Viena: imperial e elegante

Viena: imperial e elegante

Viena: imperial e elegante

Artigo de Redação

Palácios luxuosos, concertos inspirados em Mozart e Strauss, museus… Elegante, Viena exibe com orgulho a herança dos Habsburgos, que governaram a cidade durante 600 anos. Essa aura clássica, perfeitamente traduzida nas valsas e em prédios barrocos e renascentistas, continua intacta, mas não é a única. A capital da Áustria também se tornou mais jovial e moderna.

Terra de imperadores, compositores e artistas, a capital austríaca, situada nas margens do Danúbio, foi considerada a cidade com maior qualidade de vida do Mundo. Caracterizada por uma mistura única de tradições imperiais e arquitetura moderna impressionante, Viena é famosa pelos seus eventos culturais, pontos turísticos, cafés, tabernas de vinho e encanto especial.

O visitante pode mergulhar no fascinante dia a dia da família imperial

Uma imponente oferta cultural, lugares turísticos fascinantes e o acolhedor ambiente vienense podem ser vivenciados nos cafés ou nos heurigen (típicas tabernas austríacas), que proporcionam à cidade fama mundial.

A História de Viena remonta ao primeiro século depois de Cristo, quando os Romanos fundaram o acampamento militar de Vindobona. Atualmente, a imagem da cidade está marcada principalmente pelo barroco, especialmente o do período da regência da imperatriz Maria Teresa e do imperador Francisco José, que mandou construir a luxuosa alameda Ringstraße.

A sumptuosidade imperial do Palácio de Schönbrunn, antiga residência de verão do imperador, seduz com o belo parque, a Casa das Palmeiras (Palmenhaus), a praça e o jardim zoológico. No Palácio de Hofburg, de onde o império dos Habsburgo regia, o visitante pode mergulhar no fascinante dia a dia da família imperial.

O Palácio de Belvedere, de estilo barroco, acolhe hoje a Galeria da Áustria, que apresenta a maior coleção de obras de Klimt e Kokoschka, além de proeminentes quadros de Schiele. Os símbolos de Viena são a Catedral de São Estêvão, situada no centro histórico, a Roda Gigante, situada no Wiener Prater, um tradicional parque de diversões, e a Escola Espanhola de Equitação, com sua famosa dança dos lipizanos.

Viena também se define como metrópole musical

Viena é também conhecida internacionalmente como a cidade da música e de compositores como Strauß, Mozart, Beethoven e Haydn, que nela deixaram a sua marca. A Orquestra Filarmónica de Viena é uma das melhores do Planeta, a Ópera do Estado (Staatsoper) pertence a uma das mais importantes do Mundo e o Coro das Crianças Cantoras de Viena, os Wiener Sängerknaben, impressiona todos os amantes da música. Por tudo isto, Viena também se define como metrópole musical.

A convivência entre o tradicional, nos seus cafés e heuriger, e o mais moderno, nos restaurantes, lojas e famosos eventos internacionais, como o Life Ball, envolverão o visitante num sentimento único, que gira em torno de um ambiente contemplativo e ativo. Além disso, Viena possui outras peculiaridades: é uma grande cidade, com inúmeras zonas verdes, e possui espaços para descansar e descomprimir na sua periferia, como o bosque Wienerwald, o Praterauen ou a ilha do Danúbio (Donauinsel).

A cultura dos cafés vienenses

Viena não foi a primeira cidade europeia a ter um café, mas a cultura dos cafés encontrou nela uma expressão distinta da encontrada em qualquer outro lugar. Diz-se que pelos serviços prestados durante o cerco turco, Franz Georg Kolschitzky recebeu, entre outras coisas, sacos com feijões escuros e misteriosos. Não muito tempo depois, começou a fazer fervuras e fermentações e fundou um café.

