página anterior
página seguinte
Chipre: A ilha de Afrodite
Chipre Chipre Chipre Chipre

Tem vontade de se perder numa ilha do Mediterrâneo Oriental? Então vá até ao Chipre que tem uma paisagem variada de costas escarpadas, praias de extensos areais, colinas rochosas e montanhas arborizadas.

Montanha de Troodos e a linha verde que separa a zona grega e a zona turca

O Chipre é um país diverso, a meio caminho entre a Europa e a Ásia, um país ideal para férias. Com um clima cálido, o Chipre, que foi o berço de Afrodite, surpreende pelas paisagens intocadas do seu interior e pela generosidade desarmante das suas gentes.

O Chipre é a maior ilha do Mediterrâneo Oriental, estando situada a Sul da Turquia. As duas principais regiões montanhosas (Carpas a norte e Trogodos na parte central e a sudoeste da ilha) estão separadas pela planície fértil de Mesoreia.

Foi desde tempos remotos uma zona de passagem entre a Europa, a Ásia e África, existindo ainda hoje inúmeros vestígios de sucessivas civilizações (vilas e teatros romanos, igrejas e mosteiros bizantinos, castelos do tempo dos cruzados e testemunhos de habitat pré-históricos).

As principais atividades económicas são o turismo, a exportação de vestuário e de artesanato e a marinha mercante. Bordados, cerâmica e trabalhos em cobre são as principais especialidades do artesanato tradicional.

As especialidades gastronómicas locais são os tradicionais mezze, uma série de petiscos servidos como prato principal, o queijo halloumi e a aguardente zivania.

Após a ocupação da parte Norte da ilha pela Turquia em 1974, as comunidades cipriotas, grega e turca ficaram separadas pela denominada Linha Verde. A zona grega aderiu à União Europeia, mas o país continua dividido por essa “linha”, patrulhada por tropas turcas e gregas e por soldados da ONU. É possível cruzar a fronteira, ou a “green line”, mas apenas da República do Chipre para a zona ocupada e apenas por um dia.

Chipre é também conhecida como a Ilha de Afrodite, a deusa do amor e da beleza, que, segundo reza a lenda, aí terá nascido. No domínio da cultura, destacam-se, na literatura moderna, o poeta e escritor Costas Montis e o escritor Demetris Th. Gotsis e, na música, os compositores Evagoras Karageorgis e Marios Tokas.

Mosaicos restaurados Pintura religiosa

Atrações a não perder!

O Chipre oferece muitíssimas atrações turísticas de praia e arqueológicas, sendo estas últimas localizadas em Curium e os Colossos, cujas termas e mosaicos, quase inteiramente recuperados, são o destaque da ilha que está ligada ao culto e ao mito de Afrodite. Tem um grande fluxo de turistas durante o verão, quando o calor e sol são fortíssimos. A noite também é bastante agitada com vários bares, com ares típicos de “pubs”.

As praias são lindíssimas, como é comum nas ilhas gregas e há muitos passeios e atividades relacionadas com o mar, além de ótimos hotéis e resorts por toda a costa.

Na estrada, onde se conduz pela esquerda (já que Chipre foi uma colónia britânica), chega­-se à belíssima área onde fica – no alto de uma colina com vista para o mar e de parte da costa cipriota – a zona arqueológica de Curium. A Natureza é agreste como na Grécia, mas lindíssima tanto pelas ruínas quanto pela vista. Passa-se por campos plantados com cítricos e por pequenas vilas e sobe-se à zona arqueológica.

Curium Curium Curium
Santuário de Apolo Santuário de Apolo

Onde ir

Zona arqueológica de Curium
Ideal para conhecer os belíssimos e muito conservados mosaicos, protegidos por uma bela estrutura de madeira e uma bonita arquitetura. Depois, os Banhos da Casa Efstolios, a seguir o Anfiteatro e, finalmente, as ruínas de alguns templos, entre eles o de Apolo, infelizmente apenas restos, já que sucessivos terramotos destruíram as edificações mais altas.

