página anterior
página seguinte

Capital do Japão, Tóquio é conhecida internacionalmente pela surpreendente associação entre tradição e modernidade que caracterizam esta extensa metrópole. Arranha-céus convivem com antigos santuários xintoístas e templos budistas.

Esta cidade abriu as suas portas ao mundo em 1868 e, desde aí, da arquitetura à moda, da comida à música ou ao desporto, a metrópole com mais população do Planeta tem absorvido influências, dando-lhes o seu toque nipónico.

Edo (antigo nome da cidade) nasceu em 1457, quando Ota Dokan se instalou no local onde é hoje o Palácio Imperial. Quando o shogun decidiu governar daqui, o seu castelo tornou-se o centro da cidade. A região de Marunouchi foi criada quando ele decretou que todos os daimyo (senhores feudais) deveriam viver em Edo durante metade do ano. Depois da cidade ganhar vida própria, a área do castelo encolheu e o palácio ficou isolado. Até hoje, o Palácio Imperial e o Marunouchi continuam a ser o centro de Tóquio em diversas ocasiões.

Nijubashi Palácio Imperial

Atualmente com um ritmo alucinante e densamente povoada, Tóquio absorveu por inteiro a cultura consumista ocidental e deu-lhe uma dimensão própria. A população jovem, completamente rendida às regras da moda, desfila pelas cintilantes e sobrelotadas ruas como que “fardada” com as últimas criações dos estilistas e equipada com as mais recentes novidades tecnológicas.

Tóquio é o principal centro político, financeiro, comercial, educacional e cultural do Japão. Possui a maior concentração de sedes de empresas comerciais, instituições de ensino superior, teatros e outros estabelecimentos comerciais e culturais do país, assim como um sistema de transporte público altamente desenvolvido, com numerosas linhas de comboios, metros e autocarros, bem como o aeroporto internacional. Além disso, a cidade continua a encantar pelo seu estilo zen, gastronomia, centro de compras e a rica oferta de entretenimento para todos os gostos

Asakusa: A Tóquio antiga

Asakusa, a Tóquio antiga

Famosa por albergar o templo mais antigo de Tóquio, durante dois séculos a região foi mais conhecida como um animado e indecoroso bairro de entretenimento, onde se localizavam os cinemas, os teatros populares, as casas de jogo e de dançarinas. Muitos desses estabelecimentos desapareceram, mas Asakusa continua a ser uma zona diferente e charmosa. A região é plana, boa para andar a pé – um dia passado ali é muito agradável, mas aos fins de semana recebe um mar de gente. Veja o que pode conhecer nesta zona:

laterna gigante em Kaminarimon

O Kaminarimon é um portão de oito pilares, emoldurado pelos deuses do Vento e do Trovão e uma lanterna de quatro metros de altura. Tem menos de 50 anos e foi um presente de Konosuke Matsushita, fundador da Panasonic, para substituir um portão construído em 942, frequentemente destruído (incendiado pela última vez em 1945). O Kaminarimon marca o início da Nakamise Dori, uma imensa fila de lojinhas, a maioria de lembranças.

Gojuno-to

O templo Asakusa Kannon existe desde 628, mas o prédio foi destruído e reconstruído inúmeras vezes, a última depois da II Guerra Mundial. É conhecido por guardar uma pequena estátua de ouro do bodisatva Kannon. Acredita-se que a mesma tenha sido encontrada por dois pescadores no rio Sumida. Antes de entrar no templo, “purifique-se” lavando as mãos e passando incenso pelo corpo. Depois, suba as escadas e balance a corda para tocar o sino (que alerta os deuses para a sua presença), atire cinco ienes no saisen bako – uma caixa –, depois bata palmas duas vezes (só para se assegurar de que os deuses estão realmente a prestar atenção) e reze.

O Gojuno-to é um pagode de cinco andares construído em 1973 e que só pode ser visto do lado de fora. Agora, é hora de diversão.

O Hanayashiki é o mais antigo parque de diversões do Japão, com uma montanha-russa construída em 1953. Tem brincadeiras, refeições e atividades para todas as idades.

O Edo-Shitamachi Traditional Crafts Museum é um museu que foi aberto em 1996, não apenas para mostrar o trabalho dos artesãos locais, mas também como as suas peças são criadas. Um lugar curioso, que recria a vida no centro de Tóquio do século XIX.

