página anterior
página seguinte
Viena - imperial e elegante! ver video » Viena - Imperial e Elegante

Palácios luxuosos, concertos inspirados em Mozart e Strauss, museus... Elegante, Viena exibe com orgulho a herança dos Habsburgos, que governaram a cidade durante 600 anos. Essa aura clássica, perfeitamente traduzida nas valsas e em prédios barrocos e renascentistas, continua intacta, mas não é a única. A capital da Áustria também se tornou mais jovial e moderna.

Terra de imperadores, compositores e artistas, a capital austríaca, situada nas margens do Danúbio, foi considerada a cidade com maior qualidade de vida do Mundo. Caracterizada por uma mistura única de tradições imperiais e arquitetura moderna impressionante, Viena é famosa pelos seus eventos culturais, pontos turísticos, cafés, tabernas de vinho e encanto especial...

Uma imponente oferta cultural, lugares turísticos fascinantes e o acolhedor ambiente vienense podem ser vivenciados nos cafés ou nos heurigen (típicas tabernas austríacas), que proporcionam à cidade fama mundial.

A História de Viena remonta ao primeiro século depois de Cristo, quando os Romanos fundaram o acampamento militar de Vindobona. Atualmente, a imagem da cidade está marcada principalmente pelo barroco, especialmente o do período da regência da imperatriz Maria Teresa e do imperador Francisco José, que mandou construir a luxuosa alameda Ringstraße.

A sumptuosidade imperial do Palácio de Schönbrunn, antiga residência de verão do imperador, seduz com o belo parque, a Casa das Palmeiras (Palmenhaus), a praça e o jardim zoológico. No Palácio de Hofburg, de onde o império dos Habsburgo regia, o visitante pode mergulhar no fascinante dia-a-dia da família imperial.

O Palácio de Belvedere, de estilo barroco, acolhe hoje a Galeria da Áustria, que apresenta a maior coleção de obras de Klimt e Kokoschka, além de proeminentes quadros de Schiele. Os símbolos de Viena são a Catedral de São Estêvão, situada no centro histórico, a Roda Gigante, situada no Wiener Prater, um tradicional parque de diversões, e a Escola Espanhola de Equitação, com sua famosa dança dos lipizanos.

Viena é também conhecida internacionalmente como a cidade da música e de compositores como Strauß, Mozart, Beethoven e Haydn, que nela deixaram a sua marca. A Orquestra Filarmónica de Viena é uma das melhores do Planeta, a Ópera do Estado (Staatsoper) pertence a uma das mais importantes do Mundo e o Coro das Crianças Cantoras de Viena, os Wiener Sängerknaben, impressiona todos os amantes da música. Por tudo isto, Viena também se define como metrópole musical.

A convivência entre o tradicional, nos seus cafés e heuriger, e o mais moderno, nos restaurantes, lojas e famosos eventos internacionais, como o Life Ball, envolverão o visitante num sentimento único, que gira em torno de um ambiente contemplativo e ativo. Além disso, Viena possui outras peculiaridades: é uma grande cidade, com inúmeras zonas verdes, e possui espaços para descansar e descomprimir na sua periferia, como o bosque Wienerwald, o Praterauen ou a ilha do Danúbio (Donauinsel).

Belvedere Inferior Café Central

Viena é a cidade onde o esplendor imperial e o estilo de vida atual e moderno se aliam ao bem-estar e à elegância.

A cultura dos cafés vienenses

Viena não foi a primeira cidade europeia a ter um café, mas a cultura dos cafés encontrou nela uma expressão distinta da encontrada em qualquer outro lugar. Diz-se que pelos serviços prestados durante o cerco turco, Franz Georg Kolschitzky recebeu, entre outras coisas, sacos com feijões escuros e misteriosos. Não muito tempo depois, começou a fazer fervuras e fermentações e fundou um café. Esta história, na verdade, nada mais é do que um mito, pois ninguém sabe ao certo quem teve a ideia de servir café com leite e açúcar pela primeira vez. O certo é que, em 1700, o arménio Diodato abriu um café, que naquela altura já tinha muitos dos traços daquilo que até hoje caracteriza esta instituição: um copo
de água acompanhando o café, uma mesa de bilhar, a possibilidade de se jogar cartas e uma seleção de jornais nacionais e internacionais à disposição.

Outro passo no sentido de uma cultura total de cafés foi o dado por Diegand Martin, que abriu o primeiro espaço em 1788, por ocasião de um concerto. Os seus contemporâneos passaram a frequentar entusiasmados todos os concertos e, consequentemente, o café. Portanto, não é necessariamente surpreendente que Mozart tenha apresentado as suas obras e que Beethoven, Johann Strauß Senior e Johann Lanner tenham tocado num café. No final do século XIX e no início do século XX, desenvolveu-se uma outra componente, a literatura no café, ainda hoje praticada por muitos autores, que seguem os passos dos seus antecessores famosos.