Curium foi fundada por gregos no século XIV a.C. e nela há ruínas como o teatro romano, a basílica, o ágora, as termas romanas, belos mosaicos, a casa dos gladiadores.

Monte Olimpo
O Monte Olimpo é a cota de mais alto nível que se encontra em Chipre, os seus quase dois mil metros de altura irá dar-lhe uma deslumbrante visão de grande parte da ilha. O Monte Olimpo é um daqueles lugares que não deve deixar de conhecer. Está localizado nas Cordilheiras de Troodos e é um lugar onde está também uma pista de esqui.

O Monte Olimpo e toda a cordilheira à sua volta é, sem dúvida, um dos marcos emblemáticos que pode encontrar neste belo país para visitar e desfrutar da natureza e dos desportos ao ar livre.

Santuário de Apolo
É muito antigo, é do século 5 a.C.! Fica em Curium e trata-se de uma das mais importantes ruínas do Chipre e do mundo romano. É uma zona histórica extremamente bem conservada e estruturada pelo governo do país, com uma área com 15 000 metros quadrados e com uma paisagem de tirar o fôlego.

Praias de Ayia Napa
Próximo de Larnaka encontrará as praias de Ayia Napa, as mais proeminentes e visitadas, sendo uma das mais importantes e principais deste país, e são conhecidas como a “Tarifa” ou a “Ibiza” de Chipre. Com areia dourada, muitos bares com música, as águas não muito frias e cristalinas e um ambiente juvenil é tudo o que precisa para passar umas férias agradáveis.

Ruínas em Salamina

Salamina
Na costa leste da ilha de Chipre, encontrará Salamina, uma cidade antiga e em que foi descoberto olegado de muitas civilizações: restos fenícios, as ruínas da Idade do Bronze, restos bizantinos e assírios. Fundada em 1200 a.C pelos os gregos, foi palco da famosa Batalha de Salamina com a chegada dos persas. Mas também foi ocupada pelos romanos e pelos judeus. Foi destruída por dois terremotos e reconstruída pelos árabes.

Atualmente é um lugar muito interessante, com monumentos, edifícios e ruínas que marcam a sua história ao longo do tempo: o ginásio, onde os soldados se preparavam para as batalhas, o grande teatro, as praças, os edifícios públicos, os banhos públicos, o porto e o mosteiro.

Limassol
É uma cidade conhecida pela sua beleza, pelas suas praias, mas também pelos seus vinhos, os melhores, de todo o Chipre. É uma cidade onde se pode explorar o bairro turco e desfrutar dos seus vinhos nos inúmeros centros vinícolas que aqui se encontram.

Os Banhos de Afrodite
O lugar onde a deusa se banhava após as suas aventuras amorosas, são uma das principais atrações de Polis, província de Akamas. Diz-se que o seu amante favorito – Adónis – terá morrido aqui perto, devorado por um javali, pelo que as anémonas do Chipre, ao invés do natural tom azulado, tomaram a cor do sangue derramado e das lágrimas de Afrodite.

O local, no entanto, assemelha-se, mais do que a um palco de tragédias, a uma piscina natural escavada na rocha, alimentada pela água que escorre das rochas e decorada pela vegetação luxuriante que cresce em redor. É proibido aí mergulhar, mas, do outro lado da encosta, uma pequena praia de cascalho e águas transparentes é ainda mais convidativa e cumpre na perfeição a tarefa de refrescar o viajante sob o escaldante sol do meio-dia. Juntamente com a Rocha de Afrodite, os Banhos assinalam o culto ancestral que aqui se faz à deusa do amor e da beleza, divindade protetora da ilha. Segundo a lenda cipriota, terá sido junto a um rochedo, situado nas imediações de Paphos, que Afrodite emergiu de uma concha envolta em espuma do mar, esta última produzida, nem mais nem menos, do que pelos genitais de Urano, depois de o seu filho Kronos os ter atirado ao mar.

