Fontana di Trevi: O melhor que Roma tem!

Fontana di Trevi: O melhor que Roma tem!

Fontana di Trevi: O melhor que Roma tem!

12-02-2018

12-02-2018


Aproveitar as viagens low cost é sempre uma boa ideia para os amantes de viagens. Essa é uma tradição (quase) anual cá por casa. Escolher uma determinada altura do ano, pesquisar destinos, preços e… comprar! E Roma, em Itália, foi a última “escapadinha” além-fronteiras.

Confesso que nunca foi uma das minhas viagens de topo. Era um dos locais que queria visitar, mas nunca foi a primeira opção! Vários amigos já lá tinham estado e o feedback era mais do que positivo, por isso, as expectativas eram altas.

Marcámos hotel (procuramos sempre algo barato!) mais perto da data de partida e, como sempre, fizemos um mini roteiro do que iríamos visitar em quatro/cinco dias.

Não vou relatar cada sítio onde fomos, pois dava um artigo gigante, mas vou dar destaque a um local que me surpreendeu de várias maneiras: a Fontana di Trevi (ou Fonte de Trevi, em bom português).

O nosso hotel ficava na zona de Termini (bem perto da estação de comboios) e a primeira impressão não foi a melhor. A nossa ideia sempre foi percorrer a cidade a pé. Queríamos evitar os transportes e efetivamente, Termini não foi a melhor opção para isso. Além de ser uma zona suja e com pessoas não com muito bom aspeto, acabou por ficar distante de grande parte do que queríamos visitar. (Atenção! Para quem quer andar de transportes é ótimo!)

O facto de estarmos distantes fez com que durante os poucos dias que lá estivemos andássemos cerca de 15/20 Km’s por dia. E ainda bem que assim foi! Vimos cada espaço, cada monumento, como se de uma verdadeira caça ao tesouro se tratasse! E foi isso que senti na Fontana di Trevi (desculpem, mas escrever em italiano faz jus à beleza do local).

Seguimos as indicações por ruas estreitas. Por momentos até duvidei que estaríamos a seguir o caminho certo, mas as placas indicavam que estávamos corretos. Comecei a ver muitas pessoas, até que percebi o que se passava. A fonte que achei estar localizada numa praça enorme, estava afinal numa espécie de “praceta” (estou a exagerar, mas foi o que senti no momento). Um monumento mágico, com prédios à volta, com milhares de pessoas a tirar fotografias, com moedas a voar em cada segundo que passa, com sorrisos nos rostos após o pedir de desejos, com polícia a apitar cada vez que alguém se “estica” e tenta tirar fotografias mais no interior da fonte… senti-me num filme. Daqueles românticos, de domingo à tarde.

Tal como manda a tradição, mandei moeda para a fonte e pedi um desejo. Diz a lenda que quem cumpre este ritual encontrará o amor em Roma. A ideia não era essa – até porque o meu amor estava ali, à minha frente, com muita paciência, a registar o meu momento de turista deslumbrada -, mas não podia não cumprir o ritual.

Fui à Fontana di Trevi quase todos os dias que estive em Roma (claro que fui a todos os outros locais turísticos, mas este encantou-me mesmo). De dia é bonita… mas de noite… Ai de noite… é, sem dúvida, maravilhosa.

Ir a Roma e não ver o Papa é mau, mas quem for a Roma e não se sentar a apreciar a Fontana di Trevi, ao mesmo tempo que come um geladinho, não sabe o que é a vida.

Ah! E por falar em gelado! Na geladaria mais famosa daquele local, tenham atenção ao facto dos simpáticos senhores vos oferecerem uma bolinha de gelado… é que no final, acabam por ter de a pagar! E para quem quer mandar uma moeda para a fonte, não convém gastar os trocos todos num geladinho que alegadamente seria oferecido, não é verdade?

 

Textos: Susana Miranda; Fotos: Marco Alves


(Se quer partilhar a sua história envie email para aproximaviagem@worldimpalanet.com)

< >

Partilhar Artigo

Top