“Millennials” portugueses preferem destinos culturais às noitadas

“Millennials” portugueses preferem destinos culturais às noitadas

“Millennials” portugueses preferem destinos culturais às noitadas

Artigo de Hugo Mesquita

Por volta da época da Páscoa fazem-se capas e manchetes com o comportamento desapropriado dos jovens portugueses no sul de Espanha, para onde viajam para festejar o último ano no ensino secundário. As vozes da crítica são rápidas a apontar o dedo a mais uma “geração irresponsável de jovens portugueses”.

Fica a ideia de que, no que diz respeito a viagens, os jovens portugueses preferem noitadas e copos do que um local onde podem enriquecer culturalmente. Essa ideia, no entanto, segundo os dados mais recentes, está errada.

Em 2018, os jovens portugueses preferiram realizar viagens com fins culturais (39%), em detrimento de férias em destinos cujo o principal objetivo é participar em festas. Estes são os dados mais recentes da eDreams, uma das maiores agências de viagens online da Europa.

Jovens portugueses são os que mais importância dão à cultura na Europa

Mas nem sempre foi assim. Se os “millenials” têm esta tendência para escolher locais mais culturais, o mesmo não se pode dizer de outras gerações anteriores, como os “Baby Bommer” (atualmente, com 50 anos) que, segundo o mesmo relatório, quando tinham entre 20 e 29 anos, preferiam destinos com vida noturna (55%).

A nível europeu, os jovens portugueses são os que mais importância atribuem à cultura nas suas viagens quando tinham entre 20 e 29 anos. Para 27,4% dos portugueses inquiridos a cultura era um fator decisivo na escolha das viagens. Para os suecos, por exemplo, a cultura era um fator essencial de escolha do destino de férias apenas para 13% dos inquiridos.

Em relação ao género, 63% das mulheres portuguesas inquiridas afirmaram que nunca fizeram férias com o principal propósito de aproveitar a vida nocturna. As praias e as atrações turísticas surgem entre as principais preferências do sexo feminino. Os homens também consideram essenciais os destinos de praia, mas colocam em segundo lugar nas suas preferências a existência de alojamento com tudo incluído.

Partilhar Artigo

Top