Banhos de Afrodite Mesquita de Santa Sofia no lado turco de Nicósia

Nicósia
Capital do Chipre, é única na Europa, que desde a queda do Muro de Berlim se encontra dividida em duas. Aqui não existe um muro, mas uma linha verde militarmente controlada que separa a cidade em duas: a grega e a turca.

No entanto, poderá visitar o Museu Municipal Leventis, que mostra o desenvolvimento da cidade desde as suas origens, ou a Catedral de São João, onde encontrará um museu com frescos do século XVIII. Na zona norte está localizada a praça de Ataturk e a sua porta de Girné, o Hamman ou banhos turcos.

castelo de Kolossi

Castelo de Kolossi
Em Limassol, na periferia desta grande cidade, encontrará o castelo de Kolossi, construído durante as Cruzadas por parte dos Cavaleiros Hospitalários. É um dos monumentos mais importantes de Chipre.

Guia do Viajante

ver mapa maior

Austrália

onde ficar

Asty Hotel
(Nicósia)

Crown Inn Hotel
(Nicósia)

Hotel Dedeman Olive Tree
(Kyrenia)

Hotel Iberostar Ledra Beach
(Paphos)

Elysium Hotel
(Paphos)

Alion Beach Hotel 
(Ayia Napa)

Alion Beach Hotel
(Ayia Napa)

Four Seasons Hotel
(Limassol)

Le Meridien Limassol Spa and Resort
(Limassol)

Amathus Beach Hotel Limassol
(Limassol)

 

 

onde comer

Louis Taverna & Restaurant
(Nicósia)

Laona Restaurant
(Paphos)

Samisen
(Paphos)

Laona Restaurant
(Paphos)

Aqui Cafe Bar Cyprus
(Paphos)

The Vine Leaf Tavern
(Limassol)

Limanaki Restaurant
(Limassol)

O Vrakas Taverna
(Limassol)

Meze Taverna Restaurant
(Limassol)

Sage Restaurant & Wine Bar
(Ayia Napa)

Meze, por favor!

Pedir a ementa é desnecessário em qualquer boa taverna cipriota. Isto porque o prato nacional é, antes, um conjunto de 20 entradas servidas em pratos pequeninos – os chamados meze – que se devem ir degustando lenta e modestamente.

Os meze são compostos por purés de legumes, saladas frescas, peixe e carne associados a molhos enriquecidos, finalizados com fruta da estação. Entre os pratos mais frequentes contam-se a salada mista, o queijo halloumi grelhado, feijões estufados, courgettes, folhas de videira estufada com arroz, tahini (pasta de sésamo com azeite e limão), húmmus (pasta de grão de bico), salsichas grelhadas e moussaka (beringelas com carne picada e puré de batata).

Relativamente ao peixe, este não é muito abundante devido à falta de plâncton na costa Oeste do Chipre, sendo por isso aconselhável antes de entrar em qualquer restaurante verificar se este faz parte da lista. Refira-se ainda que as tavernas que servem os melhores meze nem sempre são as mais elegantes, pelo que o melhor será consultar os locais.

informações

Moeda
Euro

Idioma
Grego e turco são ambas línguas oficiais. O inglês também é uma das línguas mais faladas.

Documentos
Passaporte com validade mínima de 3 meses. Não são requeridos vistos para entrar no Chipre a pessoas provenientes dos países europeus.

Fuso horário
+ 2 horas 

Voltagem
240 volts com tomada de 3 pinos.

clima

Tipicamente mediterrânico. A temperatura média diária de Junho a Setembro é de 32º C ; 16ºC de Dezembro a Fevereiro; 25ºC de Março a Maio e de Outubro a Novembro. É um destino quente. Recomenda-se roupas de algodão para os meses de verão.

 

Texto: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala, Wiki Commons, Flickr | Agradecimentos: Cyprus Tourism Organization
edição 9 a próxima viagem