página anterior
Ver as estrelas no Mundo
Ver as estrelas no Mundo
Península de Iveragh

O turismo astronómico está em alta.

Esta atividade que combina cultura, ciência e meio ambiente conseguiu revitalizar e pôr em destaque em termos turísticos lugares que já eram uma referência no mundo da astronomia.

Península de Iveragh (Irlanda)

Conhecido pelo Anel de Kerry, uma rota turística popular em torno da península, esta área é uma parte remota da Irlanda, com pequenas aldeias, praias desertas, vestígios arqueológicos, castelos e parques nacionais.

A reserva Kerry International Dark-Sky foi a primeira com este estatuto na Irlanda, tendo inclusivamente alcançado a medalha de ouro, única da Europa. As montanhas Kerry e o Oceano Atlântico protegem a poluição luminosa, tornando possível ver, a partir deste ponto, a Via Láctea e a galáxia Andrómeda.

Grande Lago do Alqueva - PortugalNamíbia

Em muitos destinos as atividades especializadas na observação de estrelas multiplicaram-se, assim como as empresas que se dedicam a este setor. Nesse sentido, o trivago selecionou dez destinos mundiais onde é possível fazer turismo astronómico, tendo em conta tanto os roteiros internacionais como a oferta de atividades de lazer. Entre esta seleção mundial encontra-se um destino luso: o Alqueva.

Grande Lago do Alqueva (Portugal)

A região do Grande Lago do Alqueva, no Alentejo, é um lugar maravilhoso para ver estrelas, constelações e galáxias distantes, durante a maior parte do ano. Foi o primeiro destino Starlight no mundo e esta distinção conseguiu unir os municípios do Alqueva para preservar esse recurso especial, tomando medidas sobre a intensidade da iluminação pública, bem como a criação da Star Party Alqueva, um evento onde tudo gira à volta das estrelas e da observação astronómica.

Ilhas Canárias - Espanha

Deserto do Namibe (Namíbia)

O continente africano é praticamente na sua totalidade um santuário da natureza, livre de poluição luminosa e ideal para ver claramente as estrelas. As reservas estabelecidas para proteger e conservar o património natural são lugares perfeitos para admirar o céu estrelado, sendo a Reserva Natural NamibRand uma reserva pioneira: para além de proteger e conservar a ecologia e os animais selvagens do deserto, a sua missão inclui também programas para preservação dos céus noturnos. Em consequência, foi premiado com o reconhecimento do IDA, o primeiro neste continente.

Ilhas Canárias (Espanha)

Para além de praias de sonho e paisagens deslumbrantes, este arquipélago é também um dos melhores lugares do mundo para observar o universo graças à qualidade dos seus céus estrelados, tornando assim as ilhas de La Palma e Tenerife excelentes destinos turísticos astronómicos. Ambas as ilhas têm certificação internacional Starlight e leis que regulam os níveis de poluição e rotas aéreas.

Havelland - Alemanha

Havelland (Alemanha)

Na região de Havelland é possível desfrutar de muitas atividades culturais e, cada vez mais, de atividades relacionadas com o Astronomia: o seu parque natural foi reconhecido pela IDA - Associação Internacional do Céu Escuro, tornando assim o Parque Natural do Westhavelland uma verdadeira atração da cidade. A qualidade dos céus aqui é tal que é possível, à primeira vista, ver a Luz zodiacal (luz solar dispersa pela poeira no espaço) e o Gegenschein (uma mancha elíptica de luz), bem como a Via Láctea e as Luzes do Norte.

Islândia

A Islândia é um lugar mágico, cheio de tradições e mitos, conhecida pela sua natureza indómita. Todo o país tem contaminação de luz baixa graças às muitas regiões desabilitadas, tornando-o assim num local ideal para observar estrelas. São, no entanto, as auroras boreais o fenómeno que atrai o maior número de turistas. As opções oferecidas pela ilha são infinitas, desde caminhadas a glaciares e vulcões até visitas a locais históricos, para não mencionar a multiplicidade de atividades organizadas em torno da aurora boreal - fenómeno que pode ser visível em qualquer época do ano enquanto houver escuridão, mas que tem mais visibilidade em setembro e abril.

Grande Karoo - África do Sul Islândia

Grande Karoo (África do Sul)

O Grande Karoo é uma região semidesértica com planícies sem fim e um céu limpo. É lá que se encontra Sutherland, uma pequena cidade famosa pelas suas atividades de aventura, mas que a partir do momento em que acolheu o maior telescópio do hemisfério sul tem visto o número de turistas à procura das estrelas aumentar. Este grande olho não só é uma atração turística, como também é utilizado por astrónomos, sendo capaz de explorar o espaço profundo, testemunhando o nascimento e morte de planetas, a observação de galáxias distantes ou ainda a gravação da escala e idade do universo a milhares de milhões de anos-luz de distância.

Deserto do Arizona
(Estados Unidos da América)

Cenário emblemático dos filmes do faroeste e paragem obrigatória da Route 66, o Deserto do Arizona é também um local perfeito para assistir ao céu estrelado. Aqui a beleza do céu encontra-se com uma paisagem espetacular resultando numa experiência fora do comum. Muitos dos parques que se estendem ao longo do deserto estão protegidos e são reconhecidos internacionalmente. As regiões de Sedona e Flagstaff são as mais ativas na promoção das atividades astronómicas - passeios ao parque Red Rock State Park, visitas à cratera mais bem preservada do mundo ou ao Observatório Lowell são algumas das hipóteses disponíveis.

