O paraíso onde pode nadar em dois continentes ao mesmo tempo

O paraíso onde pode nadar em dois continentes ao mesmo tempo

O paraíso onde pode nadar em dois continentes ao mesmo tempo

Artigo de Redação

Normalmente associamos as placas tectónicas a fenómenos naturais como terramotos. É a energia acumulada nas falhas entre duas placas que, quando libertada, provoca este tipo de situações. Os locais onde as placas se encontram são muitas vezes de uma beleza natural muita rica e ao mesmo tempo invulgar. O melhor exemplo disso, podemos encontrar no parque nacional de Thingvellir, na Islândia.

O parque é património mundial da UNESCO, local onde se localiza a Sifra – como é chamado o contacto das placas tectónicas na Islândia. A fenda aqui aumenta a uma média de 2 centímetros por ano, uma sina que traz vários dissabores a esta ilha do Atlântico Norte. Os especialistas estimam que devido a esta falha, o país tenha um grande sismo a cada 10 anos.

Europa e América separados por uns míseros metros

Mas nem tudo é mau. O local começou por ser uma caverna mas, com os tremores, foi se transformando numa fenda preenchida por água subterrânea. O lugar inusitado tornou-se num dos pontos de mergulho mais requisitados do mundo.

Para lá da beleza, este local destaca-se por ser o único ponto da Terra onde é possível nadar entre a América do Norte e a Europa. E não pense que se trata de uma distância de vários quilómetros. É pouco mais de uma dúzia de metros aquilo que separa os dois continentes.

Este é mais um motivo forte para visitar a Islândia, não fossem as auroras boreais e as paisagens da ilha suficientes para convencê-lo a visitar o país. Mas não se esqueça de se agasalhar. O clima na ilha é frio e a temperatura na água não lhe fica atrás, não estivéssemos nós a falar de água de degelo glaciar.

Veja na galeria algumas fotos deste incrível paraíso.

< >

Partilhar Artigo

Top