página anterior
página seguinte
Pequim - Para ir e voltar muitas vezes

A capital da República Popular da China, Beijing (mais conhecida por nós por Pequim) é um dos destinos mais visitados do Mundo, devido ao seu imenso passado histórico e cultural.

Pequim, oficialmente designada como Beijing (em mandarim, capital do Norte), a segunda maior urbe do país (depois de Xangai), é o centro político, cultural e intelectual da China. Com um passado imenso, encontra-se muito bem representada nas listas do Património Mundial da UNESCO, que integram monumentos incontornáveis, como a Cidade Proibida, a Grande Muralha, o Palácio de Verão ou o Templo do Céu.

Não é por acaso que Pequim é, hoje, um dos destinos mais visitados do Planeta. Afinal, estão lá os principais atrativos turísticos da potência que mais cresce a nível mundial. Uma viagem ao Oriente não é completa sem passar por Beijing, um lugar agora para ir e voltar muitas vezes.

De recordar que Beijing preparou-se de uma forma obsessiva e sistemática para receber os Jogos Olímpicos de 2008, que, além das transformações físicas, o Governo fez um trabalho enorme de consciencialização para a população receber bem os turistas.

estátuas na entrada da Cidade Proibida A Grande Muralha

Desde aí, circular na cidade tornou-se muito mais fácil, as pessoas começaram a falar muito mais inglês, assim como as placas, os sinais e até as ementas dos restaurantes passaram a estar muito mais acessíveis para os visitantes estrangeiros.

Beijing ou Pequim?

Uma das dúvidas mais comuns relacionadas com a China diz respeito à grafia dos nomes das suas principais cidades. Afinal, como se chama a capital da China, Pequim ou Beijing?

De acordo com o professor Cláudio Moreno, o mais correto é manter Pequim, tal como os nossos antepassados portugueses chamavam à cidade, desde o século XVI. E por quê Beijing? Foi a partir de uma iniciativa do próprio Governo da China (através do sistema denominado pinyin), na tentativa de regular a transcrição fonética da língua chinesa para o alfabeto romano.

Funcionou parcialmente, pois a palavra “Beijing” foi adotada pelos países de língua inglesa, como os Estados Unidos e a Inglaterra. Os franceses continuaram a chamar e a escrever Pékin; os italianos mantiveram o Pechino; enquanto os espanhóis optaram por Pekin e os alemães, Peking.

A cidade foi capital do império chinês entre 1421 e 1911 e  foi nessa altura que a dinastia Ming construiu a  Cidade Proibida,
o Templo do Céu e reconstruiu a Praça da Paz Celestial e
a Muralha da China.

Beijing

Onde ir
Estádio Nacional (Bird’s Nest)
Torre CCTV
Grand National Theatre
Bird's Nest Torre CCTV The Egg

Uma construção a apreciar e onde decorreram as principais provas olímpicas, conhecido por Bird’s Nest devido à sua forma a lembrar um ninho.

Uma obra de arte em forma de edifício, que veio alterar a silhueta da cidade. É a sede da televisão do Estado, desenhada por Rem Koolhaas, detentor do mesmo prémio e de cujo curriculum fazem parte desde o projeto da portuense Casa da Música ao Museu Guggenheim de Las Vegas.

National Center for the Performing Arts ou Grand National Theatre mais conhecido como “Ovo”, merece uma visita. Foi concebido pelo arquiteto francês Paul Andreu e fica perto da conhecida e monumental Praça de Tiananmen. É uma estrutura gigantesca de forma oval, acolhe uma sala de ópera com capacidade para 2400 espectadores, uma sala destinada ao teatro e outra a concertos e, ainda, um espaço de exposições.

Cidade Proibida
Terminal 3 do aeroporto
Cidade Proibida Terminal 3

No centro de Beijing, num dos lados da Praça de Tiananmen, a Cidade Proibida é um conjunto monumental incontornável. Residência dos imperadores chineses durante, aproximadamente, cinco séculos, foi convertida em museu e restaurada para os Jogos Olímpicos de 2008. O título de Cidade Proibida surgiu pelo facto de somente o imperador, a sua família e empregados especiais terem autorização para entrar no conjunto de prédios do palácio. Trata-se de uma cidade dentro de outra cidade. O complexo consiste em 980 edifícios sobreviventes, com 8707 secções de salas, e tem cerca 720 000 metros quadrados!

O terceiro com maior tráfego do Mundo, é assinado por uma estrela, sir Norman Foster, já galardoado com um prémio Pritzker, o equivalente ao Nobel da Arquitetura.

