página anterior
página seguinte
Fernando de Noronha - A ilha do paraíso
Praia do Sancho, Fernando de Noronha

Natureza riquíssima, praias, baías e muito sol e beleza.
Mais de 500 anos de história é o que oferece Fernando de Noronha, um destino mágico, onde se perde a noção do tempo, perfeito para descansar e relaxar!

Localizado em águas pernambucanas, o arquipélago de Fernando de Noronha, a 345 km da costa brasileira, a partir do Cabo de São Roque, é um dos últimos pontos no Oceano Atlântico localizado no hemisfério sul, apenas três graus abaixo da linha do Equador. Quem já lá foi diz que Fernando de Noronha é pedaço do paraíso na terra. Neste arquipélago encontram-se praias de tirar o fôlego, num santuário que é um exemplo de preservação e harmonia entre o homem e a natureza. Localizada a 545 km de Recife, Noronha recebeu o título de Património Natural pela UNESCO, com 70% do arquipélago Parque Nacional Marinho e o restante é Área de Preservação Ambiental.

As suas praias estão divididas entre as do mar de dentro e de fora. Fernando de Noronha é um local de mergulho de nível internacional, com lugares onde o turista pode mergulhar, observar os recifes de corais e diversas outras espécies marinhas. Além disso, possui boa estrutura voltada para o turismo, com diversas opções de restaurantes, bares e pousadas.

Praia da Conceição

De prisão a um lugar mágico!

Fernando de Noronha foi uma das primeiras terras “descobertas” em 1500, tendo sido registada pelo cartógrafo espanhol Juan de La Cosa. Dois anos mais tarde, o português Alberto Cantino referiu-se ao local pelo nome de “Quaresma” e, um ano depois, Américo Vespúcio fez os primeiros registos do interior da ilha principal, no dia 10 de agosto de 1503, voltados à fauna local e, por isso, foi-lhe atribuída a descoberta oficial do arquipélago.

Por causa do registo, realizado numa expedição exploratória comandada por Gonçalo Coelho, o local acabou por ser doado pela coroa, em 1504, ao português Fernão de Loronha, que tinha financiado a iniciativa. Estava criada, então, a primeira capitania hereditária do país, que nunca chegou a ser ocupada pelo donatário.

O arquipélago esteve abandonado mais de duzentos anos e chegou a ser rebatizado. Primeiro de Pavónia, durante a invasão holandesa, no século XVII. Depois, de Ile Delphine, por causa dos imensos golfinhos ali encontrado, no século XVIII, quando passou a fazer parte da rota de grandes navegações francesas. A ilha voltou a ser chamada pelo seu nome original quando foi incorporada pela Capitania de Pernambuco, em 1737, que construiu dez fortes de defesa.

Foi nessa altura que a ilha passou a ser utilizada também como presídio onde estavam presos condenados a longas penas. A distância da costa, a cessão do território para a União Federal e o uso histórico da ilha como detenção comum acabou por fazer com que Fernando de Noronha voltasse a ser um presídio, em 1938, destinado a presos políticos, que viram, quatro anos depois, o local tornar-se base de apoio durante a II Guerra Mundial. Somente após a Constituição de 88, o arquipélago foi reintegrado, como Distrito Estadual, a Pernambuco e passou a ser considerado Área de Proteção Ambiental.

Forte em Fernando de Noronha Dois irmãos em Fernando de Noronha

O que fazer

Assista às palestras do Projeto Tamar, na sede do Ibama, localizada na Alameda Boldró. Todas as noites são oferecidas palestras diferentes que orientam os turistas sobre a fauna e a flora da ilha.

Mergulho/Hidronave
Ideal para estar bem perto daqueles animais que costuma ver apenas em fotografias: golfinhos, nadar ao lado de tartarugas marinhas, raias ou tubarões – sem correr nenhum risco - é mais fácil do que se imagina. Por isso, não importa se tem medo ou não. Leve ou alugue um kit de snorkel, pé de pato e óculos de mergulho. A beleza mágica e o clima tranquilo fazem com que qualquer pessoa se perca e se transforme num “mergulhador nato”. Pode começar bem cedo na praia do porto, que, apesar de ser o ponto de encontro das embarcações, não apresenta qualquer tipo de poluição. Com o kit de mergulho, é fácil ver de perto cardumes incríveis, antes de embarcar no passeio da hidronave e encontrar espécies ainda mais impressionantes sem precisar de mergulhar. O o mergulho de cilindro, a 12 metros de profundidade, também proporciona uma experiência única ao lado da beleza que habita o mar de Noronha.

