página anterior
página seguinte

Fundada há cerca de 3000 anos pelos Fenícios, Cádis é a cidade mais antiga do Ocidente. Os diferentes povos que aqui se estabeleceram, deixaram uma importante herança cultural, cuja influência ainda perdura no carácter dos gaditanos.

Esta península, em plena costa andaluza atlântica, tem sabido conservar um importante legado histórico, fruto da sua importância comercial, em conjunto com um leque de excelentes praias e uma riquíssima cozinha regional. A Costa da Luz, repartida entre as províncias de Huelva e Cádis, oferece, para além disto, inúmeros destinos, que conjugam cultura e ócio. Para os amantes da Natureza, nada melhor do que percorrer o Parque Nacional de Doñana, declarado Património da Humanidade pela Unesco.

A antiga Gades Fenícia, ou a Gadir Romana, viveu a sua época de máximo esplendor quando, no século XVII, ficoua com o monopólio do comércio com o Ultramar. Esta pujança atraiu também ataques de piratas, o que fez com que a cidade se fortificasse, construindo baluartes defensivos, castelos e torres de vigia em cada açoteia. Estas são algumas das características desta cidade, em que também se destaca o enredado das suas varandas.

Uma visita a Cádis pode começar em Puerta Tierra, uma entrada pelas muralhas e pela linha divisória entre a Cádis moderna e a antiga. De um lado, amplas avenidas, praias (La Victoria, Santa Maria e La Cortadura), clubes marítimos e modernas instalações desportivas. Do outro, a Cádis com mais sabor e História, a dos bairros antigos: El Pópulo, antiga vila medieval; La Viña, bairro de pescadores; ou Santa Maria, templo vivo do flamenco. Ruas com personalidades distintas, mas que têm sabido manter uma unidade no casario, e compostas de traçados de excepcional beleza.

Na fachada atlântica, sobressai a cúpula de azulejos amarelos da catedral, sobre o Campo del Sur. De traço barroco e neoclássico, a sua cripta guarda os restos mortais do compositor Manuel de Falla. Ao lado, encontram-se o antigo teatro romano e a catedral velha.

A que já foi praça real, praça de armas e mercado, erigida em terrenos conquistados ao mar, também merece uma visita.
Trata-se da Plaza de San Juan de Dios, onde, sobranceiramente ao porto, se levanta a estrutura neoclássica do Ayuntamiento gaditano.

Ao lado do porto, surge, na Plaza de España, o Palácio de la Diputación Provincial e o Monumento a las Cortes Liberales. Na arborizada Plaza Mina, podemos visitar o Museu Arqueológico e de Belas-Artes de Cádis, que tem no seu espólio interessantes exposições de artefactos Fenícios. Em volta da Plaza de las Flores nascem as ruas mais comerciais da cidade.

Cádis possui importantes monumentos religiosos que nos falam do sentimento religioso dos andaluzes. Em Santa Maria são igualmente importantes a igreja que dá nome ao bairro e o Convento de Santo Domingo. Perto de La Viña espera-nos a Paróquia da Palma, enquanto, no outro extremo, junto ao Baluarte da Candelária, iça-se a Igreja da Carmen.

vista do porto industrial Las Puertas de Tierra Catedral Olvera ruínas do fórum em Baelo Claudia

Em pleno centro de Cádis, podemos visitar o Museu Histórico Municipal de Cádis, a Torre Tavira, uma das mais emblemáticas da cidade, e o Oratório de San Felipe Neri, monumento nacional em que se debateu a Constituição liberal de 1812.

Para ter as melhores vistas sobre o oceano Atlântico, nada melhor do que caminhar pelos passeios ajardinados da Alameda da Apodaca, o Parque Genovês e a Praia da Caleta. Esta praia é a única da parte antiga da cidade e enquadra-se entre os Castelos de Santa Catalina e de San Sebastián. As suas areias finas permitem-nos passear até ao Balneario de la Palma e do Real. Podemos continuar até às praias da cidade actual, passando pelo Campo del Sur e detendo-nos nos Baluartes dos Mártires, Capuchinos e de San Roque.

Na antiga Gades, podemos pernoitar no Parador de Turismo, o Hotel Atlántico. Aqui ficará alojado em plena cidade velha, num quarto com vista sobre o oceano, e degustar a rica gastronomia de Cádis. A cidade recolhe toda a riqueza da província e brinda-nos com lagostins de Sanlúcar, linguados de San Fernando, vinhos de Jerez e torrão gaditano.

A excepcional situação geográfica de Cádis torna possível a visita fácil a praias e localidades históricas da Costa da Luz, como Puerto de Santa María, Puerto Real (cujo bairro velho é um conjunto histórico e artístico inigualável) ou Chiclana de la Frontera.

No extremo mais ocidental do litoral gaditano, estende-se Sanlúcar de Barrameda, bem conhecida pelas suas maçãs, com denominação de origem, e por ser uma das entradas do Parque Nacional de Doñana, declarado Património da Humanidade pela Unesco.

Para o interior, espera-nos uma cidade com um dos vinhos mais famosos de Espanha (também com denominação de origem) e berço dos cavalos cartuxos, Jerez de la Frontera.

Guia do Viajante

ver mapa maior

portugal

onde ficar

Hotel Playa Victoria
Plaza Ingeniero La Cierva, 4
Unidade hoteleira de construção moderna, situada frente ao oceano Atlântico e ao lado de uma praça central da cidade milenar de Cádis.

