoções ao rubro. Uma viagem genial pela Índia Sul aconteceu, todos nós estivemos ligados com muito carinho, amor e respeito. Depois das vivências e partilhas emocionantes no meio da floresta, em que a noite nos acolheu, lá veio o dia seguinte e a hora de dizer um até já.

Sim, digo um até já, porque sabemos que criamos relações de amizade. Os amigos esse dizemos até já. Hoje acordamos e sentimos o vazio dos Tugas que enchiam a casa, mas com o sentimento de missão cumprida.  Nesta viagem com alma, da Zen family e a aBiofamily, as vivências da Índia Sul foram incríveis e com muita variedade.

Cultura, vivências com o povo na sua humildade, aldeias, passeios pela natureza com identificação de especiarias, dança, escolas, ajudas aos povos e escolas, vila piscatórias, passeios nas montanhas de chás e visita aos seus museus, nascer e por do sol em praia, montanha e floresta, safari de jipes e de barco para sentir a vida selvagem, wks de alimentação consciente e natural com comida indiana, yoga, meditação, partilhas, palestras de desenvolvimento pessoal, igrejas, templos, andar nos tuk-tuks, dormida em house boats nos arrozais de KERALA, massagens, interligação com a cultura, gastronomia variada da zona de Kerala onde a nossa chef Daniela Ricardo (autora dos livros: «Viagens da Comida Saudável» e «Cozinhar com Amor») fez as suas escolhas, hotéis cheios de glamour integrados na natureza, assim como missa cristã em dialecto local, templos Hindus com os ritos e mantras, onde percebemos as várias religiões e o respeito que existe entre elas nesta Índia Sul e outras tantas vivências…

Sinto-me feliz, porque para mim um país mostra-se num todo. O glamour com humanismo pode ser vivido, assim como os locais simples que visitamos cheios de autenticidade, simplicidade e humanismo. Os dois mundos dão a realidade do todo. Tudo é Índia.

Hoje, continuamos aqui animados e a mimar-nos, sentindo as gentes e as vivência locais. O nascer do sol foi acompanhado por uma aula de Yoga e meditação na natureza. Seguida de uma caminhada na praia e ver toda uma vida de pescadores na sua arte artesanal.

O SPA esse para fazer a nossa Ayurvedica com os óleos a escorregar pela testa e corpo entranhando a alma será a cereja no topo do bolo. «Shiro» significa «cabeça» e «dhara» é o fluxo contínuo de óleo medicinal. Shirodhara também pode ser feito com outros ingredientes como, leite. Shirodhara é um sistema de cura antiga da Ayurveda e uma terapia extremamente relaxante que consiste em derramar um fluxo de óleo medicinal aquecido constantemente na cabeça e corpo.

Já está marcado para daqui a pouco. Mimar os outros só faz sentido quando sabemos mimar-mos o nosso ser. Os amigos viajantes já devem estar a chegar a PORTUGAL e nós cheios de saudades, mas felizes. Obrigado Alexandre Saldanha da Gama, obrigado Daniela Ricardo, obrigado a todos, um por um de cada viajante que se aventurou. Obrigado as todos que nos seguiram e muito carinho nos enviaram aí do outro lado do mundo. Obrigado a mim, por ser louco o suficiente para andar ao longo destes 20 a levar aventureiros pelo mundo.

– Diário de Bordo –  Índia Sul DELUXE – Sol, Silêncio e ser – REGRESSO A CASA DOS VIAJANTES

Sabe bem aqui pelas Índias sentir que tudo chegou bem e em festa a Portugal. Ninguém os segura nos aviões de regresso a Portugal e aeroportos como crianças adultas deixam alegria por onde passam. Depois de cuidar durante 13 dias todos este amigos viajantes pela Índia Sul agora sinto como eles também cuidaram de mim e tanto carinho foram trocando e amizades novas que surgem entre todos.

Um grupo de 22 viajantes coesos e a viver na sua autenticidade com muito amor, partilha, carinho, respeito e muito mais… Obrigado a todos por mostrarem como foi o vosso regresso a Portugal de alma cheia. Eu continuarei aqui pelas índias cheio de saudades vossas e já com uma vontade de mostrar o Butão ao outro grupo que virá. Sabe bem fazer o que se ama. Eu adoro o meu trabalho e com muita paixão continuo a vivê-lo e a partilhar com o mundo.
Sempre a fluir e a sorrir
– Luís Baião, in Inspiração –

Compartilhe o artigo

Top