página anterior
página seguinte
Madrid... me mata!!!

"... me mata"

Gran Via à noite Madrid Praça Cibeles Ponte de Toledo

A capital de Espanha é uma cidade intensa, cosmopolita, moderna, quente... cheia de bares onde madrilenos ficam horas a conversar enquanto bebem uma cerveja e petiscam tapas.

Dinâmica e moderna, percorrer as ruas desta cidade é descobrir, em cada recanto, atrativos e prazeres diferentes, com um património histórico e cultural riquíssimos. É aqui que estão três grandes museus obrigatórios para quem adora arte: Thyssen-Bornemisza, Reina Sofia e o Prado, todos eles com obras de grandes artistas, como Velásquez, Rafael, El Greco, Rembrandt e Fra Angelico.

A cidade, além da capital e sede da casa real, das instituições políticas e administrativas do Estado espanhol e do arcebispado católico, é um centro de grande importância comercial, financeira e cultural a nível nacional e internacional. Em Madrid encontram-se cinco universidades públicas, numerosos teatros, museus e exposições. Madrid é um cidade cosmopolita, com uma História fascinante e que sabe se aproveitar dessa história e da cultura em geral, com avenidas lindíssimas, bares, restaurantes e gente, muita gente.

Museu do Prado Porta de Alcalá Porta de Alcalá

As portas da cidade

A História de uma cidade, tão tradicional como é Madrid, foi construída com o passar do tempo, dos séculos e de muitas pessoas que passaram por ela. Para o turista, é importante saber que as “portas de Madrid” são monumentos de visita e admiração pública e estão espalhados por toda a cidade. Sem dúvida, a Porta de Alcalá é uma das mais conhecidas, ao ponto de ser considerada uma das sete maravilhas de Madrid. Datada da época de Carlos III, situa-se na “calle” Alcalá, muito próxima à fonte de Cibeles.

Em segundo lugar de importância estará a Porta de Toledo, construída no século XV, e era a saída da cidade pelo caminho que levava a Toledo. De facto, a “calle” Toledo começa lá. Está na união da Ronda de Segóvia com a Ronda de Toledo.

A Porta de San Vicente, muito próxima da Porta
de Toledo, fica em frente ao “shopping center” e à estação de comboios Príncipe Pio. Data do
século XVII e foi feita como parte da entrada do palácio real. A Porta de Hierro, de estilo barroco, situa-se nas estradas M-30 e A-6, data do século XVII e é a única que não se encontra no centro de Madrid. Por último, a Porta Real, no Jardim Botânico, próxima ao Museu do Prado, foi projetada por Sabatini no século XVIII.

Porta Toledo em Madrid
Madrid é um cidade cosmopolita, com uma História fascinante e que sabe se aproveitar dessa história

A movida madrilena

bairro La Latina em Madrid Praça de Santa Ana

Imperiais em Santa Ana, tapas em La Latina, entardeceres em Chueca, mistura de várias pessoas em Lavapiés, discotecas na Torre Europa… De tudo e para todos, com uma animação constante de segunda-feira a domingo, todos os dias do ano, e com uma oferta dividida por zonas para todos os gostos. Destino favorito de turistas e estudantes estrangeiros, em Huertas a diversão nunca desaparece e o ambiente está garantido, independentemente do dia da semana. Locais de música ao vivo, bares para comer tapas, cervejarias com as suas esplanadas na Plaza de Santa Ana (Praça de Santa Ana), com o Teatro Español como pano de fundo e discotecas que fecham as suas portas apenas altas horas da madrugada.

Não importa o facto de ser conhecido como o bairro “gay” de Madrid, todo o mundo cabe em Chueca. Desde contemplar um espetacular pôr-do-sol com o bairro a seus pés, até dançar toda a noite, passando por um jantar de vanguarda num dos restaurantes mais modernos e cosmopolitas da capital. A noite de Chueca é famosa pela energia que irradia.

Bairro histórico de Madrid e com o sabor mais castiço da capital, La Latina é ideal para começar a noite provando as tapas e refeições dos seus inúmeros estabelecimentos ou os pratos dos
seus restaurantes.

Os terraços e os bares mais exclusivos de Madrid encontram-se no bairro de Salamanca. Limitada pelo Paseo de la Castellana e as ruas Alcalá, María de Molina e Francisco Silvela, esta zona de destino dispõe de ambiente muito juvenil, embora a média de idades vá subindo à medida que a noite avança.