Presentemente, o café mantém-se como um apreciado local de encontro, mas não ficou exatamente parado no século passado: acesso à Internet, presença de DJs, assim como a coffeetable-music numa atmosfera única, criam as condições para um intervalo num dia agitado. É possível passar o tempo com um gugelhupf ou um kipferl, com buchteln e krapfen ou com uma torta de maçã, de queijo branco ou de creme. Muitos cafés têm criado algumas especialidades próprias e vale a pena prová-las, quer se trate da sachertorte ou da sperltorte.

Seja devido às variações de café que passaram inalteradas através dos tempos, à elegante grandeza dos espaços ou às particularidades dos funcionários, até hoje, a mistura inspiradora, ou seja o típico café vienense, desafia com sucesso as cafetarias.

Capital Mundial da Música

Em Viena, Capital Mundial da Música, realiza-se anualmente 15 mil concertos de todo o tipo e ordem de grandeza. Não existe nenhuma outra cidade em que tantos compositores exerceram influência: Mozart, Mahler, Haydn, Beethoven e o rei das valsas, Johann Strauß. A Filarmónica de Viena (Wiener Philharmoniker) e os Pequenos Cantores de Viena (Wiener Sängerknaben) são destaques mundiais; a Ópera Vienense (Staatsoper) e a Sala Dourada (Goldene Musikvereinssaal) estão entre os melhores locais de encenação. O Concerto de Ano Novo da Filarmónica de Viena entusiasma milhões de espectadores de televisão, espalhados por mais de 50 países, e os Pequenos Cantores de Viena fazem sucesso em todos os continentes. A capital austríaca é conhecida mundialmente como a cidade da valsa, da opereta e dos musicais.

Concerto de Ano Novo

Onde ir em Viena clique nas imagens para saber mais

Museus

Viena conta com uma particularidade arquitetónica que foi denominada ringstrasse e idealizada e construída no século XIX. Em pleno coração da cidade, esta região, conhecida como Ring (anel), tem todas as pérolas de que Viena dispõe para presentear, como palácios, parques e áreas pedestres, entre tantos outros exemplos.

Neue Hofburg Novo Palácio

Schatzkammer Tesouro Imperial

Museu de História Natural

Museu Albertina

Kunsthistorisches Museu das Artes

Coleção de Mobiliário Imperial

Belvedere

Haus der Musik Casa da Música

Liechtenstein Museum

Judische Museum Museu Judaico

Museu de História Militar

Technisches Museum

Mozarthaus Vienna Casa de Mozart

Museumsquartier Quarteirão de Museus

Castelos e Palácios

Schloss Schönbrunn Palácio e Jardins de Schonbrunn

Palácio de Hofburg

Palácio de Hofburg

Existe um bilhete, o Sissi Ticket, que permite visitar o Palácio de Schonbrunn, a Coleção de Mobiliário Imperial e o Palácio de Hofburg (incluindo os seus museus). Para além desta opção, há o Cartão de Viena, bastante mais abrangente, ou seja, tem a duração de 72 horas, mas é importante referir que o metro, os autocarros e os elétricos são gratuitos. Existem descontos a partir de dez por cento em museus, exposições, visitas guiadas, teatros, concertos, compras, restaurantes, cafés e tabernas. Com cada cartão de Viena, a entrada em alguns locais com crianças até aos 15 anos é grátis ou com desconto. Pode-se comprar no aeroporto de Viena, em estações de comboios, no Posto de Turismo da Albertinaplatz, na receção de muitos hotéis da cidade e na loja online.

