A forma como o Campeonato Europeu de Futebol desenvolveu o mercado de turismo na Europa

A forma como o Campeonato Europeu de Futebol desenvolveu o mercado de turismo na Europa

A forma como o Campeonato Europeu de Futebol desenvolveu o mercado de turismo na Europa

Artigo de Redação 06-08-2021

06-08-2021


O Campeonato Europeu de Futebol de 2020, que teve lugar em 2021, contou também com uma organização diferente. Até à edição de 2016, o Euro disputava-se, normalmente, apenas num país, ou em dois países organizadores.

· Em 2021, o Euro ocorreu em 11 cidades de 11 países, dando-se prioridade aos organizadores de jogarem os seus jogos em casa. As cidades escolhidas vão desde grandes capitais europeias até cidades de menor dimensão: Londres (Inglaterra), Munique (Alemanha), Roma (Itália), Baku (Azerbaijão), Sevilha (Espanha), Glasgow (Escócia), Copenhaga (Dinamarca), Budapeste (Hungria), passando por Bucareste (Roménia), Amesterdão (Países Baixos) e São Petersburgo (Rússia).

· A participação destas cidades deu oportunidade a alguns países de mostrarem a sua cultura. Durante o decorrer do Euro 2020, os países aproveitaram para se dar a conhecer a todos os espectadores e visitantes dos seus estádios e cidades.

Cidades

· Esta foi a 16.ª edição do Campeonato Europeu de Futebol, ocorrendo, pela primeira vez, fora da data estabelecida, devido à situação global atual. Em todos os estádios, foram permitidos adeptos. Cada estádio, conforme as restrições de cada país, teve um determinado número de espectadores possíveis.

· Alguns estádios apenas puderam ter 30% da capacidade ocupada, mas alguns tiveram a possibilidade de estar cheio, algo que já não se via há muito tempo. Os adeptos aproveitaram para conhecer um pouco mais dos países onde estão, assim como dos seus oponentes.

· As apostas desportivas nas partidas do Euro 2020 foram facilitadas devido ao site e facilidade de acesso online.

· O aspeto que diferenciou o Euro 2020 das edições anteriores foi a maior quantidade de viagens dos adeptos. Anteriormente, os adeptos deslocavam-se todos para um país na Europa. No Euro 2020, os adeptos viajaram de muitos países diferentes para vários países na Europa.

· O jogo de abertura ocorreu a 11 de junho, em Roma, e a final decorreu no dia 11 de julho em Londres. Todas as cidades receberam três partidas da fase de grupos, mais uma partida eliminatória; no caso de Londres, a cidade recebeu também as finais. Apesar da situação atual, no tempo livre os visitantes puderam ficar a conhecer mais sobre alguns países. São Petersburgo, na Rússia, ou Baku, no Azerbaijão, viram o número de turistas aumentar exponencialmente devido ao Euro 2020.

· Baku, uma das cidades menos turísticas dos anfitriões do Euro 2020, é conhecida pelos seus edifícios antigos e históricos. Nesta cidade há uma fusão entre o antigo e o contemporâneo, que poderá gerar interesse turístico neste verão e nos próximos.

· São Petersburgo pode ver também o interesse turístico aumentar, pelos seus inúmeros museus e palácios.

· Bucareste está tornar-se, e contou com a ajuda do Euro 2020, uma das cidades de referência no sudeste europeu. A mistura de construções que oferece, leva os turistas a uma viagem ao passado.

· Budapeste, numa zona central da Europa, tem visto o seu turismo aumentar exponencialmente também nesta fase. Nesta cidade, também o histórico e o moderno convivem, num potencial turístico muito abrangente.

· As restantes cidades europeias, tipicamente turísticas, beneficiaram também deste torneio. O seu número habitual de turistas poderá voltar em poucos meses, caso a pandemia o permita.

· Com muitas companhias aéreas a realizarem voos extra durante este torneio, assistimos, assim, a um aumento das atividades económicas nos países organizadores. O verão de 2021 poderá beneficiar, em termos turísticos, do maior interesse dos viajantes que foram aos estádios.

· No futuro, mantendo-se este formato de torneio com várias cidades-sede algumas cidades menos conhecidas poderão tornar-se pontos turísticos europeus.

· Os países europeus estão, por isso, a preparar-se para receber os turistas durante a temporada de verão. Com medidas adaptadas a cada local, a Europa volta assim a receber turistas de todo o mundo.

· Espanha, por exemplo, prevê chegar a 70% do volume de turistas que teve em 2019, durante este ano. Itália espera que este número aumente 20% face ao ano passado.

· Neste formato, mesmo as equipas tiveram de realizar milhares de quilómetros para competir, o que também confere outra dimensão de estratégia aos torneios.

· Para alguns jogadores, foi a primeira vez que tiveram contacto com alguns países. Este facto pode levar a um maior interesse no futuro, no caso de férias pessoais e recomendações a familiares e amigos.

· A Suíça, por exemplo, viajou pouco mais de dez mil quilómetros em oito dias. No total, a equipa passou cerca de 25 horas a viajar. A seguir surge a Polónia, com 9456 kms quilómetros percorridos, com mais de 13 horas de viagem.

· Recentemente a Comissão Europeia disse ter um “otimismo cauteloso” sobre a retoma do setor do turismo este ano na União Europeia. Esta entidade prevê que em 2021 os números do turismo melhorem, não chegando, ainda, aos níveis pré-pandemia.

(Conclusão)

O futebol move multidões e, neste caso, foi também um bom impulsionador do turismo em várias capitais europeias. Depois da queda devido à situação atual, o número de viagens aumentou e poderá manter-se em alta, com a influência deste novo formato de Campeonato Europeu de Futebol.

Partilhar Artigo

Top