Os moinhos de vento mais icónicos da Europa

Os moinhos de vento mais icónicos da Europa

Os moinhos de vento mais icónicos da Europa

Artigo de Redação 07-10-2021

07-10-2021


Quando falamos em diferentes tipos de turismo existe uma enorme variedade de categorias que podem ser enquadradas. Turismo de Saúde, Turismo Vinícola, Turismo Industrial, Turismo Gastronómico e muitos outros, representam essa mesma variedade. Logo, não é de admirar que existam entidades turísticas a promover os maiores segredos de cada país, baseados em diferentes áreas da cultura e história desse mesmo país.

No artigo de hoje entramos numa das categorias mais sui generis do turismo, as rotas. No caso, na rota dos moinhos de vento mais icónicos da Europa. Entre a Europa do Norte e Europa mediterrânica erguem-se “gigantes” do passado que contam a história de quem os construiu. Nesse sentido, este artigo trata então de listar os locais mais secretos da Europa no que toca a moinhos de vento. Terras fantásticas, com traços medievais, que merecem a sua visita na próxima viagem!

Rota dos moinhos de vento: locais imperdíveis na Europa!

Rodes, Grécia

O porto de Mandraki era um porto mercantil e militar nos tempos antigos. Hoje em dia, o porto é o lar dos iates modernos e espaços de restauração com vista para o mar. Duas colunas encontram-se à entrada. Uma coluna apresenta um veado de bronze, e uma coluna apresenta uma corça de bronze; o veado e a corça são emblemas de Rodes.

As colunas e estátuas encontram-se no local onde se encontrava o lendário Colosso de Rodes, uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo. No que toca aos moinhos de ventos, os visitantes encontrarão três medievais no porto de Mandraki. Estes antigos moinhos de vento eram utilizados para moer grãos trazidos de embarcações que atracavam no porto.

Oland, Suécia

Orgulhosamente marcados pelo vento, os moinhos de vento dão à paisagem de Öland a sua silhueta característica. Durante meados do século XIX, Öland tinha cerca de 2.000 moinhos de vento e o número manteve-se em grande parte inalterado na passagem do século. Nessa altura, era quase indispensável que cada quinta tivesse o seu próprio moinho de vento, visto que a criação de animais era cada vez mais prevalecente.

Dos cerca de 2.000 moinhos na ilha durante o século XIX, apenas cerca de 350 permanecem hoje em dia. Durante o início do século XX, o número de moinhos já diminuía. Com as novas tecnologias, chegaram também os moinhos, tornando os antigos redundantes em termos de trabalho agrícola. No entanto, todos eles são agora considerados património no país.

La-Mancha, Espanha

Castilla-La Mancha engloba as vastas planícies áridas do centro de Espanha. É uma terra de castelos medievais, vinho e os famosos moinhos de vento imortalizados no Dom Quixote de Miguel Cervantes. Os melhores exemplos de alguns dos “gigantes” contra os quais o herói de Cervantes entrou em batalha podem ser encontrados em Consuegra, onde vários velhos moinhos de vento espigam a colina mesmo à saída da cidade.

No que toca à obra de Cervantes, publicado em dois volumes em 1605 e 1615, acredita-se que Dom Quixote é o primeiro romance moderno, sendo traduzido em tantas línguas que muitos afirmam que apenas a Bíblia está disponível em mais línguas.

A título de curiosidade, além de Don Quixote, Cervantes escreveu também “Rinconete y Cortadillo”, um romance que tem a particularidade de falar sobre o Trente-un – a versão mais antiga do jogo de Blackjack – modalidade com diferentes nomes e regras – conhecido há mais de 600 anos. Esta novela decorre a caminho de Sevilha e também mostra a beleza rural da Andaluzia.

Zaanse Schans, Países Baixos

O Zaanse Schans é uma área de conservação ao ar livre e museu, na margem do rio Zaan, a norte de Zaandam – uma pequena e pitoresca cidade a norte de Amesterdão. Esta área residencial assemelha-se a um museu ao ar livre devido às suas casas de campo, padarias e moinhos de vento surpreendentemente bem preservados.

A maioria dos moinhos de Zaanse Schans estavam originalmente localizados noutros locais na Holanda, mas foram transportados para a área durante o século XX. Estas máquinas coloridas ainda estão operacionais e continuam a produzir uma gama de bens que inclui tinturaria, madeira e mostarda.

Mykonos, Grécia

Os moinhos de vento são características essenciais da paisagem da cidade de Mykonos. Os visitantes de Mykonos podem vê-los, independentemente do local. À distância, pode-se facilmente descobrir os moinhos de vento, cortesia da sua silhueta. Estão concentrados principalmente na vizinhança de Chora e alguns estão também localizados em Alevkantra e arredores.

No entanto, com o advento da modernidade, os moinhos de vento já não estão operacionais. Mas continuam a ser um símbolo do passado de Mykonos. Com centenas de anos, a maioria dos moinhos de vento foram completamente renovados e alguns foram mesmo convertidos em museus, o mais famoso o moinho de vento Bonis.

Kinderdijk, Países Baixos

Mais uma cidade holandesa nesta lista. Sendo que a maior concentração de moinhos de vento holandeses pode ser encontrada perto da aldeia de Kinderdijk. Nesta pequena cidade existe um elaborado sistema de moinhos de vento que foi construído para bombear a água dos pântanos de Zuid-Holland e ajudou a criar um grande trato de terra de baixa altitude que efetivamente transformou a área circundante em campos férteis.

Dezanove moinhos de vento foram construídos neste local durante o século XVIII, e a rede tem a maior concentração de moinhos de vento históricos dos Países Baixos. Hoje em dia, a área é um Património Mundial da Unesco e pode ser acedida através de um serviço de autocarros que viaja regularmente entre Roterdão e Kinderdijk (é uma das principais atrações turísticas dos Países Baixos).

Faial, Portugal

Como refere o Turismo dos Açores, os três Moinhos de Vento da Lomba da Conceição, cuja cor vermelha contrasta com a paisagem verdejante da ilha do Faial, são uma autêntica imagem de postal. Esta é, para muitos, umas das paragens obrigatórias nos Açores. Seja para amantes de moinhos de vento ou simplesmente para quem gosta de aldeias pitorescas.

Por outro lado, face à sua localização, ainda surpreende com a sua vista, sobre a ilha do Pico. Com efeito, o convite está feito e os gigantes de vento esperam por si. Aproveite para conhecer outro lado da antiga pecuária e uma das estruturas mais antigas do nosso mundo.

Partilhar Artigo

Top