Esta história, na verdade, nada mais é do que um mito, pois ninguém sabe ao certo quem teve a ideia de servir café com leite e açúcar pela primeira vez. O certo é que, em 1700, o arménio Diodato abriu um café, que naquela altura já tinha muitos dos traços daquilo que até hoje caracteriza esta instituição: um copo de água acompanhando o café, uma mesa de bilhar, a possibilidade de se jogar cartas e uma seleção de jornais nacionais e internacionais à disposição.

Outro passo no sentido de uma cultura total de cafés foi o dado por Diegand Martin, que abriu o primeiro espaço em 1788, por ocasião de um concerto. Os seus contemporâneos passaram a frequentar entusiasmados todos os concertos e, consequentemente, o café. Portanto, não é necessariamente surpreendente que Mozart tenha apresentado as suas obras e que Beethoven, Johann Strauß Senior e Johann Lanner tenham tocado num café. No final do século XIX e no início do século XX, desenvolveu-se uma outra componente, a literatura no café, ainda hoje praticada por muitos autores, que seguem os passos dos seus antecessores famosos.

Muitos cafés têm criado algumas especialidades próprias e vale a pena prová-las

Presentemente, o café mantém-se como um apreciado local de encontro, mas não ficou exatamente parado no século passado: acesso à Internet, presença de DJs, assim como a coffeetable-music numa atmosfera única, criam as condições para um intervalo num dia agitado. É possível passar o tempo com um gugelhupf ou um kipferl, com buchteln e krapfen ou com uma torta de maçã, de queijo branco ou de creme. Muitos cafés têm criado algumas especialidades próprias e vale a pena prová-las, quer se trate da sachertorte ou da sperltorte.

Seja devido às variações de café que passaram inalteradas através dos tempos, à elegante grandeza dos espaços ou às particularidades dos funcionários, até hoje, a mistura inspiradora, ou seja o típico café vienense, desafia com sucesso as cafetarias.

Capital Mundial da Música

Em Viena, Capital Mundial da Música, realiza-se anualmente 15 mil concertos de todo o tipo e ordem de grandeza. Não existe nenhuma outra cidade em que tantos compositores exerceram influência: Mozart, Mahler, Haydn, Beethoven e o rei das valsas, Johann Strauß. A Filarmónica de Viena (Wiener Philharmoniker) e os Pequenos Cantores de Viena (Wiener Sängerknaben) são destaques mundiais; a Ópera Vienense (Staatsoper) e a Sala Dourada (Goldene Musikvereinssaal) estão entre os melhores locais de encenação.

O Concerto de Ano Novo da Filarmónica de Viena entusiasma milhões de espectadores de televisão, espalhados por mais de 50 países, e os Pequenos Cantores de Viena fazem sucesso em todos os continentes. A capital austríaca é conhecida mundialmente como a cidade da valsa, da opereta e dos musicais.

< >

Guia do viajante

Onde ir

Hofburg
Imperial Treasury
Naturhistorisches Museum
Galeria Albertina
Museu Kunsthistorisches
Palácio Belvedere
Haus der Musik
Palácio Liechtenstein
Jewish Museum Vienna
Museu de História Militar de Viena
Museu Técnico de Viena
Mozarthaus Vienna
Karlskirche
Catedral de Santo Estêvão
Prater
Opera Wiener Staatsoper

Onde comer

Steireck
Weingut & Heuriger Christ
Palmenhaus
Babette's - Spice and Books for Cooks
DO & CO Albertina
Österreicher im MAK

Onde ficar

Ananas
Veranstaltungs- & Bildungszentrum Hotel Europahaus Wien
Holiday Inn Vienna City
Hotel Am Stephansplatz
Altstadt Vienna
Hollmann Beletage - Design & Boutique
Hotel Rathaus Wein & Design Wien
Hotel Das Tyrol
Hotel Imperial
Sofitel Vienna Stephansdom
Hotel König von Ungarn
Kaiserhof Wien
K+K Hotel Maria Theresia
Hotel Austria
Hofburg

Este gigantesco complexo de edifícios, que começou por ser um castelo medieval, cresceu ao longo dos anos e foi a residência dos imperadores de Habsburgo até 1918. Neste momento, incorpora os escritórios do presidente da Áustria, um centro de convenções e a Escola de Equitação Espanhola. Há, no Palácio de Hofburg, vários museus abertos ao público, tais como os Apartamentos Imperiais, o Museu de Sissi e a Coleção de Prata Imperial.

