Japão tem plano para pagar a turistas que queiram visitar o país

Japão tem plano para pagar a turistas que queiram visitar o país

Japão tem plano para pagar a turistas que queiram visitar o país

Artigo de Redação 27-05-2020

27-05-2020


O governo do Japão está a procurar soluções para impulsionar o turismo. Segundo a imprensa local, a ideia passa por dar cerca de 11,5 mil milhões de euros em financiamento, embora ainda não se saiba como é que este valor será distribuído pelos turistas estrangeiros.

Atualmente com um ritmo alucinante e densamente povoada, Tóquio é um dos destinos mais atrativos para os estrangeiros e absorveu por inteiro a cultura consumista ocidental e deu-lhe uma dimensão própria. A população jovem, completamente rendida às regras da moda, desfila pelas cintilantes e sobrelotadas ruas como que “fardada” com as últimas criações dos estilistas e equipada com as mais recentes novidades tecnológicas.

Leia ainda: Quioto, o Japão tradicional dos Templos e das Gueixas

Tóquio é o principal centro político, financeiro, comercial, educacional e cultural do Japão. Possui a maior concentração de sedes de empresas comerciais, instituições de ensino superior, teatros e outros estabelecimentos comerciais e culturais do país, assim como um sistema de transporte público altamente desenvolvido, com numerosas linhas de comboios, metros e autocarros, bem como o aeroporto internacional. Além disso, a cidade continua a encantar pelo seu estilo zen, gastronomia, centro de compras e a rica oferta de entretenimento para todos os gostos.

Asakusa: A Tóquio antiga

Famosa por albergar o templo mais antigo de Tóquio, durante dois séculos a região foi mais conhecida como um animado e indecoroso bairro de entretenimento, onde se localizavam os cinemas, os teatros populares, as casas de jogo e de dançarinas. Muitos desses estabelecimentos desapareceram, mas Asakusa continua a ser uma zona diferente e charmosa. A região é plana, boa para andar a pé – um dia passado ali é muito agradável, mas aos fins de semana recebe um mar de gente. Veja o que pode conhecer nesta zona:

O Kaminarimon é um portão de oito pilares, emoldurado pelos deuses do Vento e do Trovão e uma lanterna de quatro metros de altura. Tem menos de 50 anos e foi um presente de Konosuke Matsushita, fundador da Panasonic, para substituir um portão construído em 942, frequentemente destruído (incendiado pela última vez em 1945). O Kaminarimon marca o início da Nakamise Dori, uma imensa fila de lojinhas, a maioria de lembranças.

Veja também: Ogimachi, Suganuma e Ainokura, três aldeias históricas no Japão que conservam tradições ancestrais

O templo Asakusa Kannon existe desde 628, mas o prédio foi destruído e reconstruído inúmeras vezes, a última depois da II Guerra Mundial. É conhecido por guardar uma pequena estátua de ouro do bodisatva Kannon. Acredita-se que a mesma tenha sido encontrada por dois pescadores no rio Sumida. Antes de entrar no templo, “purifique-se” lavando as mãos e passando incenso pelo corpo. Depois, suba as escadas e balance a corda para tocar o sino (que alerta os deuses para a sua presença), atire cinco ienes no saisen bako – uma caixa –, depois bata palmas duas vezes (só para se assegurar de que os deuses estão realmente a prestar atenção) e reze.

O Gojuno-to é um pagode de cinco andares construído em 1973 e que só pode ser visto do lado de fora. Agora, é hora de diversão. O Hanayashiki é o mais antigo parque de diversões do Japão, com uma montanha-russa construída em 1953. Tem brincadeiras, refeições e atividades para todas as idades.

Tóquio Honganji é o templo escondido de Asakusa

O Edo-Shitamachi Traditional Crafts Museum é um museu que foi aberto em 1996, não apenas para mostrar o trabalho dos artesãos locais, mas também como as suas peças são criadas. Um lugar curioso, que recria a vida no centro de Tóquio do século XIX. Tóquio Honganji é o templo escondido de Asakusa, tendo sido construído em 1953. Foi queimado, ou severamente atingido, 11 vezes entre 1612 e 1945.

No rio Sumida veja a carismática ponte Azuma e, do outro lado do rio, o excêntrico Flamme d’Or – um prédio negro e sem janelas, com uma escultura em ouro gigante no topo que é conhecida como “cocó de ouro”, do designer francês Philippe Starck.

Divirta-se no Tokyo Disney Resort

O parque temático de Tóquio, Tokyo Disney Resort, é um grande recinto, com dois grandes parques de diversões, o Tokyo Disneyland e o Tokyo Disney Sea Park, juntamente com uma ampla oferta de serviços e hotéis.

O Tokyo Disneyland Resort foi criado em 1983 e não deixa nada a desejar aos parques da Disney que se encontram nos Estados Unidos e na Europa. Este parque está dividido em sete zonas temáticas, com nomes tão sugestivos como Critter Country, Toontown, Fantasyland, Westerland e Adventureland. Todas essas zonas temáticas foram cuidadosamente projetadas para proporcionar verdadeiras aventuras mágicas.

Não perca os animados desfiles, os espetáculos ao vivo e os magníficos fogos-de-artifício desta versão nipónica da Disneyland. Além disso, também pode aproveitar para visitar o Tokyo Disney Sea Park, um parque de diversões com 23 atrações, e o Ikspiari, uma área comercial com 120 lojas distribuídas em nove zonas de compras temáticas, além de vários restaurantes e salas de cinema.

Compras

O centro comercial mais famoso de Tóquio chama-se Ginza, um nome identificado com o consumo de luxo – muitas cidades do Japão batizaram as suas ruas comerciais com este nome. Shibuya é o bairro onde surgem as últimas tendências da moda.

Transportes

A capital japonesa oferece um dos melhores transportes urbanos do Mundo. Organização, limpeza e pontualidade são características marcantes da eficiente rede de metro, comboio e autocarro, que circulam para todos os sítios. Para facilitar, a maioria das estações tem sinalização e avisos bilíngues (japonês e inglês).

  • Japão tem plano para para pagar a turistas que queiram visitar o país
  • Estas são as cinco cidades mais populares para férias em todo o mundo
< >

Partilhar Artigo

Top