Galápagos, o paraíso para quem adora estar em contacto com animais no seu habitat natural

Galápagos, o paraíso para quem adora estar em contacto com animais no seu habitat natural

Galápagos, o paraíso para quem adora estar em contacto com animais no seu habitat natural

Artigo de André Cruz Martins

Se adora animais e de estar em contacto com espécies no seu habitat natural, uma das viagens de sonho será às ilhas Galápagos, Património Mundial da Humanidade desde 1978. As Ilhas Galápagos são uma província do Equador e formam um pequeno arquipélago no Oceano Pacífico. São 13 ilhas remotas e isoladas, a cerca de 1000 km da costa da América do Sul, num total de 50.000 km2.

É impossível fornecermos uma contextualização histórica do arquipélago sem nos referirmos ao biólogo e naturalista Charles Darwin. Esteve por lá entre 15 de setembro de 1835 e 20 de outubro do mesmo ano. O inglês visitou quatro ilhas – San Cristóbal, Floreana, Isabela e Santiago. As observações de plantas e de animais que realizou foram essenciais para a sua Teoria da Evolução da Origem das Espécies. Darwin concluiu que as diferenças entre os animais colonizadores e os seus descendentes eram tão acentuadas que poderiam passar a ser considerados espécies diferentes.

Leia ainda: Areias do Seixo, o hotel rural que alia luxo à comunhão com a natureza

As Galápagos são mundialmente reconhecidos pela incrível diversidade de espécies de animais, destacando-se as tartarugas gigantes, os leões marinhos, as iguanas marinhas e inúmeras espécies de pássaros. A paisagem das ilhas é estéril e vulcânica, mas com uma extraordinária beleza. A sua montanha mais alta é o Volcán Wolf, na Isla Isabela, com 1707 m de altura.

Zona protegida

As Ilhas Galápagos são uma zona protegida e o Governo do Equador teve de adotar medidas protecionistas. Essa regulação fica a cargo, essencialmente, de duas entidades, o Parque Nacional das Galápagos e a Fundação Charles Darwin. Por outro lado, os aeroportos mais perto – Quito e Guayaquil – são obrigados a cumprirem regras de segurança ainda mais

apertadas do que um aeroporto comum. As malas são inspecionadas por uma máquina que detecta partículas radioactivas e para assegurar que não são introduzidas no arquipélago espécies alheias ao ecossistema.

No entanto, nem sempre tudo tem corrido da melhor forma e há algumas semanas, uma faca de cinco centímetros conseguiu passar na mochila de mão de um passageiro.

7 atrações imperdíveis nas Galápagos

Centro de Pesquisa Charles Darwin

Localizado na Ilha de Santa Cruz é um local onde os visitantes podem acompanhar o programa de reprodução em cativeiro e de reintrodução dessas espécies nas ilhas.

Rocha Pináculo

Outra atração bastante conhecida é a Rocha Pináculo, situada no meio do Oceano. É possível fazer visitas de barco ao local e fazer mergulho com leões marinhos e pinguins.

Praias de Rábida

As praias de areia vermelha de Rábida são conhecidas pelas centenas de leões-marinhos que lá descansam ao sol.

Ilha de Bartalomé

A Ilha de Bartolomé, no centro do arquipélago, é essencialmente conhecida pelo vulcão, do cimo do qual é possível vislumbrar uma paisagem fantástica.

Ilha de Isabela

A Ilha de Isabela é a maior ilha das Galápagos e tem cinco vulcões, entre os quais avulta o Sierra Negra. Destaque ainda para as inúmeras tartarugas-gigantes no seu habitat natural em Urbina Bay.

Ilha Española

A Ilha Española é a mais antiga de Galápagos e possivelmente é aquela com maior diversidade de animais, destacando-se os leões-marinhos a inúmeras espécies de pássaros.

Ilha de Santa Cruz

É uma das ilhas habitadas de Galápagos. Nas terras altas é possível vermos tartarugas no seu habitat natural. É aqui que fica o já referido Centro de Pesquisa Charles Darwin.

< >

Partilhar Artigo

Top