Imperial Treasury

Coleção de joias, coroas e outros artigos valiosos da coleção dos Habsburgos.

Naturhistorisches Museum

Mostra minerais (grande coleção de meteoritos), fósseis e reconstruções de esqueletos. Também tem uma secção antropológica.

Galeria Albertina

Outrora um palácio, hoje é um dos mais populares locais de exposições de Viena, especialmente de arte moderna. Por exemplo, alberga a famosa coleção gráfica do duque Alberto de Sachsen-Teschen, que contém 60 mil desenhos e um milhão de gravuras, entre eles a Lebre, de Durero.

Museu Kunsthistorisches

Trata-se de um dos maiores museus de arte do Mundo. O palácio que o acolhe é, ele próprio, uma obra de arte. Contém a coleção da Casa de Habsburgo, que inclui artistas como Rafael, Caravaggio, Bosh e Brueghel; uma galeria fotográfica; arte antiga do Egito, Grécia e Império Romano.

Palácio Belvedere

Situado fora das muralhas da cidade, este edifício destinava-se a ser a residência de verão do príncipe Eugénio de Saboia. Hoje em dia, alberga a Galeria de Arte Austríaca, encontrando-se no centro de um enorme parque. No edifício, situado no ponto mais alto do jardim, encontra-se a sala Terrena, que alberga as coleções de pinturas dos séculos XIX e XX e de Gustav Klimt.

Haus der Musik

Museu recente com experiências interativas no mundo da música, bem como exposições sobre a história da Orquestra Filarmónica de Viena e acerca da história da cidade enquanto centro de composição musical (Mozart, Haydn, Beethoven, Mahler, Schubert, etc.).

Palácio Liechtenstein

Coleção privada do príncipe do Liechtenstein exposta na sua antiga residência de Viena. Tem, essencialmente, pinturas barrocas (muitos Rubens).

Jewish Museum Vienna

Documenta a vida dos judeus residentes em Viena (alguns deles famosos, como Zweig, Freud, Mahler e Schoenberg). Ligada ao museu, existe uma sinagoga medieval subterrânea, a única sinagoga histórica que sobreviveu à II Guerra Mundial.

Museu de História Militar de Viena

Trata-se de um museu enorme, com armas e mapas militares de diferentes períodos. Nele também se pode ver o carro descapotável onde o arquiduque Franz Ferdinand, o último príncipe austríaco, foi morto a tiro em Sarajevo. A sua morte viria a provocar a I Guerra Mundial e a queda do Império Austro-Húngaro.

Museu Técnico de Viena

Este enorme museu vienense, recentemente renovado, exibe diversas máquinas, meios de transporte, equipamento eletrónico, etc.

Mozarthaus Vienna

Na casa histórica de Mozart pode assistir a uma apresentação global da época em que viveu o músico e as suas obras mais importantes. Ali são relatados detalhes sobre as condições de vida de Mozart em Viena: onde ele vivia, quais eram os seus amigos, a sua relação com a maçonaria e paixão pelo jogo e pelas mulheres…

Karlskirche

Esta é a maior catedral barroca a norte dos Alpes. Desenhada pelo famoso arquiteto Bernhard Fischer von Erlach, os frescos foram pintados por Michael Rottmayre e as pinturas são dos pintores barrocos italianos Sebastiano Ricci e Giuseppe Antonio Pellegrini e do austríaco Daniel Gran. Pode-se fazer uma visita virtual no site oficial de Karlskirche (em alemão).

Catedral de Santo Estêvão

Esta é uma igreja com diversos estilos arquitetónicos, mas predominantemente gótica. Hoje em dia, não restam nenhumas construções originais, sendo as mais antigas o portão Riesentor e a torre Heidenturme (românticos). Na Sudturm (torre sul) está um gigantesco sino, chamado Pummerin, que foi feito com metal fundido de canhões turcos. Nas catacumbas, perto da catedral, estão guardadas partes dos corpos de legiões de bispos e de membros da família de Habsburgo.

