página anterior
página seguinte
Manaus - A capital da Amazónia

Mistura o simples com o luxuoso, o belo com o exótico, a metrópole com a Natureza, o calor natural com o humano... Em nenhum lugar do mundo irá encontrar uma cidade tão infinitamente singular no coração da Amazónia.

Engana-se quem imagina Manaus uma cidade comum. Localizada na região Norte do Brasil, na margem esquerda do rio Negro, é o portão de entrada para a maior floresta tropical do planeta: a Floresta Amazónica. Convive com um extraordinário stock de recursos naturais, representado por 20 por cento da reserva de água doce do mundo, um banco genético de inestimável valor e grandes jazidas de minérios, gás e petróleo. A importância da região é incalculável. Privilegiada pela posição geográfica e por ser a capital do maior estado Amazónico,
o Amazonas, a cidade destaca-se pelo desenvolvimento sócio-económico e ambiental, dando um bom exemplo de compromisso
e responsabilidade.

Teatro Amazonas Museu da Borracha em Manaus visita a tribo local da Amazónia

O ecoturismo assume um papel de destaque, sinalizando novos caminhos para a auto-sustentabilidade da região.

Manaus é uma terra de contrastes, que mistura Natureza exuberante, um polo industrial de alta tecnologia e os resquícios de um passado glorioso, no auge do comércio internacional da borracha. Um dos marcos do turismo de Manaus, além, do turismo ecológico é o Teatro Amazonas, um dos maiores símbolos do apogeu económico da cidade. Tem 700 lugares e foi construído com tijolos trazidos da Europa, vidros franceses e mármore italiano. Nele já se apresentaram importantes companhias de ópera, teatro e orquestras internacionais.

Situada bem no meio da maior floresta tropical, do mundo, Manaus é a cidade mais populosa do Amazonas e está entre os famosos rios Negro e Solimões

Na região são feitos muitos passeios, a sua maioria de barco, que é o meio de transporte mais comum. Andar de barco pelos rios e fazer caminhadas pela selva estão no roteiro dos amantes do ecoturismo. Além da selva que se encontra à volta da cidade, tem também muito que conhecer em Manaus, como por exemplo, construções históricas e museus. A vida noturna é agitada como as grandes cidades brasileiras. Aproveitar para experimentar a culinária local, conhecer o artesanato e as tribos indígenas da região também faz parte do roteiro de férias.

Fundada por portugueses

Em 1669, os colonizadores portugueses fundaram o Forte de São José do rio Negro, que deu origem à futura capital do Amazonas. Os índios Manaus ocupavam as duas margens do baixo rio Negro e formavam o grupo étnico mais importante da área de influência do Forte. Até a década de 1860 – quando o látex extraído das seringueiras amazónicas foi decisivo para financiar a construção de uma cidade Instituto Benjamin Constantmoderna – Manaus conservou basicamente o mesmo aspecto da primeira metade do século XIX.

Monumento dos Continentes no centro de Manaus

O crescimento demográfico a partir de 1860 foi constante, mas não significativo, como seria na década de 1890. A exportação da hevea brasiliensis triplicou na década de 1860 e esse facto teve uma repercussão importante na atividade económica regional, até então estagnada.

Na mudança do século XIX para o XX, Manaus tornou-se a segunda maior cidade brasileira da Amazónia e um dos maiores portos fluviais da América do Sul. De 1889 a 1915, a sua população cresceu de 15 mil para 80 mil habitantes. O acanhado núcleo urbano deu lugar a uma cidade planejada, construída a partir de um projeto racional e pretensamente eficiente.

