Buenos Aires, a cidade mais elegante da América do Sul

Buenos Aires, a cidade mais elegante da América do Sul

Buenos Aires, a cidade mais elegante da América do Sul

Artigo de Redação

Buenos Aires é um destino único, aberto, que integra e permite a todos aqueles que a visitam não só contemplar uma cidade, mas também usufruir de uma experiência urbana maravilhosa. Avenidas largas, praças arborizadas com muito verde e construções antigas caracterizam aquela que é conhecida como a capital europeia das Américas, assim projetada desde a sua criação e que, ainda hoje, mantém algumas características inalteradas.

< >

Na costa do Rio da Prata, tão largo que muitos viajantes o confundem com o mar, Buenos Aires apresenta um clima temperado, com muitos dias de sol por ano. Pode usufruir da paisagem natural da região, verde e húmida, em diversos parques sitos nas suas redondezas ou na gigantesca Reserva Ecológica que se encontra a cinco minutos do centro da cidade.

Com três milhões de habitantes, a maior cidade argentina tem 48 bairros para percorrer. Em cada um deles há bares, praças, campos de futebol e recintos adequados à prática de outros desportos, além de templos, milongas e teatros. Ainda assim, as zonas mais visitadas, por turistas nacionais e estrangeiros, são o Abasto, Puerto Madero, San Telmo, Recoleta, Palermo, La Boca e as avenidas do centro, como Corrientes.

A paixão pelo futebol é vivida ao limite em Buenos Aires

Buenos Aires é um dos polos culturais do continente, sendo considerada como a quarta maior em importância no teatro mundial e possuindo mais salas do que Nova Iorque. Os museus portenhos, tradicionais ou modernos, são famosos. O tango, tanto a música como a dança, pode ser apreciado tanto na tanguería mais sofisticada como na milonga mais popular de qualquer bairro.

Com mais de 3000 restaurantes, comer em Buenos Aires resume-se à escolha do local e do que deseja degustar. Do típico assado à piza comum, são diversas as refeições que poderá apreciar, herança das muitas comunidades que se instalaram na cidade durante séculos
de imigração.

O futebol é uma verdadeira paixão. De facto, muitos fãs planeiam as suas viagens para que coincidam com o clássico nacional entre o Boca e o River.

Outra característica que atrai os visitantes são as compras, nas feiras, em circuitos comerciais a céu aberto e nos shoppings. A cena independente – do teatro e do cinema alternativos, de músicos e designers – é origem de encontros e festivais internacionais. Em Buenos Aires há feiras e atividades culturais o ano inteiro.

Para viajar dentro da cidade, existe um sistema de transporte com múltiplas opções: seis linhas de metro (subtes – subterrâneos), mais de 100 linhas de autocarros (coletivos) e a rede ferroviária (ferrocarriles ou comboios) interurbanos. Os táxis e remisses são um meio de transporte muito comum, pois são seguros e comparativamente mais económicos do que noutras cidades.

10 milhões de habitantes

A cidade de Buenos Aires é a capital da República Argentina e estende-se sobre um terreno plano, ocupando uma superfície de 202 quilómetros quadrados, ao longo da qual vivem aproximadamente três milhões de habitantes. Somando também a população da área metropolitana, a população total supera os dez milhões de habitantes, convertendo esta cidade num dos dez centros urbanos mais populosos do mundo.

Buenos Aires foi fundada duas vezes: a primeira em 1536, quando Dom Pedro de Mendoza, colonizador espanhol, estabeleceu o primeiro assentamento, ao qual chamou Ciudad del Espíritu Santo e Puerto Santa María del Buen Ayre; a segunda (e definitiva) em 1580, quando Juan de Garay lhe atribuiu a denominação Ciudad de Trinidad.

No século XIX o porto recebeu a chegada da grande corrente imigratória promovida pelo Estado argentino para povoar o país. Espanhóis, italianos, sírio-libaneses, polacos e russos concederam a Buenos Aires o ambiente de ecletismo cultural que ainda hoje a caracteriza. Ao longo do século XX, sucessivas migrações – internas, de países latino-americanos e do Oriente – acabaram por atribuir a Buenos Aires o perfil de uma cidade cosmopolita, na qual convivem pessoas de diferentes culturas e religiões.

Conhecidos por portenhos

Buenos Aires sempre foi uma cidade de portas abertas. Os seus habitantes são conhecidos por portenhos, numa clara referência à condição portuária da cidade. O seu espírito é cordial e hospitaleiro, algo que se traduz no costume de organizarem refeições típicas nas suas casas para homenagear os turistas que ali se deslocam.

O tango marca o pulso

Ir a Buenos Aires e não conhecer uma casa de tango é como ir a Paris e não visitar os seus cafés. O tango traduz-se na música, na dança e no ritmo mais representativos da capital argentina. Surgiu no final do século passado e contribuiu para o aparecimento de algumas das maiores lendas da cultura portenha, como Carlos Gardel, por exemplo.

Declarado Património Cultural da Humanidade, pela UNESCO, é o símbolo da Argentina e de Buenos Aires, assumindo-se como a manifestação cultural e popular mais relevante. É o selo da identidade, do sentir e da nostalgia dos portenhos. As letras e os sons que o definem refletem a paixão, a melancolia, a sensualidade, às vezes, o drama, o pranto, a alegria, a emoção do que foi, do que podia ter sido; ou do que é, do que não é, ou do que será.

