Saint-Barth: A ilha das celebridades

Saint-Barth: A ilha das celebridades

Saint-Barth: A ilha das celebridades

Artigo de Redação

Saint-Barthélemy, ou Saint-Barth, é uma ilha perdida na imensidão do azul-turquesa do Caribe, o ponto de encontro do jet set internacional, um verdadeiro paraíso de milionários onde, por exemplo, a modelo Kate Moss já fez topless, a cantora Beyoncé promoveu festas de arromba e Cristiano Ronaldo já festejou uma passagem de ano. A lista de ricos e famosos que têm propriedades ou passam férias por aqui é enorme, mas Saint-Barth é mais do que isso: é uma mistura de beleza caribenha e de sofisticação europeia. Tem praias muito concorridas e outras completamente isoladas. As mansões e os hotéis de luxo estão espalhados por todo lado, mas também tem uma cidade com traços suecos, restaurantes de cozinha francesa e outros muito simples e acessíveis.

Situado a cerca de duas horas de avião de Miami, a 250 quilómetros a este de Porto Rico ou a 45 minutos, de barco, da ilha de Saint-Barthélemy, faz parte das Antilhas Francesas, tendo o estatuto de coletividade ultramarina francesa desde 2007.

De referir que Saint-Barth foi uma ex-colónia sueca durante mais de 100 anos, mas voltou para o domínio da França.

Os vestígios da presença sueca estão marcados na arquitetura, mas o idioma, a cultura e a culinária são franceses. São apenas 21 quilómetros quadrados de um paraíso na Terra, onde estão localizadas as praias mais famosas e preferidas pelo jet set. O desenvolvimento da ilha é relativamente recente, ainda com poucos hotéis, poucos habitantes e sem transportes públicos.

Saint-Barths é ideal para quem quer experimentar um pouco da atmosfera encontrada nas pequenas cidades da costa francesa. Caminhar, passear de barco e mergulhar são programas indispensáveis.

A sua pequena capital, Gustavia (nomeada em homenagem ao rei Gustavo III da Suécia), possui um interessante porto, sempre repleto de barcos e iates, além de lojas e restaurantes, e o museu municipal, onde pode observar fotografias fascinantes sobre a história da ilha.

As paisagens aristocráticas, as montanhas cobertas por uma vegetação exuberante e as ondas que batem com suavidade contra as rochas negras dos recifes de coral merecem uma atenção especial.

Descoberta por Cristóvão Colombo

Tudo em Saint-Barth é requintado, herança da colonização francesa. A ilha foi descoberta por Cristóvão Colombo em 1493 e recebeu esse nome para homenagear Bartolomeu, o irmão do explorador. Em 1648 teve início o processo de povoação pelos franceses da ilha vizinha, São Cristóvão. Assim, encontram-se traços franceses por todo o lado.

Se sempre sonhou com cenários cinematográficos para as suas férias a dois ou lua-de-mel, saiba que não há nada mais indicado do que Saint-Barth.

Quase metade dos habitantes da ilha são portugueses

Na ilha de Saint-Barth vivem cerca de oito mil pessoas. Três mil são portugueses, oriundos do Norte de Portugal, sobretudo de Braga, Guimarães, Barcelos e Monção.

Sem consulado português em S. Bartolomeu (os emigrantes dependem da embaixada portuguesa em Paris), aos poucos, a comunidade vai-se organizando. A equipa portuguesa de futebol já esteve em primeiro lugar na classificação local.
A Associação Desportiva e Cultural Portuguesa de Saint-Barth foi a grande responsável por dinamizar e incentivar os emigrantes portugueses a participarem nas atividades da ilha. As comemorações do 25 de abril, do S. João e do S. Martinho são as únicas festas tradicionalmente portuguesas que aí se celebram.

Guia do viajante

Onde ir

Corossol
Public
Colombier
Saint-Jean

Onde comer

Eddy’s
L’Isola

Onde ficar

Christopher St Barth
Hotel Guanahani & Spa

Clima

É tipicamente tropical marítimo. A temperatura do ar não varia mais do que 27º no inverno e 30º no verão e 32º em julho e agosto. A temperatura do mar pode chegar aos 29° no verão.

Documentos

Passaporte válido, pelo menos, seis meses.

Outras Informações

Moeda: Euro, mas o dólar também é aceite. Idioma: O francês é a língua oficial. No entanto, em Saint-Barth utilizam-se dois dialetos locais, o normando e o crioulo. Grande parte da população fala inglês e todos se entendem, tanto em hotéis como em restaurantes e lojas. Fuso horário: - 6 horas Vacinas: Febre amarela. Eletricidade: 220 V. Transportes: Por causa do relevo contrastante da ilha, os meios de transporte desempenham um papel crucial em Saint-Barthélemy, mas a oferta de veículos está à altura: táxis, motos, 4 x 4, carros elétricos, carros de luxo estão à sua disposição na hora, no dia ou na semana que deseja.

Partilhar Artigo

Top