O que visitar em Madrid

Clique nas imagens para saber mais

Museus e Palácios
Museu do Prado
Museu Thyssen-Bomemisza
Museu do Prado Museu_Thyssen-Bomemisza

A coleção do museu conta com mais de 7000 pinturas, 1000 esculturas, 4800 estampas e 8200 desenhos, além de um vasto número de objetos de artes decorativas e documentos históricos. Entre os tesouros que é possível contemplar estão joias como O Jardim das Delícias de Bosco, As Três Graças de Rubens, As Meninas de Velázquez, Os Fuzilamentos de Goya, O Sonho de Jacob de Ribera, A Anunciação de Fra Angélico, O Lavatório de Tintoretto e A Descida de Roger van der Weyden...

Com três andares, o museu percorre a história da pintura ocidental desde o século XIII até ao século XX. Renascimento, Maneirismo, Barroco, Rococó, Romantismo, Pop Art… estão representados nas quase mil obras expostas. Trabalhos de Alberto Durero, Edgar Degas, Pablo Picasso, Caravaggio, Claude Monet ou Vincent Van Gogh, entre muitos outros, integram como obras principais a coleção do Museu Thyssen.

Palácio Real
Museu Nacional Centro de Arte Rainha Sofia
Palácio Real Museu_Thyssen-Bomemisza

Foi a residência oficial dos monarcas, mas, atualmente, é um local de interesse turístico que acolhe igualmente atos de Estado, como encontros diplomáticos e eventos oficiais.

As origens do palácio remontam ao século IX, quando o reino muçulmano de Toledo, preocupado com a sua defesa perante as lutas com os cristãos, ergueu uma fortaleza que mais tarde viria a ser utilizada pelos reis de Castela.

No seu interior pode ver-se pinturas a fresco, enquanto uma visita às várias dependências permite descobrir o legado de artistas como Giaquinto, Tiépolo, Mengs, Bayeu e Maella.

Localizado na Praceta de Carlos V, popularmente conhecida por “Atocha”, tem uma coleção permanente, considerada como um prolongamento da do Museu do Prado, uma vez que abrange o período que vai do século XIX até ao presente. Dividida por três andares, a coleção permanente apresenta os primeiros contactos da modernidade espanhola com a Europa, através de artistas como Hermenegildo Anglada-Camarasa, Ignacio Zuloaga ou Francisco Rubio, até à chegada dos movimentos Cubistas e Surrealistas com Picasso, Miró, Dalí, Juan Gris, María Blanchard... ou as suas repercussões na denominada Escola de Paris. O reencontro na década de 40 com este espírito vanguardista e o protagonismo que assumiram nos anos 50 e 60 os movimentos abstratos concluem este percurso histórico. O museu engloba o Guernica de Pablo Picasso, uma das imagens mais emblemáticas do mundo contemporâneo que representa o ataque dos aviões da Legião Condor sobre a cidade de Guernica, em 1937.

Palácio Real São Lourenço El Escorial
Palácio Real de Aranjuez
Palácio Real São Lourenço El Escorial Palácio Real de Aranjuez

Localizado a 40 quilómetros de Madrid, em plena serra de Guadarrama, é um monumento património da Humanidade e um local que não se pode deixar de visitar, devido à sua localização e construção. Aqui encontra-se uma basílica, o panteão real e o mosteiro, onde descansam os monarcas e a rainha-mãe do rei. Durante a visita ao palácio e ao mosteiro, deve ter-se especial atenção à biblioteca real e às obras de pintores italianos como Zuccaro, Tibaldi, Cambiaso e Luca Giordano. Há, igualmente, esculturas de Bernini e Cellini, bem como pinturas de El Bosco, El Greco (O Martírio de São Maurício) e Velázquez (A Túnica de José).

Entre os rios Tejo e Jarama ergue-se este palácio, construção imponente, cujo frontal está adornado pelas estátuas dos três reis que intervieram na sua construção (Filipe II, Fernando VI e Carlos III, que lhe acrescentou mais duas alas). Este palácio tem a sua origem numa herdade de recreio dos reis católicos. Destaca-se a sua fachada branca e vermelha e, no interior, a escada balaustrada de estilo rococó, assim como o Salão de Porcelana e o Salão dos Espelhos. O palácio inclui igualmente uma mostra sobre a vida quotidiana das famílias reais. É obrigatória uma visita aos jardins do palácio, conhecido como Jardim da Ilha, um espaço aberto, muito cuidado, que tem um canal e numerosas fontes.

