Butão, o reino encantado dos templos e das vistas de cortar a respiração

Butão, o reino encantado dos templos e das vistas de cortar a respiração

Butão, o reino encantado dos templos e das vistas de cortar a respiração

Artigo de André Cruz Martins

O reino do Butão é uma pequena maravilha pouco conhecida dos turistas. Situado entre os Himalaias, a China e a Índia, é um destino exótico e com tradições muito particulares. Para chegar ao Butão as melhores opções são partir de Banguecoque (Tailândia), Katmandu (Nepal), Nova Deli ou Calcutá (Índia), rumo a Paro. É nesta cidade que fica o único aeroporto internacional do país. Isto apesar da capital ser Thimphu, a 2329 metros de altitude. A viagem de avião para Paro é inesquecível, pois é possível avistar o pico do Everest e Cordilheira dos Himalaias.

O reino do budismo e da liberdade

O Butão só permite a entrada de turistas estrangeiros desde 1974. No entanto, apenas pode fazê-lo através de um pacote organizado por uma agência de turismo ou por um hotel locais. O Butão conseguiu preservar os seus costumes e tradições. A primeira coisa que nos chama a atenção quando chegamos são os vestes típicos, feitos em tecido produzido em tear manual, para as mulheres Kira e para os homens Gho. De referir que quase toda a população é budista e a poligamia é aceite com naturalidade.

As principais atrações turísticas de Paro

O Mosteiro de Taktsang, também conhecido como Paro Taktsang, é a atração turística mais conhecida do Butão. Fica nos arredores de Paro e é um Mosteiro construído em 1692, na boca da caverna Taktsang Senge Samdup. Foi aqui que o budista Guru Padmasambhava meditou por volta do ano 800 da Era Comum. Está situado a 3100 metros de altitude e é uma das treze cavernas taktsang espalhados pelo Tibete e pelo Butão onde este santo budista meditou.

Leia ainda: Quirguistão, a Suíça da Ásia espera por si

A cidade de Paro destaca-se pelo centro pitoresco com cafés e lojas de produtos tradicionais, onde se vende artesanato e artigos religiosos. Passe ainda pelo Museu Nacional, que conta a história do país e tem uma impressionante coleção de trajes típicos.

Explorando Punakha

Um bom programa é sair de Para na direção de Punakha, que fica a 115 quilómetros. À entrada desta localidade encontra-se o Dochula Pass, monumento que oferece uma vista panorâmica de 360 graus da cordilheira dos Himalaias. Foi mandado construir pela Rainha Mãe, em homenagem aos soldados butaneses que morreram na luta contra os rebeldes indianos em 2003.

Veja também: Descubra as razões que fazem de Busan um dos destinos da moda na Ásia

Em Punakha fica mais um templo famoso, o Chimi Lhakhang. É conhecido como o templo da fertilidade. Muitas pessoas viajam de longe, de modo a pedir proteção para os seus filhos ou rezar por mulheres que não conseguem engravidar, para que obtenham fertilidade. Há muitos desenhos de pénis espalhados pelo templo. Aliás, essas pinturas fálicas são comuns em muitos templos e casas do Butão.

Percorra a galeria e veja mais fotos do Butão.

< >

Partilhar Artigo

Top