Castelos e Palácios

Karlskirche Igreja S. Carlos Borromeu

Stephansdom Catedral de Santo Estêvão

Prater

Wiener Staatsoper Casa da Ópera de Viena

Guia do Viajante

ver mapa maior

Austrália

onde ficar

Ananas
Rechte Wienzeile 93-95 / Sonnenhofgasse 8-10, Viena

Airo Tower
Kurbadstrasse 8, Viena

Europahaus
Linzerstrasse 429, Viena

Jurys Inn
Margaretenstrasse 53, Viena

Hotel Am Stephansplatz
Stephansplatz 9, Viena

Altstadt Vienna
Kirchengasse 41, Viena 1070

Hollmann Beletage - Design & Boutique
Kollnerhofgasse 6, Viena

Hotel Rathaus Wein & Design Wien
Lange Gasse 13, Viena

Das Tyrol Small Luxury Hotel
Mariahilfer Strasse 15, Viena

Hotel Imperial Vienna
Kaerntner Ring 16, Viena

Sofitel Vienna Stephansdom
Praterstrasse 1, Viena

Hotel Konig Von Ungarn
Schulerstrasse 10, Viena

Best Western Premier Kaiserhof Wien
Frankenberggasse 10, Viena

K+K Hotel Maria Theresia
Kirchberggasse 6-8, Viena

Hotel Austria
Am Fleischmarkt 20, Viena

Hotel am Konzerthaus
Am Heumarkt 35-37, Viena

Hotel Sacher Wien
Philharmonikerstrasse 4, Viena

Hotel Sacher Wien
Philharmonikerstrasse 4, Viena

Boutiquehotel Stadthalle
Hackengasse 20, Viena

onde comer

Steireck
É um dos mais conhecidos restaurantes austríacos e recebeu a classificação de quatro estrelas há alguns anos.  

Heuriger Christ
Ideal para se iniciar nas comidas e nos vinhos tradicionais, este restaurante é muito frequentada pelos habitantes locais.

Palmenhaus
Situa-se no jardim Burggarten. No local de uma antiga estufa surgiu este restaurante movimentado. Muito procurado pelos vienenses, apresenta excelente comida local e internacional.
 
Babette’s
Junto ao Naschmarkt, vale a pena vistar esta simpática livraria à hora de almoço, para experimentar os pratos nela cozinhados.

Schon Schön
Representa o espírito inovador dos vienenses com um 3-em-1: cabeleireiro, atelier de roupa e restaurante e bar. A mesa coletiva é um desafio ao convívio.

DO & CO Albertina
O café-restaurante do museu Albertina fica virado para o Burggarten. Quando o tempo permite, tem uma agradável esplanada. No inverno, o interior, com o chão e o balcão em mármore e sofás de cabedal, é bastante acolhedor. Os preços são elevados.

Österreicher im MAK
Um dos mais famosos da cidade, onde a nova cozinha vienense se cruza com a tradicional. Fica no Museu de Artes Decorativas.

cafés famosos

Bräunerhof

Café Central im Palais Ferstel ou Café Central no Palais Ferstel

Café Hawelka

Café Landtmann

Café Prückel

Café Schottenring

Café Schwarzenberg

Kaffee Alt Wien

Café Sperl

"estômago da cidade"

Conhecido por “estômago da cidade”, o Naschmarkt existe desde o século XVIII e é o maior mercado do centro de Viena. Aberto de segunda-feira a sábado, convida a passeios, olhares, descobertas e degustações. Lá, pode comprar-se tudo o que for necessário na cozinha: fruta e legumes; carne e peixe; pão e queijo...


Também podem ser encontrados produtos de delicatessen, como caviar persa, sushi, ostras e uma oferta imensa de mercadorias internacionais, principalmente de países como antiga Jugoslávia, Grécia, Turquia, Japão e China. Aqui é possível fazer a sua refeição num dos numerosos restaurantes. Aos sábados, não deixe de visitar o mais famoso “mercado das pulgas” de Viena, que fica logo ao lado.

 

Vinho

Uma tradição com mais de dois mil anos

Hoje, Viena apresenta-se como uma região de viticultura própria, com uma cena vinícola viva e dinâmica. Cultivam-se 700 hectares de vinhedos dentro dos seus limites urbanos e isto tornou-se numa marca da cidade, representando um fator ecológico essencial e oferecendo uma zona vizinha propícia para passar o tempo livre. Os vinhos podem ser degustados nas tabernas tradicionais, nos heurigen e no variado sector gastronómico vienense.

informações

Moeda
Euro

Idioma
Alemão austríaco. Apesar da gramática ser muito similar à alemã, há muitas palavras e expressões que só são usadas pelos austríacos. É possível comunicar-se em inglês, mas é boa ideia aprender algumas frases em alemão e levar um pequeno dicionário de bolso.

Documentos
Bilhete de Identidade/Cartão do Cidadão

Fuso horário
+ 1 hora

Voltagem
220 volts

Gorjeta
É normal deixar-se dez por cento do valor da conta em restaurantes, bares, cafés e táxis.

Segurança
Extremamente segura e tranquila, Viena é bastante convidativa ao turista. De qualquer forma, recomenda-se cautela com carteiras e objetos de valor, em hotéis e restaurantes.

clima

Muito inconstante; no inverno, a cidade fica coberta por um manto branco de neve, que a torna ainda mais agradável de ver. Entre dezembro e janeiro, prepare-se para passar férias a temperaturas abaixo de zero. No verão, Viena recebe uma vaga de calor e o clima fica seco, chegando a atingir os 25° C.

 

Texto: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala, Wiki Commons, Flickr
Agradecimentos: Austrian National Tourist Office (WienTourismus)
edição 6a próxima viagem