Outros locais de destaque
Estádio Santiago Bernabéu
Museu do Prado

A 14 de dezembro de 1947, com um jogo entre o Real Madrid e o clube português Os Belenenses, inaugurou-se o Estádio Santiago Bernabéu, que, naquela data, era considerado o melhor e o mais moderno. Foi palco de um grande número de eventos desportivos e sociais, entre os quais se destacam a Final do Mundial de Espanha, em 1982, várias finais da Taça de Espanha ou a Final da Liga dos Campeões de 2010. Através de uma visita guiada, é possível ver os vestiários dos jogadores do Real Madrid, o campo de futebol, a tribuna, a zona VIP e a sala dos troféus.

Parque do Retiro
Universidade de Alcalá de Henares
Parque do Retiro Universidade de Alcalá de Henares

É um dos principais parques da cidade e conta com uma infinidade de estátuas, fontes e monumentos comemorativos que foram povoando os jardins e o transformaram num museu de escultura ao ar livre. De todas elas, vale a pena destacar a Fonte do Anjo Caído, cuja estátua principal representa o Diabo. Nas décadas de 30 e 40, apareceram novos jardins realizados pelo jardineiro principal Cecilio Rodríguez que desenhou e construiu a Rosaleda e os jardins de Cecilio Rodríguez, onde está o pavilhão. Desde finais do século XIX, já como parque público, o Retiro foi aproveitado para albergar várias exposições internacionais. Como testemunho destas ficaram edifícios tão emblemáticos como o de Minería (Mineração), popularmente conhecido como Palácio de Valázquez, e o Palácio de Cristal, sem dúvida o local mais importante dos jardins que, em conjunto com o seu largo artificial, foi construído em 1887 no âmbito da Exposição das Ilhas Filipinas, onde se deram a conhecer várias espécies de flores deste local. Tanto os madrilenos como os visitantes devem deslocar-se a este parque, que, em especial durante os dias de festa, se enche de cantores, músicos, saltimbancos, pintores e adivinhos.

Localizada na praça de San Diego, apresenta uma fachada plateresca (estilo espanhol de decoração do século XVI) realizada entre 1537 e 1553 por Rodrigo Gil de Hontañón. Os claustros, os pátios e o Salão Nobre ou Aula Magna, que acolhe a entrega do Prémio Cervantes a 23 de abril de cada ano, apresentam diversos elementos decorativos, peças de gesso platerescas e mosaicos de azulejo.

Puerta del Sol
Gran Via
Puerta del Sol Gran Via

É o local mais emblemático de toda a cidade, tanto para os turistas como para os próprios espanhóis. É também o local mais concorrido, especialmente durante as celebrações da passagem de ano. Aqui é possível encontrar o relógio que toca as tradicionais 12 badaladas, aquando da contagem decrescente para o novo ano.

Conhecida como a “Broadway madrilena”, é uma das principais ruas da cidade, sendo um aglomerado de restaurantes, cinemas e teatros, o que faz desta artéria uma importante área turística, comercial e de lazer. É um local de ida obrigatória.

Plaza Mayor
Plaza Mayor

É um dos emblemas da cidade, com as suas esplanadas e os seus vendedores ambulantes. Cuidado com os carteiristas e com os amigos do alheio... Tirando isso, se for um dia de sol, este é um local que deve ser visitado.

Mercados El Rastro e San Miguel

As melhores compras

entrada Mercado San Miguel

Mercado El Rastro
É o mercado ao ar livre mais famoso da cidade e só se realiza nos domingos pela manhã e nos feriados, mas as lojas de antiguidades existentes nessa zona abrem todos os dias.

Mercado de San Miguel
Junto à Praça Maior e o Mercado de San Antón, no bairro da Chueca, é um ponto de encontro para tomar um café, provar um bom vinho ou desfrutar dos melhores produtos frescos do mercado.

Bairro de Salamanca
Uma verdadeira passarela de moda. Assim são a rua de Serrano e todas as que a rodeiam. Sapatarias, joalharias e grandes nomes do mundo da moda, nacionais e internacionais exibem os seus sofisticados e inovadores produtos em montras que constituem uma verdadeira tentação.