Manaus, aspecto séc. XIX

Em 1669, os colonizadores portugueses fundaram o Forte de São José do Rio Negro, que deu origem à futura capital do Amazonas

A grande transformação da cidade ocorreu durante a administração do governador Eduardo Ribeiro (1892-1896) e foi ampliada pelos seus sucessores. Sistemas de abastecimento de água e captação de esgoto, telefonia, luz elétrica e linhas de autocarros formavam a infraestrutura da nova cidade. Construíram-se praças, pontes, dois grandes hospitais, residências sumptuosas (como o palacete da família Scholz, atualmente um importante centro cultural) e edifícios públicos monumentais, como o Teatro Amazonas, o Palácio da Justiça, o Mercado Municipal Adolpho Lisboa, a Alfândega, o Instituto Benjamin Constant, o Ginásio Amazonense Pedro II, a Biblioteca Pública e tantos outros. Esses edifícios são alguns dos monumentos urbanos de uma Manaus construída durante o fausto da borracha (1880-1912) e que formam uma sequência de cartões-de-visita
da cidade.

Ponte de Ferro Benjamin Constant

Cidade-sede do Mundial 2014

Manaus está a preparar-se para receber um dos eventos mundiais mais importantes: a Campeonato do Mundo de Futebol 2014. O famoso estádio Vivaldo Lima, o Vivaldão, agora cede lugar para uma nova e melhorada arena multiusos com capacidade para receber até 48 mil espectadores e estacionamento com 11 mil lugares no estádio e imediações. A conclusão do estádio está prevista para o primeiro semestre de 2013. Desta forma, pode receber a Taça das Confederações que está prevista para o início do segundo semestre do mesmo ano. Essas são algumas das características que fazem de Manaus um dos locais perfeitos para ser uma das sedes do Mundial de Futebol de 2014 no Brasil.

Onde ir

A capital amazonense destaca-se por ser património arquitetónico e cultural com numerosos templos, palácios, museus, teatros, bibliotecas que receberam influências da art noveau e do neoclássico, além de poder realizar verdadeiros passeios ecológicos.

Mercado Municipal Adolpho Lisboa
Mercado Municipal Adolpho Lisboa

Abre diariamente das 8h às 18h. Conhecido como Mercadão é uma das principais entradas de produção pesqueira e rural do estado. A sua estrutura é em art nouveau, em ferro fundido e vitrais coloridos.

Igreja São Sebastião
Igreja São Sebastião

Prédio em estilo neoclássico, com elementos medievais e pinturas italianas, erguido em 1888.

Teatro Amazonas
Teatro Amazonas

é considerado um dos mais bonitos teatros do mundo e abriga um museu sobre a sua rica história.

Palácio Rio Negro
Palácio Rio Negro

Foi construído no final do século XIX pelo engenheiro Henri Joseph Moers, para ser a residência particular do comerciante de borracha, o alemão Waldemar Scholtz. O palácio foi até 1995 a sede do Governo do Estado e atualmente abriga o Centro Cultural Palácio Rio Negro.

Jardim Botânico Adolpho Ducke
Jardim Botânico Adolpho Ducke

é uma floresta de quase três quilómetros com trilhos interpretativos, bibliotecas e viveiro de mudas.

Bosque da Ciência
Bosque da Ciência

As suas principais atrações são a Casa da Ciência, o lago Amazónico e projetos de preservação de animais como o peixe-boi e a ariranha.

Parque Municipal do Mindu
Parque Municipal do Mindu

Trata-se de uma reserva ecológica com trilhos e centro de informações ambientais. é um dos últimos refúgios do macaco sauim-de-coleira.

Museu do índio
Museu do índio

Aqui pode conhecer peças artesanais produzidas por indígenas de diversas tribos da região amazónica. São utensílios domésticos, adornos e animais empalhados. O museu, idealizado pelas Irmãs Salesianas, foi fundado em 1952.

Praia da Ponta Negra
Praia da Ponta Negra

Com a orla urbanizada e vida noturna movimentada, está a aproximadamente 13 quilómetros do centro da cidade. E não é só um complexo turístico, mas também uma opção de lazer muito procurada pela população local.

Horto Municipal
Horto Municipal

Possui espécies de madeiras nobres, como o mogno, o cedro, o pinheiro e o eucalipto, além de mais de 100 espécies vegetais, como orquídeas, bromélias e manacás, trepadeiras e samambaias.

Cachoeira do Tarumã
Cachoeira do Tarumã

Próxima do Aeroporto Eduardo Gomes, fica numa área pouco conservada, mas é bastante procurada nos fins de semana, tanto para banhos como para a prática amadora de rapel.

