Quebeque, encanto europeu pintado de cores celestiais

Quebeque, encanto europeu pintado de cores celestiais

Quebeque, encanto europeu pintado de cores celestiais

Artigo de Redação

O encantador mundo franco-canadiano concentra-se na província do Quebeque. Aquela que era chamada a Nova França é hoje território canadiano, onde a cultura francesa vive e resiste ao passar dos tempos. Um paraíso de deslumbrantes paisagens naturais, pintadas com montanhas geladas, lagos e locais inacessíveis e secretos, que poucos homens pisaram. Um recanto que de pequeno tem pouco e onde vai descobrir pousadas acolhedoras, refeições magníficas, um povo simpático e paisagens surpreendentes, que o transportarão para um qualquer filme romântico.

A província do Quebeque, no Canadá, ocupa um território três vezes superior ao da França. Estende-se para norte, desde a fronteira com os Estados Unidos da América, limitada pelas províncias de Ontário, a oeste, e Novo Brunswick e Terra Nova a este. É uma das províncias mais habitadas do país e dela fazem parte cidades como Montreal, Quebeque e outras.

A sua história faz do Quebeque mais do que uma região do Canadá

A sua história faz do Quebeque mais do que uma região do Canadá. É em si mesma uma “nação”, com uma cultura, uma língua e uma identidade muito próprias – cerca de 80 por cento da população é de origem francesa.

O mesmo não acontece nas outras províncias do país, que foram maioritariamente colonizadas por ingleses e escoceses. A única língua oficial é o francês, a população é maioritariamente católica e a própria estrutura arquitetónica das cidades denuncia as influências francesas. Isto deve-se ao facto de os franceses terem chegado à região por volta de 1540.

O Quebeque era habitado há séculos por ameríndios e inuítes (ou esquimós) mas destas sociedades pouco permanece. A localidade de Quebeque, hoje capital da província, foi descoberta em 1608. Montreal foi fundada numa missão de evangelização, no final do séc. XVIII. A então Nova França cresce e desenvolve-se até ser atacada pelo Exército britânico, sendo derrotada em 1759.

Quatro anos mais tarde, o território é plenamente cedido aos ingleses e só em meados do século XIX é que são consagradas as províncias do Canadá hoje conhecidas. A partir da década de 50 do século passado, um movimento nacionalista começou a crescer, culminando na realização de duas votações, em 1980 e em 1995, pela separação do Quebeque do Canadá… algo que nunca se chegou a concretizar.

Maravilhas da natureza

O Quebeque é especial por muitas razões, mas a riqueza natural não pode deixar de ser mencionada. Milhares de pequenos rios e lagos compõem o extenso território não habitado da província, sendo estes a fonte primordial de energia elétrica, devido às muitas barragens. O extenso litoral, de mais de 13 mil quilómetros, inclui regiões banhadas por mar, baías, estuários e ilhas oceânicas.

As florestas cobrem mais de metade do território e a população concentra-se essencialmente no sul, nas margens do rio São Lourenço, que passa por Montreal e Quebeque, entre outras localidades. Este rio, que atravessa toda a província e desagua no Atlântico, pode ter entre 16 e 160 quilómetros de largura e o seu vale de baixa altitude é a “casa” de 80 por cento dos habitantes da província, bem como a mais importante região agrícola. Quebeque significa “estreito” e refere-se ao local onde hoje é a cidade capital da província.
Contrariamente a este vale, 90 por cento do Quebeque é coberto pelo vasto planalto canadense, com as suas montanhas rochosas e florestas virgens, sendo Mont d’Iberville o ponto mais alto, com 1622 metros de altitude.

Descobrir Montreal

Cidade de contrastes e multiculturalidade, Montreal é a segunda maior cidade de língua oficial francesa (depois de Paris) com 1,7 milhões de habitantes. Foi construída numa ilha do rio de São Lourenço, onde se respira História, inspiração francesa, design, arte e hospitalidade. O património arquitetónico deixa a marca de um passado com mais de 400 anos, desde a era do regime francês até aos dias de hoje. Contemporânea, cosmopolita e alegre, Montreal vai deixá-lo apaixonado.

Passeando por entre as ruelas da parte antiga, entre prédios de fachada cinzenta, dos séculos XVIII e XIX, ouvem-se ainda as charretes, cujo som ecoa pela calçada. Ao mesmo tempo que o transporta para outra época, Montreal oferece-lhe os mais diversificados restaurantes e ambientes: de Chinatown a Little Italy, passando pelo Latin Quarter ou a Gay Village, a comida de fusão é servida com cordialidade e muito bom-gosto.

A cidade tem mais de 300 museus, entre os quais não pode perder o Point-à-Calli`re (museu de arqueologia e História), o Marguerite-Bourgeoys ou o de Belas-Artes. Respira-se modernidade… até porque, em 2006, Montreal foi reconhecida, pela Unesco, como uma das seis Cidades de Design do Mundo. Até o metro e as suas estações são mostruário de arte pública.