Tóquio Honganji é o templo escondido de Asakusa, tendo sido construído em 1953. Foi queimado, ou severamente atingido, 11 vezes entre 1612 e 1945.

No rio Sumida veja a carismática ponte Azuma e, do outro lado do rio, o excêntrico Flamme d’Or – um prédio negro e sem janelas, com uma escultura em ouro gigante no topo que é conhecida como “cocó de ouro”, do designer francês Philippe Starck.

Flamme d'Or

Onde ir

Fazer turismo em Tóquio é um pouco diferente de outras cidades do Mundo. O motivo é simples: parece não haver muitos pontos turísticos a serem visitados. Destruída primeiro por um terramoto, em 1923, e depois pelos bombardeios da II Guerra Mundial, a capital japonesa tem-se reconstruído repetidas vezes. Então, o que se pode ver numa cidade que apaga o seu passado continuamente?

Pode ser a oportunidade de apreciar o verdadeiro charme de Tóquio – as infinitas variedades e invenções humanas que preenchem cada canto, cada fresta. Basta andar pelas ruas para descobrir maneiras totalmente novas que os habitantes inventam para morarem, amarem, comerem, dormirem e se divertirem. Se se perder, não se preocupe. Com as baixas taxas de violência urbana e o melhor transporte público do Mundo, dificilmente terá problemas. E estará sempre perto de uma linha de comboio, que o levará direto
para o hotel.

Megacomplexos e Museus

Os megacomplexos multiusos espalhados pela cidade têm sempre uma galeria ou um museu, além de lojas,
escritórios e hotéis.

O Roppongi é um dos grandes símbolos de Tóquio. Aqui encontra-se o complexo Midtown, inaugurado em março de 2007. O seu principal edifício alberga o Museu de Arte de Suntory, projetado pelo arquiteto Kengo Kuma. Ele chama-lhe o museu da “sala de estar da cidade”, um espaço confortável que possui uma das melhores coleções de arte tradicional japonesa.

Roppongi

Também é um dos melhores museus da cidade para os estrangeiros, com excelentes guias de áudio em inglês. Nos jardins paisagísticos deste mesmo complexo fica o ousado 21_21 Design Sight, do designer Issey Miyake e do arquiteto Tadao Ando. Com um projeto que evoca a técnica do origami – a estrutura parece uma folha de betão dobrada –, o espaço de exposições mostrou um estilo único desde o início, quando foi aberto com uma mostra de objetos feitos em chocolate. O Midtown é original, mas também uma resposta a um empreendimento vizinho, que é só um pouco mais antigo. Construído em torno da Mori Tower, o Roppongi Hills determinou os parâmetros para a nova onda de edifícios multiusos. Há quem diga que o Mori Art Museum é a melhor galeria de arte da cidade.

museu Shitamachi

O National Art Center, Tokyo, é o maior museu do Japão. Sem uma coleção permanente, pode ter exposições temporárias interessantes.

O Museu Shitamachi, em Ueno, é um lugar curioso, que recria a vida no centro de Tóquio do século XIX.

Lazer e Entretenimento

Marunouchi é um destino de lazer e entretenimento e mostra como empreendimentos comerciais enormes podem, de facto, revitalizar o centro de uma cidade.

O Jardim Leste do Palácio Imperial é a única parte do Palácio Imperial aberta ao público, o que o torna uma paragem quase obrigatória nos roteiros turísticos, mas não é o melhor espaço verde da cidade. Para ver os melhores parques, com uma mistura dos estilos ocidental e japonês, vá até ao Shinjuku Gyoen ou ao jardim totalmente japonês, Hama-Rikyu, em Shiodome, perto de Ginza.

Shinjuku Gyoen estação de comboios de Tóquio

Para vivenciar a verdadeira pressão humana japonesa, vá a Shinjuku, onde fica a estação de comboio mais movimentada do Mundo (com cerca de 3,3 milhões de utentes por dia) e do Governo de Tóquio.

Também é o lugar ideal para espiar o submundo da capital, uma vez que ali está o bairro de Kabuki-cho, dominado pela yakuza e cheio de prostitutas (o passeio costuma ser seguro).

