página anterior
página seguinte

Conquistada pelos Romanos, é a segunda cidade mais importante do sul de Itália e é famosa pelas suas praias e fantástica gastronomia.

Não se sabem as origens desta cidade, localizada na região da Apúlia. Por volta do século III a.C., foi conquistada pelos Romanos. Após a queda do Império Romano, em 476, a cidade foi invadida por Bárbaros e ocupada pelos Godos. No ano de 554, foi tomada pelos Bizantinos, que governaram até 840, quando passou para o domínio Sarraceno. Passados 30 anos, os Bizantinos retomaram a cidade, onde se mantiveram até 1071, quando a cidade passou para o domínio Normando.

Originalmente, esta cidade possuía o nome romano de Barium e era um centro de comércio importante quando, em 847, sob domínio Sarraceno, se tornou a capital regional e, posteriormente, a residência oficial do catapan, o governador Bizantino do sul da Itália.

Passou pelo domínio de Normandos, do governo Bizantino e da família Sforza até ser, em 1156, destruída por Guilherme, o Mau, da Sicília. Bari tornou-se, entretanto, um centro marítimo de relevo, rivalizando em importância com Veneza. Actualmente, é a verdadeira capital da Apúlia.

Situada no "calcanhar" do país em forma de bota, Bari é considerada a segunda cidade mais importante do sul da Itália e é famosa pelas suas praias, zona antiga e fantástica culinária.

Destino de férias cada vez mais popular, Bari é a capital comercial e administrativa de Puglia e também uma vibrante cidade universitária.

A Basílica di San Nicola, uma das primeiras grandes igrejas normandas da Apúlia (cuja construção se iniciou em 1087), constituiu um modelo para a época, caracterizada por uma empena alta, ladeada por torres.

À entrada, o portal é apuliano-românico, com relevos nas ombreiras das portas e um arco com pormenores mouriscos, bizantinos e clássicos. A seguir ao coro, está situado um altar coberto, ladeado de um trono episcopal, datado do séc. XI. Na cripta, repousam as relíquias de São Nicolau, o santo patrono da Rússia, das crianças e dos marinheiros.

Inspirado em São Nicolau, o Duomo, que data dos finais do séc. XII, possui uma cúpula. Resta apenas uma torre das originais; a segunda caiu durante um terramoto, em 1613. Na fachada da entrada, existem portais barrocos e portas que datam do séc. XII. No interior do Duomo, reina a simplicidade medieval: o dossel do altar-mor, o púlpito e o trono episcopal foram reconstruídos a partir de fragmentos dos originais, enquanto a sacristia, desenhada como um baptistério, é conhecida como trulla.

O castelo da cidade, construído durante o reinado de Rogério II, sofreu obras de adaptação por Frederico II, de 1233 a 1239. Uma colecção de moldes de gesso e de fragmentos arquitectónicos de diversos monumentos românicos daquela região está exposta no corredor abobadado que rodeia o castelo.

Actualmente, Bari é a capital comercial e administrativa da Apúlia, possui um importante pólo universitário e é um dos pontos de partida para a Croácia ou a Albânia, através dos inúmeros ferries.

Antes da Segunda Guerra Mundial, Mussolini fundou a universidade e dotou a cidade de diversos edifícios ao estilo arquitectónico da época. A cidade foi violentemente bombardeada durante o conflito, mas a reconstrução posterior devolveu a vida ao centro comercial de Bari.

O que visitar

Existem imensos motivos de interesse para visitar Bari, especialmente na zona antiga da cidade, intitulada de Bari Vecchia pelos autóctones, um bairro medieval lindíssimo onde existem inúmeras igrejas, rivalizando entre si na sua importância. A basílica românica de San Nicola reparte a praça com o Palazzo del Catapano e a igreja de São Gregório, ambos a merecer uma visita demorada e atenta.

Igualmente antiga (mas posteriormente reconstruída sob o estilo barroco) e da mesma forma interessante, é a catedral românica de São Sabino. Sugerimos-lhe um passeio demorado ao longo da marginal, sobre as antigas muralhas da cidade, passando pelo Forte de Santo António (recentemente transformada em galeria de arte) e pelo antigo Mosteiro da Santa

Escolástica (onde actualmente funciona a universidade). A maioria das igrejas de Bari Vecchia estão, infelizmente, fechadas aos turistas, abrindo apenas durante algumas festividades, como a Sexta-feira Santa ou o Dia de Todos-os-Santos.

A cerca de 20 minutos de distância, nos arredores de Bari, existe uma pequena cidade chamada Adelfia, cujo patrono é São Trifone. Todos os anos, começa a 9 de Novembro uma festa que dura três dias, em honra deste santo, com largadas de balões gigantes. No segundo dia, a estátua de São Trifone é trazida para a praça e levada em peregrinação pela cidade. Bandas de música de toda a Itália juntam-se para tocar no palco principal dos festejos,

acompanhadas pelo estralejar dos foguetes e fogos-de-artifício, que dura até o sol raiar.

O santo padroeiro desta cidade é São Nicolau e celebra-se a sua devoção no início de Maio (entre 6 e 8), com reconstituições históricas, música tradicional e um concurso de fogos-de-artifício que dura dois dias. Para este evento, chegam peregrinos oriundos dos quatro cantos do Mundo.