Passeios a fazer

  • Caminhada Histórica na Ilha
  • Projeto Navi
  • Ilhatur - Fernando de Noronha
  • Passeio de Barco a Baía dos Golfinhos
  • Entardecer Noronha
  • Aquasub ou pranchinha a reboque - Fernando de Noronha
  • Trilhas - Fernando de Noronha
  • Mergulho - Fernando de Noronha
Fauna local do arquipélago de Noronha

Gastronomia típica

Fernando de Noronha está longe de ser considerado um polo gastronómico, mas o peixes e os frutos do mar são os principais pratos servidos nos restaurantes. Contudo, há iguarias que não deve deixar de experimentar. É o caso do tubalhau, um bolinho frito preparado com carne de tubarão que tem uma textura macia, assim como o bacalhau, mas não é tão salgado. Também pode ser apreciado em forma de empada e tubalhoada, que na apresentação se assemelha à bacalhoada: lascas de tubalhau, refogadas com cebola e azeite. Pode apreciar esta iguaria no Museu do Tubarão.

Não deixe de conhecer!

Baía dos Porcos
Está entre as mais belas enseadas do Brasil, tem um mar calmo, ideal para banhos. A Ilha Dois Irmãos, o cartão de visita da ilha, fica ao lado formando piscinas naturais nos recifes. Apesar do acesso difícil, o local possui piscinas naturais de água cor verde-esmeralda e é “abençoado” pela beleza do Morro Dois Irmãos logo à frente. O local também é indicado para mergulho livre.

Baía do Sancho
É considerada a praia mais bela do país. Se o acesso for por terra, a aventura de descer por entre as pedras de uma falésia de 50 metros de altura e uma escadaria que mais parece não ter fim, sem dúvida, vai recompensar os turistas. A água transparente deixa visível o fundo do mar, mesmo que visto a cerca de dez metros de distância. Raias, peixes de um colorido espetacular e tartarugas marinhas são apenas alguns dos animais com os quais
pode nadar lado a lado.

Baía dos Porcos

Morro Dois Irmãos
Está localizado em frente à Baia dos Porcos, considerada a segunda praia mais bonita do Brasil, pois a primeira dizem que é a Baía do Sancho.

Vila dos Remédios

Baía dos Golfinhos
Como o nome diz, é um dos locais privilegiados para observar esta espécie de mamíferos. O show dos golfinhos deve ser visto do alto do miradouro da baía, já que o acesso é proibido. Este local é o considerado o maior aquário de golfinhos do mundo e, por isso mesmo, uma das atrações imperdíveis na visita a Fernando de Noronha.

Vila dos Remédios
Neste local encontra-se a zona histórica de Fernando de Noronha. O palácio São Miguel, a igreja de Nossa Senhora dos Remédios e o Forte do mesmo nome, antigos casarios e prisões, além do museu histórico são algumas das relíquias que devem ser visitadas. Um pouco mais à frente, o Bar do Cachorro é um ponto obrigatório de visita. A vista para a praia com o mesmo nome já dá uma amostra do que Noronha ainda tem para oferecer. Pela manhã, a praia oferece piscinas naturais e é frequentada principalmente pelos nativos. À noite, a programação do Bar do Cachorro e do Muzenza Bar (também conhecido por pizzaria), que fica ao lado, dão o tom de festa à ilha.

Morro Dois Irmãos
Está localizado em frente à Baia dos Porcos, considerada a segunda praia mais bonita do Brasil, pois a primeira dizem que é a
Baía do Sancho.

Morro do Pico



Morro do Pico
A praia da Conceição abriga uma das grandes atrações de Noronha. O Morro do Pico é um dos símbolos da ilha e por isso mesmo uma das mais visitadas. Entre os meses de novembro e março, quando a maré está mais agitada, o local é ponto de encontro de surfistas. Nos outros meses, as águas calmas são um convite ao relaxamento. Seguindo o mapa, a Praia da Cacimba do Padre é uma das maiores praias em extensão da ilha. No período de dezembro a abril, a praia apresenta ondas tubulares, onde se realizam campeonatos de surf e body board.