Outros locais de interesse

Torre de Tóquio

A Torre de Tóquio é uma imitação da francesa Torre Eiffel. Sede da câmara municipal, o Tokyo Metropolitan City Government Offices tem um miradouro no 45.º andar, de onde se avista o monte Fuji, a montanha mais alta do Japão. Ainda do céu, o observatório Tokyo City View, com 250 metros de altura, oferece uma privilegiada vista de 360º da cidade.

Visite o impressionante Santuário Hanazono. Shibuya e Harajuku são os locais ideais para ver como os adolescentes japoneses se portam.

Guia do Viajante

ver mapa maior

Tóquio

onde dormir

Park Hyatt Tokyo

Four Seasons Hotel Tokyo at Marunouchi

Marunouchi Hotel

Peninsula Tokyo

Ryokan Ryumeikan Honten

Ryokan Katsutaro

Ryokan Sawanoya

Cerulean Tower Tokyu Hotel

Excel Hotel Tokyu

Hilltop Hotel

Mandarin Hotel

Hotel Century Southern Tower

The Capitol Hotel Tokyu

onde comer

Para os fãs de comida japonesa, Tóquio é, sem dúvida, o paraíso. Em qualquer esquina encontram-se sítios baratos para comer o sushi e sashimi. Outras iguarias tradicionais são os yakitoris (espécie de espetada) e o okonomiyaki, uma “panqueca” japonesa feita na chapa, com frutos do mar. Nas ruas, vendem-se o elmen, o popular miojo na versão original e não instantâneo. Para quem não aprecia peixe cru, pode encontrar até uma boa churrascaria e restaurantes da cozinha internacional.

Kafka

Tapas Molecular Bar

Fukuzushi

Bistrot des Arts

Dazzle

Bello Visto

New York Grill

Mado Lounge

Ten-Ichi

Aronia de Takazawa

Jomon Roppongi

Harajukugyozaro

Pizzakaya

Daiwazushi

La Bisboccia

divirta-se no Tokyo Disney Resort

O parque temático de Tóquio, Tokyo Disney Resort, é um grande recinto, com dois grandes parques de diversões, o Tokyo Disneyland e o Tokyo Disney Sea Park, juntamente com uma ampla oferta de serviços e hotéis.

O Tokyo Disneyland Resort foi criado em 1983 e não deixa nada a desejar aos parques da Disney que se encontram nos Estados Unidos e na Europa. Este parque está dividido em sete zonas temáticas, com nomes tão sugestivos como Critter Country, Toontown, Fantasyland, Westerland e Adventureland. Todas essas zonas temáticas foram cuidadosamente projetadas para proporcionar verdadeiras aventuras mágicas.

Não perca os animados desfiles, os espetáculos ao vivo e os magníficos fogos-de-artifício desta versão nipónica da Disneyland. Além disso, também pode aproveitar para visitar o Tokyo Disney Sea Park, um parque de diversões com 23 atrações, e o Ikspiari, uma área comercial com 120 lojas distribuídas em nove zonas de compras temáticas, além de vários restaurantes e salas de cinema.

informações

Moeda
Iene

Idioma
Japonês e inglês.

Documentos
Passaporte com validade mínima de seis meses. Os portugueses não necessitam de visto para estadas inferiores a três meses.

Fuso horário
+ 1 hora

clima

Moderado, com temperaturas suaves durante o ano inteiro, de final de junho a meados de julho há uma época de chuvas intensas. Uma das melhores épocas para ir ao Japão é na primavera, quando as paisagens são naturalmente enfeitadas pela floração das cerejeiras. Nesta altura, a temperatura média anual é por volta dos 14,7º C.

compras

O centro comercial mais famoso de Tóquio chama-se Ginza, um nome identificado com o consumo de luxo – muitas cidades do Japão batizaram as suas ruas comerciais com este nome. Shibuya é o bairro onde surgem as últimas tendências da moda.

transportes

A capital japonesa oferece um dos melhores transportes urbanos do Mundo. Organização, limpeza e pontualidade são características marcantes da eficiente rede de metro, comboio e autocarro, que circulam para todos os sítios. Para facilitar, a maioria das estações tem sinalização e avisos bilíngues (japonês e inglês).

 

Texto: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala, Wiki Commons e Flickr
edição 11 a próxima viagem