No Bahrein há edifícios imponentes, ruínas históricas e uma reserva animal fantástica

No Bahrein há edifícios imponentes, ruínas históricas e uma reserva animal fantástica

No Bahrein há edifícios imponentes, ruínas históricas e uma reserva animal fantástica

Artigo de André Cruz Martins

O arquipélago do Bahrein, no Golfo Pérsico, passou a ser um estado independente em 1971 e desde então conheceu um desenvolvimento notável. É constituído por 35 ilhas e ilhotas, mas apenas três são habitadas: a principal, Bahrein, que dá nome ao país, e ainda Umm Nassam e Al Muharraq.

É preciso ter em atenção que entre os meses de junho e setembro o calor é intenso, com as temperaturas a subirem até aos 50 graus. É altamente recomendável que não viaje para o arquipélago nesta altura do ano. No que toca à moeda local, 1 Dínar do Bahrein vale cerca de 2,50 euros. Descubra o melhor para fazer num destino que esteve sob domínio português no século XVI.

O melhor da capital Manama

Manama é a capital do Bahrein. Um dos seus principais pontos de interesse é a Grande Mesquita, que fica no centro da cidade. É uma das maiores mesquitas do Mundo, com capacidade para cerca de 7 mil pessoas. Destaca-se a grande cúpula construída em cima da mesquita, em fibra de vidro puro. Aqui fica também a nova Biblioteca Nacional, que abriu ao público em 2006. A mesquita está fechada para visitas todas as sextas-feiras e feriados.

Leia ainda: À descoberta da Birmânia, um destino no sudeste asiático que preserva tradições milenares

Visite também o Museu Nacional do Bahrein, que possui dez salas que contam a história de 4 mil anos de história do Bahrein. Desde a época islâmica, passando pelos manuscritos antigos e pelas exposições de artesanato, há muito para ver e descobrir.
Não deixe ainda de conhecer o Qal’at al-Bahrein, o forte do Bahrein. É também conhecido como Forte Português, pois durante o período de domínio português, no século XVI, foi o principal ponto de defesa da Ilha contra os ataques dos Otomanos. Hoje em dia, é Património Mundial da UNESCO.

Duas ruínas de templos majestosos nos arredores de Manama

Nos arredores da capital ficam ruínas de dois templos que merecem ser visitadas. A 15 quilómetros de Manama encontramos os restos do Templo de Barbar que na verdade, eram três templos construídos em épocas diferentes. O mais antigo é do III milénio, o segundo foi construído cinco séculos depois e o mais recente terá sido erigido entre 2100 e 2000 a.C. Estes templos foram locais de adoração da deusa Enki, deusa da sabedoria e da água Doce. É por isso que não faltam fontes por todo o lado.

Veja também: Quirguistão, a Suíça da Ásia espera por si

A menos de 3 quilómetros do Templo de Barbar ficam as ruínas do Templo de Ad-Diraz, na aldeia com o mesmo nome. Menos conhecido do que o de Barbar, tem ruínas de colunas cilíndricas que deixam perceber que o templo terá sido construído em redor de 3000 a.C.

Uma reserva ecológica e o circuito de Fórmula 1

Se gosta de estar em contacto com animais no seu habitat natural, visite a Reserva Natural de Al Areen. Este local fica a 25 quilómetros da capital e aqui vivem 45 espécies de mamíferos, 82 espécies de aves e 25 espécies de plantas.

E para algo completamente diferente, pode fazer um tour guiado pelo circuito de Fórmula 1 do Bahrein. Construído numa área de 200 hectares, o complexo foi inaugurado em 200. Foi no ano do seu primeiro Grande Prémio de Fórmula 1, cujo vencedor foi o alemão Michael Schumacher. O ponto alto é a possibilidade de dar uma volta ao circuito num carro de Fórmula 1. Isto embora sob condução de um responsável pelo circuito.

Percorra a galeria e veja mais fotos do Bahrein.

< >

Partilhar Artigo

Top