A subida ao Mont-Royal é um passeio imperdível, devido à paisagem que oferece e ao jardim que decora o topo do cume. O Jardim Botânico, o Parque Olímpico e a respetiva torre são outros locais a não perder. A Zona Baixa, junto às margens do rio de São Lourenço, é o mais importante porto marítimo de ligação entre o Atlântico e os grandes lagos do Canadá e é o coração fervilhante de uma cidade ativa, onde poderá desfrutar de belas paisagens e passeios fluviais inesquecíveis.

Por último, e antes de partir à descoberta da vida cultural e social da cidade em inúmeros espetáculos, esplanadas, lojas e bares, não deixe de visitar a homónima parisiense Basílica de Notre Dame, de estilo neogótico. Uma cidade de múltiplas facetas com uma pitada de várias culturas, que coabitam de forma bela e harmoniosa, oferecendo ao visitante uma experiência ao ritmo que mais lhe apetecer.

Romantismo ao estilo francês

Incuravelmente romântica, a cidade de Quebeque (capital da província) oferece charme, glamour e encanto de uma forma pouco comum na América do Norte. Conserva a beleza secular de uma cidade muralhada em tempos coloniais com o sossego do rio de São Lourenço, que a torna num importante porto comercial. A juntar a isto, um património arquitetónico único e uma dinâmica acolhedora e hospitaleira.

Berço da civilização francesa na América, foi cobiçada durante séculos por ingleses e franceses. Apelidada de Gibraltar Americana, Quebeque ficou sob a coroa inglesa só no séc. XVIII. Hoje, à distância dessa rivalidade, sabe-se que a cidade é o que é por ter sido tão importante nesses séculos de colonização da América do Norte.

A sua localização geográfica tornou-a num importante porto comercial de peles; ao mesmo tempo, a cidade crescia dentro das muralhas, enquanto os comerciantes se instalavam nas margens do rio. Hoje, com mais de 620 mil habitantes, é um ponto marítimo crucial, uma referência ao nível da pesquisa científica e um destino cultural imperdível, com inúmeros festivais e eventos reconhecidos internacionalmente.

A parte antiga da cidade está na lista de Património Mundial da Unesco

Comece por percorrer as muralhas dessa que é a única cidade fortificada a norte do México. Aliás, este é o fator que lhe garante uma magia quase europeia. A parte antiga da cidade está na lista de Património Mundial da Unesco desde 1985, sendo, assim, preservada um pedaço de História de inspiração francesa com mais de três séculos.

Na parte alta da cidade, deslumbre-se com o Château Frontenac, o hotel mais fotografado de sempre, e passeie pelo terraço de Dufferin, onde contemplará a melhor paisagem sobre o rio. Não deixe de desfrutar do Plaines d’Abraham: um extenso e belo parque urbano que foi em tempos terreno de batalhas territoriais. Apanhando o funicular, desça à parte baixa da cidade, coração da mesma enquanto colónia portuária. Visite o porto e aproveite para dar um passeio de barco. Nos bairros de Petit-Champlain e Place Royale, vai encontrar centros de arte, lojas de artesanato, restaurantes e pubs muito animados. Não deixe de conhecer o emblemático Museu da Civilização.

Quebeque é uma cidade orgulhosa de si mesma, da sua arte de viver, dos seus jardins, dos seus restaurantes e da pouco distância a que fica de algumas maravilhas da Natureza… Respira-se qualidade de vida. Isso é o que os locais podem oferecer aos visitantes. Uma mistura de História e tradição com modernidade e cosmopolitismo… e com neve, muita neve à mistura.

Por caminhos especiais

Para descobrir o Quebeque em toda sua autenticidade, o melhor será alugar um carro e partir numa das várias rotas oficialmente identificadas – estradas turísticas que acompanham o rio ou passam por regiões rurais, à margem das grandes autoestradas. Caminhos pintados por testemunhos da vida muitas vezes rústica dos primeiros povos e aventureiros. Por terra ou por água, vai encontrar inúmeras habitações ancestrais, igrejas e capelas antigas, pontes cobertas, moinhos e faróis.

Estas rotas estão identificadas com painéis azuis e foram criadas para valorizar a cultura e a Natureza de cada região. As rotas são: Caminho do Rei; Estrada da Nova França; Estrada das Baleias; Estrada dos Navegadores; Rota dos Vinhos; Estrada do Rio; Estrada das Fronteiras; Circuito de Paysan; Estrada do Fiorde; Caminho dos Cantões; Estrada das Montanhas; Estrada das Cúpulas; e Estrada dos Rios.