Hotel Puertatierra

Avenida Andalucía, 34
Situado em pleno coração de Cádis, perto do centro histórico, da zona comercial e apenas a 80 metros de Santa Maria del Mar.

Hotel Barceló Cadiz
Avenida Andalucia, 89
Este hotel foi construído recentemente e conta com um design moderno e uma arquitectura inovadora.

Hotel Regio I
Ana de Viya, 11
O Hotel Regio conta com uma localização perfeita dentro da cidade, perto do Palácio de Congressos, estádio Ramón de Carranza e da Praia da Vitória.

Hotel Spa Senator Cadiz
Rubio Y Diaz, Plaza San Agustin
O hotel dispõe de um total de 91 quartos. A área de entrada compreende uma recepção e um cofre. O hotel contempla ainda um bar e um restaurante, bem como salas de conferências para congressos e reuniões. Existe acesso à Internet sem fios em todas as áreas públicas.

Hotel Las Cortes de Cadiz
Calle San Francisco, 9
Edifício do século XIX, remodelado em 2004, situado perto dos grandes monumentos, no centro histórico da cidade e a três quilómetros da praia.

Hotel de Francia y París
Plaza de San Francisco, 6

Hotel Tryp la Caleta
Amilcar Barca, 47

Hotel y Apartamentos Spa Cadiz Plaza
Glorieta Ingeniero La Cierva, 3

Hotel Regio II
Avenida Andalucía, 79


onde comer

La Marea Elcano
Prolongación Ronda Vigilancia
Este restaurante está situado em pleno Centro Náutico Elcano, muito próximo de Carranza de Cadiz, com amplo parque de estacionamento. A qualidade, o saber fazer e o bom-gosto brilham, com luz própria, neste estabelecimento exclusivo.

Restaurante Lumen
Avenida de Andalucía, esquina Doctor Jose Manuel Pascual y Pascual (Antiguos Cuarteles Varela).
Situado num edifício singular, no centro de Cádis, oferece boa gastronomia, com uma apresentação agradá vel, onde os detalhes são observados com cuidado: louça de design, mesas amplas e bem separadas entre si, para garantir a intimidade, cadeiras confortáveis e um perfeito ambiente musical.

Restaurante 1812
San Francisco, 7 (centro histórico)
O Restaurante 1812 oferece aos clientes uma cozinha tradicional elaborada com os produtos da época. As especialidades são: arroz marinheiro, arroz negro com calamares, sopa de tomate e bacalhau à biscainha.

Restaurante Café-Bar Grimaldi
Paseo Principe de Asturias, 2

Restaurante Mister Kebab – Cadiz
Calle Sirenas, 3 (Los Delfines)

Achuri
Calle Plocia, 15

Ventorrillo del Chato
Vía Augusta Julia, s/n

La Marea
Paseo Maritimo, 1

Balandro Restaurante
Calle Alameda Apodaca, 22

Carusso Trattoría
Plaza Escritor Ramón Solís, 12

Taberna Casa Manteca
Corralón de los Carros, 66 (La Viña)

El Faro
Calle San Félix, 15 (La Viña)

Arte Serrano
Paseo Maritimo, 2

onde ir

Museo de las Cortes de Cádiz
Calle Santa Inés, 9
As obras de arte expostas neste museu são de natureza muito variada, dedicando especial atenção às cortes e à Constituição de Cádis de 1812.

Existe uma sala inteira dedicada à Constituição de 1812. Há dois elementos imprescindíveis de ver durante a visita: a maqueta de Cádis e o quadro da promulgação de La Pepa, de Salvador Viniegra. No piso inferior estão expostas peças arqueológicas, de cerâmica, desenhos, gravações e uma interessante máscara de proa do século XVII, que representa a Virgem do Rosário.

Museo de Cádiz
Plaza de Mina
As salas deste museu oferecem uma verdadeira viagem histórica, desde a cultura Fenícia e Romana até à pintura espanhola do século XX.

O museu está dividido em três secções: uma destinada a Achados Arqueológicos Fenícios e Romanos, entre os quais se destacam os sarcófagos Fenícios do século V a.C.; a secção de Belas-Artes, que guarda pinturas desde o século XVI até ao século XX, entre as quais se encontram obras de Zurbarán, Murillo e Rubens; e a secção de Etnografia, onde se podem contemplar os tradicionais títeres da Tia Norica, uma mostra de costumes de Cádis, dos séculos XIX e XX.

Catedral de Cádiz
Plaza Catedral
Levou 116 anos a ser acabada. Começou a ser construída em estilo barroco e terminou em estilo neoclássico. Guarda no interior obras escultóricas da antiga catedral.

As torres e a sacristia foram os últimos elementos a serem construídos, já no século XIX. São de destacar as abóbadas do altar e a sala do coro. Conserva imagens barrocas de grande beleza.

Desde 2003, a torre poente oferece um novo atractivo turístico à cidade. Através da sua rampa acede-se ao campanário, obra iniciada no século XVIII, a idade de ouro de Cádis. Desde o alto da torre pode desfrutar-se de toda a beleza da cidade.

informações

Moeda
Euro

Idioma
Espanhol

Documentos
Bilhete de Identidade e/ou Cartão do Cidadão

clima

Cádis conta com um clima quente e seco, com Verões longos e moderados, às vezes com chuva no Inverno. A temperatura média anual é de 17, 18º.

--> Texto: Luis Peniche (luis.peniche@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala, Wiki Commons e Flickr
edição 2 a próxima viagem