Prater

O famoso parque de diversões, cuja Grande Roda foi imortalizada pelas cenas do Terceiro Homem, com Orson Wells, é ideal para os passeios em família. Ao lado, fica o Prater Verde, nos antigos bosques imperiais de caça, um enorme espaço verde.

Opera Wiener Staatsoper

A Casa da Ópera de Viena é, talvez, o mais conhecido e acarinhado símbolo das artes vienenses. A construção original, sob as ordens do imperador Franz Josef I, decorreu entre 1861 e 1869. Na altura, a arquitetura não agradou aos habitantes da cidade de Viena. Um dos dois arquitetos não aguentou as críticas e suicidou-se. O outro morreria, semanas mais tarde, de ataque de coração. Foi no ano da sua construção que teve lugar o primeiro espetáculo – a ópera Don Giovanni, de Wolfgang Amadeus Mozart. Durante a II Guerra Mundial, bombardeamentos destruíram uma grande parte do edifício. Após os dez anos de controlo dos aliados e a reconstrução, reabriu com a ópera Fidelio, de Beethoven.

Ananas
Veranstaltungs- & Bildungszentrum Hotel Europahaus Wien
Holiday Inn Vienna City
Hotel Am Stephansplatz
Altstadt Vienna
Hollmann Beletage - Design & Boutique
Hotel Rathaus Wein & Design Wien
Hotel Das Tyrol
Hotel Imperial
Sofitel Vienna Stephansdom
Hotel König von Ungarn
Kaiserhof Wien
K+K Hotel Maria Theresia
Hotel Austria
Steireck

É um dos mais conhecidos restaurantes austríacos e recebeu a classificação de quatro estrelas há alguns anos.  

Weingut & Heuriger Christ

Ideal para se iniciar nas comidas e nos vinhos tradicionais, este restaurante é muito frequentada pelos habitantes locais.

Palmenhaus

Situa-se no jardim Burggarten. No local de uma antiga estufa surgiu este restaurante movimentado. Muito procurado pelos vienenses, apresenta excelente comida local e internacional.

Babette's - Spice and Books for Cooks

Junto ao Naschmarkt, vale a pena vistar esta simpática livraria à hora de almoço, para experimentar os pratos nela cozinhados.

DO & CO Albertina

O café-restaurante do museu Albertina fica virado para o Burggarten. Quando o tempo permite, tem uma agradável esplanada. No inverno, o interior, com o chão e o balcão em mármore e sofás de cabedal, é bastante acolhedor. Os preços são elevados.

Österreicher im MAK

Um dos mais famosos da cidade, onde a nova cozinha vienense se cruza com a tradicional. Fica no Museu de Artes Decorativas.

Clima

Muito inconstante; no inverno, a cidade fica coberta por um manto branco de neve, que a torna ainda mais agradável de ver. Entre dezembro e janeiro, prepare-se para passar férias a temperaturas abaixo de zero. No verão, Viena recebe uma vaga de calor e o clima fica seco, chegando a atingir os 25° C.

Documentos

Cartão do Cidadão

Outras Informações

Moeda Euro Idioma Alemão austríaco. Apesar da gramática ser muito similar à alemã, há muitas palavras e expressões que só são usadas pelos austríacos. É possível comunicar-se em inglês, mas é boa ideia aprender algumas frases em alemão e levar um pequeno dicionário de bolso. Fuso horário + 1 hora Voltagem 220 volts Gorjeta É normal deixar-se dez por cento do valor da conta em restaurantes, bares, cafés e táxis. Segurança Extremamente segura e tranquila, Viena é bastante convidativa ao turista. De qualquer forma, recomenda-se cautela com carteiras e objetos de valor, em hotéis e restaurantes.

Partilhar Artigo

Top