Dresden, a cidade alemã do Barroco em que o moderno e o tradicional se fundem de forma perfeita

Dresden, a cidade alemã do Barroco em que o moderno e o tradicional se fundem de forma perfeita

Dresden, a cidade alemã do Barroco em que o moderno e o tradicional se fundem de forma perfeita

Artigo de André Cruz Martins

Situada nas margens do Rio Elba, a cidade alemã de Dresden tem uma beleza inconfundível. E também uma longa história, tendo sido a residência oficial dos Reis da Saxónia durante vários séculos. Apelidada de “Joia do Elba”, destaca-se pelos edifícios em estilo Barroco.

Em 1945, o seu centro histórico ficou totalmente destruído na sequência de um bombardeamento dos governos britânico e americano. Esta ação, quando a Segunda Guerra Mundial estava quase a chegar ao fim, matou cerca de 25 mil civis. Depois desse dia trágico, a cidade renasceu a grande velocidade e muitos edifícios históricos importantes foram reconstruídos. Hoje em dia, a cidade pode orgulhar-se de ser um destino moderno e vibrante.

À descoberta do centro histórico

O centro histórico de Dresden (Altstädt, em Alemão) destaca-se pelos seus fantásticos edifícios históricos, quase todos em estilo Barroco. O mais famoso é o Zwinger Palace. A sua construção terminou em 1709 e aqui foi instalada uma magnífica coleção de porcelanas saxónica. Alberga várias coleções de arte e um fantástico arsenal de armas.

Leia ainda: Estugarda, a capital alemã do vinho, das piscinas de água quente e do mundo automóvel

Outro edifício que não pode perder é o Palácio Real de Dresden. É uma construção renascentista que foi residência dos reis da Saxónia, entre 1806 e 1918. O palácio foi transformado num fantástico complexo de museus. Destaca-se o museu Grünes Gewölbe, que contém uma impressionante quantidade de tesouros. E ainda o Münzkabinett, o mais antigo museu da cidade, que tem uma grande coleção de moedas e medalhas.

O edifício da Câmara e uma igreja majestosa

Na Altstädt podemos ainda encontrar o edifício da Rathaus, a Câmara Municipal de Dresden. A imponência arquitetónica é digna de nota, mas o principal destaque é mesmo a estátua dourada de Hércules, que se encontra no cimo da torre. Outro local a descobrir é a Kreuzkirche, igreja do final do século XVIII, da fase final do Barroco e início do Classicismo. É a principal igreja evangélica principal da cidade

A parte mais moderna da cidade

Depois de visitar o centro histórico de Dresden, é altura de atravessar o rio Elba e chegar ao lado mais moderno da cidade, o Neustädt. O início do percurso faz-se pela Augustusbrücke, ponte que leva à estátua de Goldener Reiter, o “Cavaleiro Dourado”. É uma representação de Augusto, o Forte, príncipe saxónico e rei polaco. O facto do cavaleiro estar de costas para os edifícios mais importantes da cidade tem uma explicação: está a olhar para a sua adorada Polónia.

Veja também: Berlim, a cidade criativa, clássica e extravagante

Ali ao lado fica a famosa Pfunds Molkerei, uma leitaria tradicional que foi considerada a mais bonita do mundo pelo Livro de Recordes do Guiness. Chama a atenção pela sua decoração com porcelanas e azulejos pintados à mão. Aqui pode fazer uma degustação de queijos, com direito a um copo de vinho. Ou então levar para casa sabonetes à base de leite.

A cidade dos doces

Dresden é conhecida como a “cidade dos doces” na Alemanha, pois foi aqui que tiveram origem algumas das melhores sobremesas do país. A mais conhecida é o Stollen. Trata-se de um bolo amanteigado com passas e frutas cristalizadas que inicialmente se comia no Natal, mas era tão bom que passou a ser consumida em qualquer época do ano. Outra sobremesa tradicional da cidade é o Eierschecke. Em formato retangular, é feita de maçã, coalhada e sementes de papoula.

Percorra a galeria e veja mais fotos de Dresden.

< >

Partilhar Artigo

Top