Deserto de Atacama - Chile Deserto do arizona - Estados Unidos da Amárica

Deserto de Atacama (Chile)

Chile é um paraíso para os aficionados da astronomia. As suas características topográficas e climatéricas são ótimas para a observação do universo, sendo mesmo o primeiro destinoda América do Sul com o rótulo Starlight. O Chile conta mesmo com mais de 30 observatórios, espalhados por todo o país, e alberga um terço de todos os telescópios do mundo. É no deserto de Atacama, onde estão instalados megatelescópios e observatórios, que se encontra o Observatório de Paranal – o maior observatório astronómico do universo. Aqui aos visitantes têm acesso a tours astronómicas para aprender a reconhecer as principais estrelas, os planetas e constelações.

Parque Nacional Aoraki / Mount Cook(Nova Zelândia)

Importante destino turístico para os amantes de escalada e montanhismo, o Monte Cook é berço da primeira reserva dos céus escuros do hemisfério sul, a Reserva Aoraki Mackenzie, considerada a maior do mundo. A partir daqui é possível observar alguns dos fenómenos noturnos do hemisfério sul como a Aurora austral ou as nuvens de Magalhães. Todos os anos em Outubro a reserva recebe o Festival Starlight, um evento que celebra a criação da reserva com atividades educativas sobre as estrelas, o céu, os problemas da poluição luminosa, bem como a valorização do ambiente e do espaço exterior.

Mount Cook - Nova Zelândia Parque Nacional Aoraki - Nova Zelândia
Guia do Viajante Macau

onde dormir

Mil Estrelles (Espanha)
Localizado na província de Girona, em Espanha, o Mil Estrelles possui quartos em bolhas exteriores , sendo, por isso, o cenário ideal para desfrutar das estrelas. Com vistas impressionantes para o céu, alguns dos quartos apresentam lareira, terraço e telescópios. Se isto não for suficiente, há outras atividades disponíveis, como ciclismo, caminhadas ou ainda massagens.
www.milestrelles.com

L’And Vineyards (Portugal)
Há algum hotel perfeito para ver estrelas em Portugal? Há. Chama-se L’And Vineyards e está localizado Montemor-o-Novo. O Alentejo é uma das áreas com menor poluição luminosa da Europa, tornando este espaço e, mais particularmente, a suite Sky View Hotel lugares excecionais para desfrutar da paisagem noturna. O espaçosos quartos dispõem de um teto retrátil e piscina ao ar livre para observar as estrelas na cama ou submerso na água, acompanhado de um bom vinho e com vista para o Castelo de Montemor-o-Novo.
www.l-and.com/pt

 

Zash (Itália)
O objetivo do hotel italiano Zash é cercar os hóspedes num ambiente de paz, aromas únicos e sons do campo. As suites são um convite para apreciar o verde da natureza, graças às suas grandes janelas. Com vistas panorâmicas, durante o dia e a noite, este boutique hotel é um abrigo remoto e elegante, ideal para se desconectar da rotina diária e para se unir com a terra e o céu.
www.zash.it

Elqui Domos (Chile)
No complexo Elqui Domes, no místico Vale do Elqui, no Chile, poderá contemplar a imensidão do céu num dos seus 11 quartos exclusivos. Rodeado pela natureza, este hotel oferece alojamento em tendas e cabanas com tetos movíveis para ver as estrelas sem sair do quarto. Para completar a sua oferta astronômica, o hotel incorporou recentemente observatórios com telescópios Schmidt-Cassegrain de última geração e promove ainda passeios à noite para descobrir os céus do vale.
www.elquidomos.cl/en

 

Las Ventanas al Paraíso (México)
As suites do Las Ventanas al Paraíso, no México, coexistem harmoniosamente com a natureza. Durante o dia é possível aproveitar o sol e uma panorâmica de 180 graus sobre o mar de Cortez, a partir dos seus terraços. Quando a noite cai, poderá explorar o céu através de telescópios pessoais, disponíveis em todos os quartos. O ambiente e vegetação do deserto que rodeia o luxuoso hotel e a lareira que se encontra em cada suíte são um verdadeiro convite para a uma experiência de observação de estrelas única.
www.rosewoodhotels.com/en/las-ventanas-los-cabos

The Hermitage (Nova Zelândia)
O The Hermitage Hotel está localizado numa das cidades com os céus mais nítidos e escuros da Nova Zelândia e do mundo. Entre as muitas atividades oferecidas por este espaço, destaque para o passeio diário de observação de estrelas, com guias especializados e material específico, bem como rotas ousadas para exploração dos vales glaciares que rodeiam o hotel. Com 164 quartos e 20 chalets individuais, localizados no Parque Nacional Aoraki e Monte Cook, este hotel torna-se assim um local perfeito para se conectar com a natureza e explorar o ceú.
www.hermitage.co.nz

 

Amangiri
(Estados Unidos da América)

Amangiri significa “montanha tranquila” e este resort faz jus ao seu nome. Localizado num vale protegido que ocupa mais de 200 hectares de deserto a sudeste dos Estados Unidos da América, o Amangiri está completamente longe da civilização e poluição luminosa, oferecendo, por isso, uma visão do céu sem horizonte. Para se sentir ainda mais perto das estrelas, são organizados passeios de balão e de helicóptero. A partir destes pontos mais altos é mais fácil apreciar o ambiente e extraordinárias formações geológicas do Grand Canyon e do Monument Valley.
www.aman.com/resorts/amangiri

Texto: Virgínia Esteves | Fotos: Arquivo Impala e Wiki Commons
Agradecimentos: Trivago
edição 15 a próxima viagem