O tango, a fusão dos seus sons e movimentos, congrega cada vez mais aficionados, fãs e admiradores em todo o mundo. Marginal nas suas origens, cresceu em popularidade, e, hoje, o seu compasso soa em bares, tanguerias, teatros, espetáculos, museus e outros marcos históricos do património argentino.

Antigos salões, cafés ou clubes de bairro abrigam todas as noites uma milonga, na qual principiantes e especialistas de todo o mundo percorrem a pista girando em sentido contrário ao dos ponteiros do relógio.

Nestes autênticos “templos” do tango pode desfrutar de temas clássicos e modernos: ecos de grandes figuras, como Carlos Gardel, Aníbal Troilo e Astor Piazzolla convivem harmoniosamente com novos estilos contemporâneos, em vozes distintas que ecoam livremente um mesmo fervor.

Gastronomia típica

Na Argentina, o legado da imigração traduz-se em diversos costumes que se mantiveram até aos nossos dias. Como tal, a cozinha portenha sofreu uma forte influência italiana e espanhola, com alguns toques franceses e detalhes pontuados pelos paladares locais. O cardápio é composto por peixes, bife, milanesas, massas e frango, guarnecidos por saladas, puré e batatas fritas.

A carne argentina é não só saudável e saborosa, como muito famosa mundialmente, especialmente quando consumida grelhada ou assada. O churrasco é sinónimo de reunião entre familiares e amigos, logo, de festa; o churrasco crioulo inclui embutidos, carnes e miúdos, além de diferentes tipos cortes.

As empanadas – pastéis recheados com carne, frango, milho ou de presunto e queijo, entre outras – são um clássico que pode ser comprado em diversos locais. As refeições típicas regionais são pratos andinos, como o locro (à base de mondongo, linguiça vermelha, milho, feijão e carnes) e os tamales (farinha de milho, carne, queijo, envoltos em palha de milho). Os alfajores estão disponíveis em quiosques e também há os artesanais. São pequenas sandes de bolacha recheadas com doce de leite. Os doces de rua mais comuns consistem em amendoins e amêndoas cobertos de açúcar (garrapiñada).

A infusão característica em toda a Argentina é o mate, tomado a todas as horas do dia e em qualquer circunstância. Mais do que uma bebida, este é um elemento de ligação, um símbolo de confiança, de amizade e de intimidade entre pessoas que partilham a mesma uma infusão, um delicioso sabor forte sul-americano, de fraternidade e tradição.

Visite um bar notável

Na cidade, existem certos bares que foram cenários de atividades culturais significativas e que, por antiguidade, arquitetura ou relevância local, são considerados “notáveis”, englobando o património cultural portenho. Conhecê-los e partilhar a atmosfera amável das conversas de café, desfrutando de um clássico pingado, é ritual obrigatório para os habitantes da cidade e uma experiência imperdível para os turistas. Aqui ficam alguns destinos imperdíveis: Bar Carlitos, San Cristóbal; Bar La Buena Medida, La Boca;Café de García, Villa Devoto; El Coleccionista, Caballito; Café Retiro, Retiro; La Perla, La Boca; Olimpo, Villa Luro; La Coruña, San Telmo;Café Tortoni.

< >

Guia do viajante

Onde ir

Praça do Congresso
Avenida de Mayo
Manzana de las Luces
Puerto Madero
Teatro Colón
Zona comercial e a city
Recoleta
Palermo
La Boca
Obelisco

Onde comer

Tomo 1
Desnível
El San Juanino
Alvear Grill
Oviedo
Aramburu
Casa Coupage
Marcelo
Casa Munay
El Obrero

Onde ficar

Pestana Buenos Aires
Fierro Hotel Buenos Aires
Duque Hotel Boutique & Spa
Rendez Vous Hotel Buenos Aires
Recoleta Luxury Boutique Hotel
Dolmen Hotel
Wilton Hotel
Axel Hotel Buenos Aires & Urban Spa
Dazzler Tower San Martin
Cyan Hotel de las Americas
Meliá Buenos Aires

Clima

Ameno durante todo o ano, apresenta uma temperatura média anual de 18º C, a qual torna escassos os dias de calor e frio intensos, permitindo passear pela cidade em qualquer época do ano. Julho é mês mais frio. Embora não ocorram geadas, é preciso sair com um agasalho de lã, um casaco ou um sobretudo e cachecol. No inverno, o frio é moderado durante o dia, mas com acentuada descida de temperatura durante a noite. No verão, o calor é húmido. As manhãs são quentes, faz muito calor ao meio-dia e nas primeiras horas da tarde. À noite, a temperatura desce levemente.

Documentos

Passaporte

Outras Informações

Moeda Peso Idioma O idioma oficial é o espanhol. O mais distintivo do idioma é o uso do “vós” em vez do “tu” para o tratamento informal, e o uso do “che” para se dirigir a outra pessoa. Fuso horário - 3 horas Voltagem 220 volts

Partilhar Artigo

Top