Para uma pequena aventura fora da cidade, pode ir até à vizinha Sassi, onde é possível encontrar cavernas do período Neolítico que, de maneira incrível, permaneceram inabitadas até 1952. Os entusiastas do cinema vão gostar de saber que os surreais arredores de Sassi foram também palco de diversos filmes.

Guia do Viajante

ver mapa maior

portugal

onde ficar

Hotel Boston
Via Piccinni, 155
Trata-se de um hotel moderno, perto do centro histórico de Bari. Possui mobiliário funcional e decorado com painéis de madeira.

Best Western Hotel
Ss 96 Km 119.300
Recentemente renovado, esta unidade hoteleira possui uma localização conveniente, a apenas seis quilómetros do Aeroporto Internacional de Bari e perto do centro da cidade.

Hotel Costa
Via Scipione Crisanzio, 12
Situa-se no coração do centro da cidade de Bari, a escassos 100 metros da estação ferroviária e do terminal rodoviário.

Mercure Villa Romanazzi Carducci
Via Giuseppe Capruzzi, 326
Oferece estacionamento privado e fica a poucos minutos do centro de Bari, num cenário tranquilo rodeado por jardins belíssimos.

Oriente Hotel
Corso Cavour, 32
Localizado no centro da cidade, junto ao Teatro Petruzzelli, dispõe de quartos com ar condicionado e televisão de ecrã plano com canais por satélite.

Hotel Victor
Via Domenico Nicolai, 71
Sito no principal bairro empresarial de Bari, a apenas 400 metros da estação central e próximo do centro de feiras e exposições, a Fiera del Levante.

Palace Hotel
Via Lombardi, 13
Está localizado no centro de Bari, em frente ao mar. Os quartos são únicos e elegantes, com uma mistura de mobiliário de época e arte contemporânea.

onde comer

Kilimangiaro
Lungomare Starita, 64
Uma trattoria e pizzeria acolhedora, localizada frente ao mar. Entre as muitas especialidades, pode apreciar a orecchiette (massas em forma de orelha) com rúcula e carne.

Murat
Via Lombardi, 13
No último piso do Hotel Palace, eis um restaurante sofisticado, com vista para o centro da cidade de Bari. Gastronomia tipicamente apuliense e mediterrânica, com especialidades à base de marisco e orecchiette.

Terranima
Via Putignani, 213/215

Giampaolo Ristorante Pizzeria
Via Lombardi, 18

Ristorante Bacco
Corso Vittorio Emanuele, 126

U Gnore
Corso Alcide de Gasperi, 296

La Uascezze
Vico S. Agostino, 2/3

Al Gambero
Corso De Tullio Antonio, 8

Intrattieno
Via Aurelio Carrante, 21

La Cantina di Cianna Cianne
Via Corsioli, 5

Le Giare
Corso Alcide De Gasperi, 308 F

Osteria delle Travi di Bari
Largo Chiurlia, 12

Opera
N. Piccinni, 151

La Pignata
Vittorio Emanuele II, 173/5

U.P.E.P.I.D.D.E.
Vico Sant'Agnese, 2, Ruvo di Puglia

não deixe de...

  • Ir a Corso Vittorio, uma grande rua para fazer boas compras
  • Visitar a Sparano Via, a rua comercial mais famosa que contém a maior parte dos estilistas e lojas de marcas famosas como Paciotti, Coccinelle, Furla e Rossetti
  • Fazer compras de recordações nos mercados ao ar livre
  • Visitar a Basílica di San Nicola
  • Conhecer o Castelo Normanno-Suevo
  • Apreciar as Grutas di Castellana
  • Visitar o belíssimo centro histórico de Bari e suas «gemas»: a Basílica de São Nicolau, dedicada ao santo protector de Bari, igreja de origem normanda; a Igreja de São Gregório (visita só do lado de fora), também de origem muito antiga. 

tour de bicicleta

A excursão irá levá-lo a descobrir numerosas preciosidades escondidas de Bari. Partirá do porto, percorrendo a sugestiva orla marítima, o tesouro da cidade que, sinuosa e elegante, articula-se até às suas portas. Partirá da Basílica de São Nicolau e continuará até ao Castelo, antigo baluarte defensivo da Cidade Velha. Após este mergulho no passado, emergirá na Bari mais moderna, a dos numerosos eventos sociais, que lhe deram o título de segunda metrópole da Itália meridional

Percorrendo Bari de bicicleta vai-se à descoberta das suas numerosas jóias escondidas. Após um mergulho no passado, é um must mergulhar na Bari moderna, segunda metrópole do sul italiano.

Informações

Documentos: Cartão de Cidadão/Bilhete de Identidade. Convém, também, levar o Cartão Europeu de Seguro de Doença.

Moeda: Euro

Idioma: Italiano

Diferença horária: Fuso horário padrão: UTC/GMT +1 hora

Clima

Bari possui um clima mediterrânico semiárido, com Invernos moderados e Verões de moderados a quentes e secos. Há possibilidades de nevar no Inverno.

Compras

Existe uma enorme variedade de produtos culinários artesanais que pode adquirir, de pasta a conservas e compotas, enchidos, azeite e vinho.

--> Texto: Luís Peniche (luis.peniche@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala, Wiki Commons e Flickr
edição 2 a próxima viagem