Gastronomia com sabor castiço

restaurante Lhardy

Madrid dispõe de numerosos restaurantes, onde é possível saborear os pratos mais tradicionais da gastronomia castiça. É indispensável comer um cozido madrileno no La Bola, um restaurante que foi inaugurado em 1870 e que desde essa data prepara este prato em panela de barro individual e em fogo lento de carvão de lenha, segundo dita a tradição familiar.
Outro clássico para se comer cozido madrileno é na Casa Ciriaco, que se localiza na rua Mayor. A Taberna La Daniela tem igualmente na sua ementa um dos melhores cozidos da cidade. Paralelamente, apresenta umas saborosas tortilhas de batata individuais, croquetes e panados.

A paragem em Lhardy é obrigatória nas manhãs frias de inverno para saborear um caldo acabado de fazer.

Outro dos clássicos e cuja fama ultrapassou as fronteiras é a Casa Lucio, um restaurante que está localizado em plena Madrid dos Áustrias, no castiço bairro de La Latina. Não poderá dizer que esteve em Madrid até ter provado os ovos estrelados conhecidos internacionalmente.

Rua dos Cuchilleros restaurante La Bola

Outra das referências da cozinha madrilena é o Casa Botín, o restaurante mais antigo do Mundo, aberto em 1725 na rua dos Cuchilleros.

Saborosos leitões e cordeiros assados em forno de lenha, regados com bons vinhos, são o fundamento dos seus fogões.

Paralelamente, há muitos outros locais para saborear as delícias da cozinha madrilena. São tascas ou casas para se comer espalhadas pelo centro de Madrid: El Bocho, Casa Perico, Casa Marta….

Aqui, é possível desfrutar dos designados “pratos de colher”, uma das melhores opções para se recuperar de um dia de turismo esgotante em Madrid.

Guia do Viajante

ver mapa maior

Madrid

onde dormir

Hotel Wellington,
Bairro de Salamanca

Hotel Ada Palace,
Avenida Gran Vía

Posada del León de Oro,
Bairro de La Latina

Hotel Amador De Los Rios,
Plaza Colón

Hotel Room Mate Oscar,
Entre a Gran Via e a área de Chueca

Posada Del Dragón,
Bairro de La Latina

Hotel Jardin de Recoletos,
Estação Recoletos de Madrid

Hotel Liabeny,
Puerta del Sol

Hotel Preciados,
A cinco minutos a pé da Puerta del Sol

Hotel Ritz Madrid GL,
Idealmente localizado para visitar os museus da cidade

onde comer

19 Bar Bistró

A 2 Velas

La Cantina

La Máquina de La Moraleja

Casa Botín

El Villagodio

Catedral de Zamora

Sidrería Donosti

A Bordo del Anduriña

La Sirena Verde

Izamar

Pizza Jardín

La Vaca Argentina

tours

  • Visita guiada por Madrid atual
  • Visita guiada ao Museu do Prado
  • Excursão a El Escorial e Valle de los Caídos
  • Visita guiada ao Museu Rainha Sofia
  • Excursão a Toledo
  • Excursão a Segóvia e Ávila
  • Visita guiada por Madrid antiga
  • Excursão a Aranjuez
  • Tour por Madrid em bicicleta

informações

Moeda
Euro

Idioma
Espanhol

Documentos
Bilhete de identidade/Cartão do cidadão.

Fuso horário
+ 1 hora

clima

O clima é continental, caracterizado por uma acentuada amplitude térmica entre o inverno e o verão, o que se traduz em invernos muito frios e verões muito quentes. A temperatura média anual ronda os 14º C, sendo que nos meses frios a temperatura média chega aos 5º C e nos meses de calor ascende aos 25º C. O regime de precipitações é muito variado, embora tendam a concentrar-se no outono e na primavera; o verão é a estação mais seca.

horários

Os grandes armazéns e “franchisings” de moda estão abertos ininterruptamente entre as 10,00 e as 22,00 horas. Por outro lado, o pequeno comércio abre das 10,00 às 14,00 horas e, à tarde, das 17,00 às 20,30 horas.
Os restaurantes têm um horário de refeições muito alargado – o almoço tem lugar entre as 13,00 e as 17,00 horas e para os jantares a cozinha abre das 20,30 às 24,00 horas ou, até mesmo, à 1,00 hora.

 

Texto: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala e Wiki Commons
Agradecimentos: Turismo de Madrid
edição 13 a próxima viagem