Shopping Centers
Shopping Centers

Os shoppings de Manaus reúnem lojas que oferecem diversos produtos e serviços das mais variadas marcas nacionais e internacionais. São alguns deles: Manauara Shopping; Amazonas Shopping Center; Manaus Shopping São José; Millennium Center; Shopping Studio Cinco.

Praia da Lua
Praia da Lua

Bonita e com um formato de lua crescente, tem uma grande extensão de areia branca, águas límpidas e mornas. Fica a 23 quilómetros de Manaus, com acesso por vias fluviais. São apenas cinco minutos de barco a partir da Ponta Negra.

Encontro de águas
Encontro de águas

Um fenómeno natural, resultado incrível da junção das águas barrentas do rio Negro com as águas pardas do rio Solimões, que se juntam para formar o rio Amazonas. Por uma extensão de seis quilómetros, as águas dos dois rios correm lado a lado sem se misturarem.

Guia do Viajante

ver mapa maior

Manaus

onde ficar

Hotel do Largo Manaus

Go Inn Manaus

Caesar Business Manaus

Park Suites Manaus

Sleep Inn Manaus

Hotel Mercure Manaus

Novotel Manaus

Ibis Manaus

Comfort Hotel Manaus

Holiday Inn Manaus

Da Vinci Hotel

Quality Hotel Manaus

Tropical Manaus

Taj Mahal Hotel Manaus

Mercure Manaus

onde comer

Banzeiro
Rua Libertador, 102, N. Sra. das Graças
Tem a melhor costela de tambaqui e na especialidade brasileiro/regional.

Churrascaria Búfalo
Rua Pará, 491, Conjunto Vieiralves, N. Sra. das Graças
Apresenta a melhor carne e os espetos assam na brasa, numa churrasqueira giratória e são servidos em sistema de rodízio.

Casa do Mário
Rua Libertador, 102, N. Sra. das Graças
Tem a melhor costela de tambaqui e na especialidade brasileiro/regional.

Casa do Mário
Rua Rio Madeira, 39, Vieiralves
É considerado o melhor restaurante italiano de Manaus.

Shin Suzuran
Avenida João Valério, 762, Conjunto Vieiralves, Nossa Senhora das Graças
Se gosta de comida oriental, não deixe de experimentar as iguarias deliciosas deste restaurante.

O Lenhador
Av.ª do Turismo, n.° 2371 – Tarumã
Cozinha típica regional de alto nível com buffet de variedades únicas com pratos de peixes dos rios da Amazónia, frutos-do-mar, jacaré, arraia e tartaruga.

Casa do Bacalhau
Rua Paraíba, 1587 – Adrianopolis
Pode saborear pratos da cozinha portuguesa com destaque especial para o delicioso e incomparável Bacalhau à Lagareiro, entre outras especialidades.

passeios e excursões a não perder

City Tour – Manaus

Tour Encontro das águas

Tour de Sobrevivência

Cachoeiras de Presidente Figueiredo

gastronomia

Ingredientes indígenas e influências portuguesas e muito peixe de água doce. Experimente a caldeirada de tambaqui, o jaraqui na brasa, o pirarucu de casaca e o tacacá.

artesanato

O Mercado Municipal é um dos pontos onde se pode apreciar o artesanato indígena, que utiliza materiais da floresta. Entre tantas fibras e sementes de beleza, não deixe de conhecer a jarina, conhecida como o “marfim vegetal”.

informações

Moeda
Real

Idioma
Português

Documentos
Passaporte com validade mínima de 6 meses a contar da data de regresso. Cidadãos portugueses não necessitam de visto para estadias inferiores a 3 meses.

Fuso horário
-4 horas

clima

Equatorial, quente e húmido. Possui dias épocas distintas: cuva (de novembro a maio) e seca ou menos chuvosa (de junho a outubro).
Temperatura média: 26º C.

 

Texto: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala, Wiki Commons, Flickr
edição 7 a próxima viagem