Templo do Céu e o Palácio de Verão
Tumbas da dinastia Ming
Templo do Céu e Palácio de Verão Tumbas da Dinastia Ming

São igualmente de visita obrigatória. Nos arredores, surpreende a Grande Muralha da China, construção defensiva cuja origem remonta ao século IV a. C. e que chegou a ter 6300 quilómetros, embora hoje existam “apenas” 2400. Património Mundial desde 1987, é uma das maravilhas do Mundo. Visitá-la pode não ser fácil, pois os degraus são muito íngremes, disformes e, às vezes, muito altos, mas vale o esforço.

Ficam a 50 quilómetros de Beijing, próximas da colina de Tianshou. A construção tem cerca de 40 quilómetros quadrados, demorou 200 anos para ser concluída e tudo foi feito de acordo com as teorias do feng shui. Aqui estão enterrados 13 imperadores da dinastia Ming, cerca de 23 imperatrizes, príncipes, princesas e concubinas que viveram entre o período de 1368 e 1644. Na superfície foram construídos palácios, pavilhões, etc. Cada imperador tem o seu próprio mausoléu e as tumbas contam a história dos 13 imperadores que governaram a China durante 230 anos.

Praça de Tiananmen
Cubo Aquático
Praça Tiananmen Cubo Aquático

Um dos locais mais visitados da cidade, é um grande monumento de Pequim que homenageia o massacre dos estudantes em 1989. Aqui também está enterrado Mao Tsé-Tung.

Situado perto do Bird’s Nest, o National Aquatics Center, vulgarmente designado como Water Cube, foi mais uma das infraestruturas criadas para os Jogos Olímpicos de 2008. Apesar do nome, não se trata de um cubo, mas de uma imensa “caixa” retangular. Há dois anos, serviu de cenário a 25 novos recordes mundiais. Agora, é um dos maiores parques aquáticos da Ásia. Também possui SPA, um restaurante de comida saudável, bar e área comercial.

Conhecer a arte contemporânea

UCCA

Há vários espaços onde pode conhecer a arte contemporânea chinesa, alvo de crescente interesse por parte de colecionadores e especialistas. Um deles é o UCCA, Ullens Center for Contemporary Art, instituição sem fins lucrativos inaugurada em 2007.

Também sem fins lucrativos, o Today Art Museum acolhe uma coleção de cinco mil trabalhos de nomes consagrados e novos valores, além de exposições temporárias. A Galleria Continua, “parente” das congéneres italiana e francesa, é mais uma morada obrigatória, tal como o 798 Art District, área dedicada à cultura, com estúdios de artistas e galerias.

Guia do Viajante

ver mapa maior

Beijing

onde dormir

Fairmont Beijing

Double Happiness Courtyard Hotel

Hilton Beijing Wangfujing

The St. Regis Beijing

The Opposite House

Courtyard 7

Michael’s House

Park Plaza Beijing Wangfujing

Raffles Beijing Hotel

JW Marriott Hotel Beijing

Park Hyatt Beijing

Renaissance Beijing Capital Hotel

Aman at Summer Palace

onde comer

Black Sesame Kitchen

TRB – Temple Restaurant Beijing

Haidilao Hot Pot

The Cut Steakhouse

Jin Ding Xuan Jiulou

Peking Duck Private Kitchen

Najia Xiaoguan

Dadong Roast Duck (Dongsi)

The Moment

In & Out

Dali Courtyard

Taste – The Delights of Yunnan Flavor

Kempinski Deli

melhores locais para compras

Rua Nurenjie, bairro de Chaoyang
Aqui concentram-se alguns do melhores mercados da cidade.

Mercado de Yashou
O melhor lugar para comprar jeans, bolsas e sapatos, tudo devidamente falsificado.

Fashion Mall
Este shopping de seis andares e 300 lojas, de designers modernos chineses e marcas internacionais.

The Place
Um dos shoppings mais modernos da cidade.

curiosidades

No ano de 2008, a cidade de Pequim foi sede dos Jogos Olímpicos.

Beijing é uma das cidades do Mundo que mais utilizam a bicicleta como meio de transporte.

informações

Moeda
Renminbi yuan (CNY)

Idioma
Mandarim (mas pode comunicar em inglês).

Documentos
Passaporte com validade mínima de seis meses e visto de turista.

Fuso horário
+ 8 horas no verão; + 7 horas no inverno.

clima

No verão (entre os meses de julho e agosto), as temperaturas médias superam os 30º C. No inverno (de novembro a fevereiro) os termómetros podem descer para - 10º C.

segurança

Em zonas muito turísticas deve estar atento a carteiristas, como noutros pontos do Mundo.

gorjetas

Dar gorjetas não é comum na China e também não é esperada. Apenas recentemente o serviço (entre 12 e 15 por cento) passou a ser incluído na conta de restaurantes de hotéis.

 

Texto: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala, Wiki Commons e Flickr
edição 11 a próxima viagem