página anterior
página seguinte
Sicília .. O eterno jardim do Mediterrâneo
Catedral de Palermo

Visitar a Sicília é descobrir uma Itália completamente diferente, mas bem menos italiana. É descobrir a ilha da cultura, das procissões, belas praias, ruínas, montanhas e o maior vulcão ativo da Europa, mas sempre com os cheiros das laranjeiras, dos limões e das tangerinas...

Entre os mares do Mediterrâneo, Ionian e Tyrrhenian, surge a Sicília, uma ilha invadida durante séculos por gregos, romanos, normandos, cartagineses, árabes e espanhóis e que desempenhou um papel muito importante na História da república, tendo sido, durante muitos anos, o principal ponto de comércio na época. A Sicília nem parece ser uma das regiões italianas, tamanha é a sua mistura de raças, costumes e cores. Talvez por isso, os seus habitantes se dizem primeiro sicilianos e depois italianos.

A capital, Palermo, é uma cidade de contrastes. A sua herança monumental possui mais de 50 palácios e 80 igrejas em estilos diferentes. Palermo está dividida em quatro partes pelo cruzamento das ruas Maqueda e Vittorio Emanuele, que pode ser ponto de partida para começar a visita. Em todos os locais prolifera o estilo barroco, memória do último esplendor Bourbon da cidade, que tem a sua representação na igreja de Gesú, a de San Domenico e as fontes de Quattro Canti.

Outros locais interessantes da Sicília são Agrigento, com as suas imponentes ruínas gregas à beira do mar, e Messina, primeiro porto da Sicília, com a igreja Della Annunzuata dei Catalani e Santa Caterina Valverde, sem esquecer Siracusa, com as ruínas da antiga Neapolis e Catania, onde se pode ver um teatro romano e um Duomo. De Taormina é possível fazer excursões para o lendário vulcão Etna, uma das mais impressionantes paisagens naturais da ilha.

Cefalè, Sicília
A Sicília é a principal ilha do mar Mediterrâneo. As suas águas mornas e o clima temperado são características ideais para umas férias de sonho

Diferente e pouco italiana

Visitar a Sicília é descobrir uma Itália completamente diferente e pouco italiana. Com a mistura de culturas, a região tornou-se um ponto interessantíssimo, com cores, aromas e sabores diferentes do resto da Itália. Aqui, as escolas de arte e literatura misturam-se e as marcas da sua arquitetura encontram-se nos prédios, escolas, igrejas, museus e monumentos. Através dos caminhos estreitos, das pontes românticas e da gritaria dos mercados de rua percebe-se a riqueza e o encanto que a Sicília guarda em cada cidade, em cada cantinho, em cada siciliano.

A ilha é composta por nove províncias: Palermo (a capital), Catania, Siracusa, Agrigento e Taormina, muito conhecidas e procuradas pelos turistas, Caltanissetta, Enna, Messina, Ragusa e Trapani. A beleza das cidades da Sicília é impressionante, assim como o grande número de habitantes e de lugares para se visitar.

Messina
Siracusa
Enna
Ragusa
Trapani

Não deixe de conhecer

Há quem diga que a Sicília é um museu ao ar livre, como ocorre nas regiões de Agrigento e Palermo. Só de sítios arqueológicos, são mais de 260 catalogados, entre conjuntos de templos, anfiteatros gregos, fortalezas, torres, igrejas, palácios… Está tudo ali, lado a lado, um pouco de todos os povos e culturas que passaram pela ilha ao longo de séculos. A emoldurar esse cenário temos um mar cristalino de águas mornas e límpidas.

Vulcão Etna
É o mais alto da Europa e um dos mais altos do Mundo, mas a sua altura pode variar devido às frequentes erupções – é um dos mais ativos vulcões da Terra e está praticamente em constante erupção. Ocasionalmente pode ser bastante destrutivo, mas, normalmente, as erupções não oferecem grandes riscos à população, que vive nas localidades próximas.

Catania
É a cidade mais ligada ao Etna e muitas das suas construções foram feitas com a lava negra do vulcão. Por essa mesma proximidade, a cidade foi destruída muitas vezes – a maior parte de seu contorno atual pertence ao século XVIII, quando ruas mais largas e construções baixas foram feitas para evitar efeitos de terramotos e diminuir as consequências de uma erupção. Não deixe de visitar, além do Etna, claro, o Mercato della Pescheria, na Via Garibaldi, especialmente animado de manhã, o Teatro Romano, com capacidade original para 7000 pessoas, e o Castello Ursin.

Catania e Vulcão Etna
Vale dos Templos, Agrigento

Vale dos Templos
Conjunto arqueológico situado perto de Agrigento, no sul da Sicília. Agrigento começou a ser construída a partir do ano 580 a. C., no território antes conhecido como Magna Grécia. Todos os templos do vale foram construídos depois dessa data. A “zona arqueológica de Agrigento” foi considerada Património da Humanidade pela Unesco em 1998 e é um dos principais destinos turísticos da ilha.

Compreende uma ampla zona sagrada na parte sul da antiga cidade, onde se construíram, durante os séculos V e VI a. C., sete templos monumentais em estilo dórico. Atualmente escavados e em parte restaurados, constituem parte dos edifícios gregos mais antigos e mais bem conservados fora da Grécia.