Paisagens
Os vários miradouros de Fernando de Noronha exibem paisagens de tirar o fôlego. Através dos trilhos é possível apreciar a riqueza da vegetação local, e até apreciar-se as mais belas de praias e baías (que às vezes têm acesso restrito).

Praia do Leão
Está na lista das mais belas praias do Brasil e é a maior do arquipélago de Fernando de Noronha, e fica no sudeste da ilha. É o principal ponto de desova de tartarugas marinhas. A cor da sua água impressiona, mas o mais fascinante é que parece uma praia selvagem, quase sempre deserta, o que garante o sossego e a sensação de estar mesmo num paraíso. O nome da praia faz referência à pequena ilha em frente, que muitos dizem parecer um leão deitado.

Praia da Cacimba
Guia do Viajante

ver mapa maior

Fernando de Noronha

onde dormir

Dolphin,
Vacaria

Pousada Solar das Andorinhas,
Rua São Miguel, 101, Vila dos Remédios

Pousada Maravilha,
Vila Do Vai Quem Sabe, Baía do Sueste

Pousada Solar de Loronha,
Rua Nice Cordeiro 38A, Floresta Velha

Beijupira Lodge Noronha,
Fernando de Noronha

Pousada Monsieur,
Fernando de Noronha

Native Lounge,
Fernando de Noronha

Casa Blue Mar Atlântico,
Alameda da Bela Vista, Floresta Nova

Joab’s House,
Praia da Conceição

Pousada do Francês,
Fernando de Noronha

Pousada Solar dos Ventos,
Vila Vai Quem Sabe, Sueste

Pousada do Vale,
Fernando de Noronha

onde comer

Da culinária local destacam-se os frutos do mar. Há uma profusão de receitas à base de peixe e crustáceos.

Tejuaçu
Fernando de Noronha

Tartarugão
Alameda Boldró

Alameda do Paraíso
Alameda Boldró

Paraíso do Atlântico
Vila do Trinta

Zé Maria
Floresta Velha

Mergulhão
Fernando de Noronha

Beijupirá
Floresta Velha

Varanda
Vila do Trinta

Cacimba Bistro
Vila dos Remédios

Maravilha
Vila do Sueste

Ecologikus
Vila dos Remédios

Xica da Silva
Floresta Nova

Flamboyant
Fernando de Noronha

como se deslocar

Os veículos mais utilizados em Fernando de Noronha são os buggies sem capota. São usados como táxis ou para passeios pela ilha. Os motoristas, em geral nativos, podem servir como guias e levar o visitante aos locais mais bonitos e aos recantos menos conhecidos.

táxis

Pode optar pelo táxi comum, encontrado com facilidade nas ruas ou pelo serviço de rádio-táxi. Recomenda-se que dê prioridade aos táxis registados nos aeroportos e nas paragens perto dos hotéis. Não é hábito no Brasil dar gorjeta aos condutores de táxi, mas é comum arredondar-se o total a ser pago como forma de gratificação.

Gorjetas

A maioria dos restaurantes e bares inclui uma taxa de serviço de 10% no recibo. É habitual deixar um pouco mais se o serviço for considerado satisfatório. Quando não estiver incluída na conta, a regra geral é uma gorjeta de 10% a 15%.

informações

Moeda
Real

Idioma
Português

Documentos
Passaporte; Bilhete de Identidade ou Cartão do Cidadão

Fuso horário
- 3 horas

clima

Tropical, com temperaturas que oscilam entre os 20º C e os 34º C. Entre os meses de Agosto e Novembro as águas da região do Mar de Dentro são calmas e propícias para a prática do mergulho. Já entre Dezembro e Março o mar fica mais agitado com boas ondas para o surf.

artesanato

Os artesãos de Noronha fazem mais do que peças e recordações: produzem produtos a pensar na preservação da natureza, como acontece com as biojoias – feitas com fibras naturais, além de azulejos, esculturas e outras peças decorativas feitas de materiais recicláveis.

 

Texto: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala, Wiki Commons e Flickr | Agradecimentos: Diário de Pernambuco (www.diariodepernambuco.com.br)
edição 9 a próxima viagem