Zanzibar: A ilha de Freddy Mercury

Zanzibar: A ilha de Freddy Mercury

Artigo de Redação

É uma ilha exótica e charmosa, com ruelas tortuosas e labirínticas, onde facilmente nos perdemos, mas também com facilidade nos reencontramos, graças à afabilidade e à hospitalidade dos habitantes. A atmosfera envolvente e condimentada com a cor e os cheiros das mil e uma especiarias – cravinho, noz-moscada, pimenta-do-reino, canela – deixam qualquer um inebriado e definitivamente rendido. Daí ser conhecida como a “ilha das especiarias”. Banhada pelas águas mornas do oceano Índico, é um destino mítico, graças às suas lendas da Antiguidade, dos grandes tesouros da sua vegetação, das maravilhosas praias de areia fina e águas azul-turquesa.

Zanzibar é formada por duas ilhas (Unguja ou Zanzibar e Pemba), sendo que 90 por cento da população é muçulmana e a economia gira em torno da agricultura de especiarias e do turismo. Estas ilhas têm uma quantidade enorme de resorts e hotéis de luxo, onde é possível usufruir de umas férias inesquecíveis, tendo como companhia as mornas e cristalinas águas do Índico!

Pela capital, Stone Town (Cidade da Pedra), que é a alma de Zanzibar, onde estão os mercados, lojas, museus e restaurantes, já passaram invasores de diferentes nacionalidades. As casas com portas de madeira talhadas em estilo indiano e os prédios coloniais refletem o seu passado: comerciantes indianos que importavam fruta, aventureiros portugueses à procura de uma passagem para as suas caravelas e sultões Omanis que deram o nome à ilha e a tornaram o centro das especiarias e de escravos.

Atualmente, as surpresas vão da gastronomia, perfumada com especiarias, à cultura miscigenada, com muito de África negra e outro tanto de Oriente. O lugar é perfeito para os que procuram alguns dias de praia com safari.

Spice Island

Zanzibar é conhecida como Spice Island – Ilha das Especiarias –, porque ali se produz, nas spice farms, muitos, mas muitos temperos e fruta, como baunilha, noz-moscada, pimenta, açafrão, canela, cardamomo, gengibre, cravo, banana e laranja, entre outros.

Stone Town

Farrokh Bulsara versus Freddy Mercury
Não se chamava Freddy, nem Frederico, e não nasceu em Londres. Freddy Mercury era o nome artístico de Farrokh Bulsara, que nasceu a 5 de setembro de 1946, em Stone Town, em Zanzibar. Reconhecido como uma das vozes mais brilhantes da história da música, também se destacava pelas suas brilhantes interpretações. Na altura do seu nascimento, Zanzibar pertencia às colónias britânicas. A sua mudança para a Inglaterra ocorreu aos 18 anos, durante um período politicamente conturbado na região.

O apelido Freddy foi-lhe dado pelos colegas, aos oito anos, quando andava em St. Peter Boarding School, uma escola inglesa perto de Bombaim, na Índia.

Passeios a fazer:

Praias
Quem gosta de mergulho e da vida marinha não pode perder as belezas do oceano Índico. A praia de Mangapwani é a mais remota, mas a mais tranquila por ser pouco visitada. Com as suas palmeiras, tem uma atmosfera perfeita também para quem quer descansar. A Nungwi Peninsular é uma das mais populares. Além dos lagos de corais, há uma fábrica de barcos e um aquário de tartarugas.

Reservas florestais
A reserva florestal de Jozani está localizada no centro da ilha, abrigando espécies raras, sendo que a fauna inclui também 50 espécies de borboleta e 40 de pássaros. A reserva florestal de Ngezi tem árvores que não se encontram em qualquer outro lugar do Mundo. A Kiwenga/Pongwe está próxima de uma praia. Assim, também pode aproveitar para dar um mergulho logo após a visita.