Segesta
Aqui encontram-se alguns dos templos helénicos mais importantes do Mundo devido ao seu ótimo estado de conservação, além de um teatro com capacidade para 3000 pessoas também muito bem conservado.

Cefalù
É outra cidade histórica, toda murada e debruçada sobre o mar. Antiga vila de pescadores, hoje, é um dos locais mais chiques da Sicília e, juntamente com a igualmente bela Taormina, disputa a preferência dos turistas.

Taormina
É o mais famoso centro turístico da Sicília, perfeito para se familiarizar com o povo, a culinária e a cultura siciliana.

Cefalù

Palermo

Capital e maior cidade da Sicília, Palermo está localizada na costa norte da ilha. É a quinta cidade com mais população da Itália e o principal centro cultural, histórico e económico.

Saiba mais sobre Palermo!

Guia do Viajante

ver mapa maior

Sicília

onde ficar

Hotel Villa Ducale
Taormina

La Rosa dei Venti
Lampedusa

Hotel Novecento
Scicli

Hotel Borgo Pantano
Siracusa

Hotel Villa Carlotta
Taormina

Hotel Piccolo Mondo
San Vito lo Capo

Panoramic Hotel
Taormina

Geco Resort
Favignana

Hotel Cavalieri
Siracusa

Hotel Feudo Vagliasindi
Randazzo

Hotel Taodomus
Taormina

Cas’almare
Favignana

Hotel Mamma Santina
Santa Marina Salina

rica gastronomia

A Sicília é a terra de contrastes e cores, com uma cultura gastronómica das mais ricas da Itália, fruto de uma História intensa e de um passado que tem as suas raízes em épocas muito remotas. A cozinha é caracterizada por pouca carne vermelha e muitos peixes – como o atum e o espada –, além de frutos do mar, legumes e verduras. É a terra do famoso vinho doce Marsala, que pode ser aperitivo ou a companhia para a sobremesa. Comer e beber na Sicília significa sempre uma viagem pelo tempo e pela cultura de épocas passadas. É uma referência às influências de muitos povos, recebidas desde a Pré-história. Gregos, normandos, bizantinos, árabes, romanos, todos deixaram uma contribuição e ajudaram a compor a forma de viver dos sicilianos, que, no geral, são muito ligados à família e adoram sol e comida. Assim, canela, noz-moscada, açúcar, frutas cítricas, melões, açafrão, pimenta, damascos, tomate e bons vinhos compõem uma parte do elenco gastronómico da ilha e dos arredores.

onde comer

Verona e Bonvegna
Catania

Pasticceria Capriccio
San Vito lo Capo

La Madia
Licata

Villa Antonio
Taormina

Laboratorio Pasticceria Roberto
Taormina

A’Cuncuma Restaurant
Palermo

Regina Lucia
Siracusa

Spizzulio
Agrigento

Sesamo – Ristorante di Campagna
Castiglione di Sicilia

Le Vin de L’assassin Bistrot
Siracusa

Trattoria da Nino
Taormina

Le Lumie Ristorante
Marsala

principais pontos turísticos e culturais

na cidade de Palermo:
Museu de Palermo
Galeria de Arte Moderna Sant’Anna
Museu de Arte Contemporânea da Sicília
Museu Etnográfico Siciliano
Capela Palatina
Horto Botânico de Palermo
Teatro Massimo
Teatro Politeama Garibaldi
Porto Turístico dell’Acquasanta
Igreja de São Giovani de Lebbrosi
Ponte dell’Ammiraglio
Palácio dei Normanni
Praça Vigliena
Basílica La Magione
Igreja de São Domênico
Palácio Scaflani
Praça Pretória

em Agrigento:
Área Arqueológica de Agrigento (Património da Humanidade – UNESCO)

em Siracusa:
Centro Histórico de Siracusa
Necrópole de Pantalica

em Ragusa:
Duomo de San Giorgio
Museu Arqueológico Ibleo
Museu da catedral de São Giovani

passeios que pode fazer

Agrigento é um bom ponto de partida para quem quiser explorar o interior da Sicília. É também daqui que partem passeios de barcos pelas fabulosas ilhas de Pantelleria, mais próxima da Tunísia que da Sicília; Lampedusa, de águas translúcidas, onde vivem tartarugas marinhas; e Linosa, ilha vulcânica de casas coloridas. A terceira opção é sair de Agrigento costeando o litoral e fazendo uma paragem em Licata, cidade com importantes igrejas bizantinas e praias que podem ser aproveitadas no verão. Pare para almoçar em Capo Passero, importante centro pesqueiro (de atum) com uma paisagem singular.

informações

Moeda
Euro

Idioma
Italiano

Documentos
Bilhete de identidade/cartão do cidadão.

Fuso horário
+ 1 hora

clima

Tem um clima mediterrâneo, com verões quentes e secos e invernos suaves e húmidos, com uma temperatura média anual de 24º C.

capital

Palermo.

Texto: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala e Wiki Commons
edição 10 a próxima viagem