< >

Guia do viajante

Onde ir

Montreal
Cidade do Quebeque
Cantões Orientais
Mont-Tremblant
Trois Rivières
Gatineau
Cataratas de Montmorency
Ilhas de Madelena

Onde comer

Ristorante Quattro
Bocata Restaurant Bar a Vin
Europea
Restaurant Initiale
Le Continental
Crêperie Les Copains d'Abord
Poivre Noir
Le Grill
La Baccara
Cafe de la Gravec
Restaurant La Table Des Roy

Onde ficar

Hotel Le St. James
Le Square Philips Hotel & Suites
Auberge Saint Antoine
Hotel Le Germain Dominion
Hotel Quintessence
Chateau Beauvallon Mont Tremblant
Motel le Marquis
Hotel-Motel Coconut
Hilton Lac Leamy
Ramada Plaza Manoir du Casino
Auberge Chez Denis a Francois
Havre sur Mer
Ice Hotel Quebec-Canada
Montreal

A segunda maior cidade de língua francesa do Mundo, logo a seguir a Paris, é dotada de contrastes de modernidade e classicismo. Uma experiência que não pode deixar para trás.

Cidade do Quebeque

Património Mundial da Unesco desde 1985, o bairro histórico desta cidade é o único local fortificado a norte do México. Trata-se de uma viagem com muitos séculos.

Cantões Orientais

A sul do rio de São Lourenço fica uma sequência de pequena cidades e vilas, que concentram o melhor da gastronomia e dos vinhos do país – adegas medievais, passeios de canoa, os melhores patês de pato, propriedades ecológicas e de produção biológica de mel, frutos vermelhos e vinho.

Mont-Tremblant

Uma pequena cidade que o vai surpreender pela arquitetura e pelo enquadramento natural. Pequenas e acolhedoras casas coloridas perfilam-se na base de uma montanha nevada, fazendo as delícias dos praticantes de esqui.

Trois Rivières

É uma pequena cidade onde dois afluentes se juntam ao rio de São Lourenço. Museus, galerias de arte, bons restaurantes, spas e esplanadas vão conquistá-lo e fazê-lo prolongar a estadia.

Gatineau

Fica nos arredores de Ontário, a norte, e é uma pequena cidade resultante da fusão de cinco subúrbios. É a porta de acesso ao Parque Natural de Gatineau.

Cataratas de Montmorency

Ficam no parque de la Chute-Montmorency, perto de Beauport, a poucos minutos da cidade do Quebeque e são umas quedas de água com mais de 83 metros – maiores do que as cataratas de Nicarágua.

Ilhas de Madelena

Mergulhar em Cape Alwright, observar mais de 300 espécies de pássaros ou provar o melhor arenque fumado, acompanhado por uma cerveja artesanal, são algumas das propostas das acolhedoras Ilhas de Madalena. Um arquipélago rural onde os madelinots vão fazer de tudo para o bem receber. Terra de artistas, músicos e poetas, a beleza destas ilhas é inspiradora.

Hotel Le St. James
Le Square Philips Hotel & Suites
Auberge Saint Antoine
Hotel Le Germain Dominion
Hotel Quintessence
Chateau Beauvallon Mont Tremblant
Motel le Marquis
Hotel-Motel Coconut
Hilton Lac Leamy
Ramada Plaza Manoir du Casino
Auberge Chez Denis a Francois
Havre sur Mer
Ice Hotel Quebec-Canada

Não pode deixar de passar uma noite no Hotel de Vidro, que fica a poucos minutos da cidade do Quebeque. Uma mistura de vidro e gelo que oferece uma experiência nórdica única. Brincadeiras no gelo e sacos-cama topo-de-gama vão mantê-lo quente e de coração aquecido.

Ristorante Quattro
Bocata Restaurant Bar a Vin
Europea
Restaurant Initiale
Le Continental
Crêperie Les Copains d'Abord
Poivre Noir
Le Grill
La Baccara
Cafe de la Gravec
Restaurant La Table Des Roy

Clima

Maioria das cidades é caracterizada por um clima continental húmido, com quatro estações definidas. O verão é quente, ao passo que o inverno é caracterizado por grandes acumulações de neve. Em Montreal, as temperaturas rondam os 24° C no verão e os -12° C no inverno. Mais a norte, os climas passam a subártico e ártico, marcados por invernos muito longos e frios.

Documentos

Para viajar de Portugal, precisa de passaporte válido e visto.

Outras Informações

Moeda Dólar canadiano Idioma A língua oficial é o francês, que é falado pela maioria dos naturais. O inglês é também amplamente falado. Fuso horário UTC/GMT – 5 horas Voltagem Como em todas as cidades da América do Norte, a corrente elétrica é de 110 volts. Terá de levar adaptadores de corrente. Distâncias Existem três aeroportos internacionais no Quebeque: em Montreal, na cidade de Quebeque e em Mont-Tremblant. Se optar por viajar de carro entre os vários pontos turísticos, saiba que as distâncias a partir de Montreal são: Cidade de Quebeque – 255 km; Mont-Tremblandt – 145 km; Trois Rivi`res – 140 km; Gatineau – 195 km; Lac Bromem – 110 km. As Ilhas de Madalena ficam no golfo do rio de São Lourenço, pelo que só conseguirá lá chegar de avião.

Partilhar Artigo

Top