Dhow cruising
O passeio nos dhows, uma espécie de barco de madeira, é muito tradicional. A embarcação, equipada com motores, é segura. Conhecer as ilhas, descansar nas praias e assistir ao pôr-do-sol é algo que não pode perder. Na ilha de Tumatu, por exemplo, encontra ruínas de uma mesquita do século XIV e casas feitas em pedra do século XII. Para visitá-la, é preciso pedir uma autorização nas agências de turismo. A Changuu Island tem uma prisão construída pelos britânicos, mas que nunca foi usada como tal.

Ruínas
A História de Zanzibar foi muito preservada através de diversas ruínas que pode visitar. É um passeio pelo tempo, pela História e pela arquitetura. Há restos de diversos palácios construídos pelos sultões, como Maruhubi Palace Ruins, Dunga Ruins e Mtoni Palace Ruins.

Museus
O Sultan Palace Museum serviu de residência oficial aos sultões. Aqui, poderá encontrar utensílios e peças típicas da família real britânica do século XIX. O Peace Memorial Museum é um excelente lugar para conhecer também a História de Zanzibar, com relatos da época da escravidão, arte, moeda e selos. No local há ainda um pequeno museu de história natural.

Visitas obrigatórias:

Casa dos Sonhos
Construído em 1883 pelo sultão Seyyid Bargash, dizia-se que era o prédio mais alto da África Oriental. Foi usada como salão de festas para antigos sultões e governantes. Os canhões portugueses à sua frente foram construídos no século XVI. Catedral de São José Igreja católica romana construída no final do século XIX.

Cúpula do templo hindu Shakti
Casa religiosa oferecida aos diversos deuses indianos.

Ruínas do antigo Forte Árabe ou Forte Omani
Construído pelos árabes omanis em 1710, no lugar de uma capela portuguesa, foi usado como hospedaria do Exército. É o edifício mais velho da cidade e, atualmente, é utilizado para concertos ao ar livre.

Igreja Anglicana Catedral de Cristo
Construída em 1873, no mesmo local onde havia o último mercado de escravos. A pedido do sultão Bargash, a sua torre deveria ser mais baixa do que a do prédio Beir El Ajaib (Casa dos Sonhos).

Palácio da Justiça
Um dos vários prédios em Zanzibar desenhados por J. H. Sinclair, no início do século XX.

Ismaili Khoja Dispensary
Presenteado para a comunidade ismaili pelo senhor Tharia Topan, em comemoração do jubileu da rainha Victoria, foi usado como despensa e hoje abriga a Casa da Cultura.

Hammamni
Antiga casa de banhos turca, onde um guia explica, detalhadamente, toda a sua história.

Africa House
Um antigo clube inglês, lugar interessante para se informar sobre viagens e excursões.

Faça um spice tour até às fazendas
Para conhecer e ver de perto como é o cultivo das especiarias locais.

O Museu Casa da Paz, o Mercado Municipal e a Mesquita Ibadhi, ao lado da igreja católica, também são locais de interesse de visita obrigatória.

< >

Guia do viajante

Onde ir

Stone Town Cultural Centre
Beit el Ajaib

Onde comer

Lazuli
Ocean Restaurant
Essence Restaurant

Onde ficar

Chumbe Island Coral Park
Anna of Zanzibar
Essque Zalu Zanzibar
The Residence Zanzibar
Lazuli
Ocean Restaurant
Essence Restaurant
Chumbe Island Coral Park
Anna of Zanzibar
Essque Zalu Zanzibar
The Residence Zanzibar
Stone Town Cultural Centre
Beit el Ajaib

Clima

Zanzibar tem um clima ideal para férias de praia durante quase todo o ano, com exceção dos meses de abril e maio, a estação das chuvas mais duradouras. O calor do verão é suavizado por brisas particularmente frequentes nas costas Norte e Este da ilha. Estando perto da linha do Equador, possui um clima quente permanente, mas, oficialmente, o pico do verão é em dezembro e do inverno em junho.

Documentos

Passaporte (validade mínima de seis meses) e visto obrigatório.

Outras Informações

Vacinas: Obrigatória a vacina da febre amarela e precauções contra a cólera e a malária. Também é recomendada a imunização contra a tifóide e a hepatite A. Moeda: Xelim da Tanzânia. Idioma: Inglês e suaíli. Fuso horário: + 3 horas

Compartilhe o artigo

Top