República Dominicana, sol, rum e muito merengue

República Dominicana, sol, rum e muito merengue

República Dominicana, sol, rum e muito merengue

Artigo de Redação

Azul, amarelo, verde, vermelho, branco e infinitos tons deslumbrantes. A Dominicana é a república das cores, um país de inesgotáveis atracções. Descubra as praias de areias brancas e águas cristalinas, os monumentos históricos, o merengue, a culinária, os tradicionais charutos e o rum.

O sol está presente quase todo o ano, criando temperaturas muito agradáveis, mas esta não é apenas uma das razões que fazem da ilha um destino imperdível. É a segunda maior ilha das Caraíbas, tendo sido descoberta, em 1492, por Cristóvão Colombo, na sua primeira viagem pelas “américas”. Nessa altura, chamou-lhe Hispaniola, transformando-a em quartel-general do império espanhol, devido à sua localização estratégica e exuberante beleza. Actualmente, a capital, Santo Domingo, é uma verdadeira jóia arquitectónica colonial, tendo sido classificada Património da Humanidade pela UNESCO, devido aos seus monumentos históricos e emblemáticos.

Além da sua importância histórica, a República Dominicana tem tudo aquilo que se espera de uma ilha tropical nas Caraíbas: muita animação e festa, no embalo do merengue, o ritmo nacional; um rum que se compara ao cubano, assim como os seus famosos charutos. As praias, essas, são belas e paradisíacas, onde apetece ficar e desfrutar das águas quentes e cristalinas.

A cultura dominicana é tão variada e colorida como o próprio país, devido às influências dos grupos étnicos que se misturaram na ilha: europeus, africanos e, em menor número, indígenas. Também as expressões artísticas, a gastronomia, o artesanato, o desporto e a religião, entre outros aspectos, formam a identidade do povo dominicano.

Santo Domingo

É uma cidade de fortes contrastes, onde convivem as grandes avenidas, com os grandes edifícios e as modernas estruturas das ruas sem asfalto, os bairros mais pobres  e a zona colonial onde se localizam alguns monumentos edificados pelos colonizadores espanhóis. Apesar de tudo, é possível observar um sentimento comum nos seus habitantes: a alegria de viver. Nas ruas, principalmente na zona da marginal, é frequente ver grupos de pessoas à volta de uma aparelhagem a dançar ao ritmo do merengue e da bachata ( um ritmo musical originário das favelas na década de 60. É considerada um híbrido do bolero (sobretudo, do bolero rítmico) com outras influências musicais, como, por exemplo, o cha-cha-cha e o tango.

< >

Guia do viajante

Onde ir

Cidade Colonial de Santo Domingo
Alcácer de Colombo
El Malecón
Museo de las Casas Reale
Palace of Fine Arts Freddy Beras-Goico
Faro a Colón
Jardim Botânico
Catedral de Santo Domingo
Fortaleza de Ozama
Parque Los Tres Ojos

Onde comer

Onde ficar

Cidade Colonial de Santo Domingo

Santo Domingo é umas das primeiras cidades do continente americano. Reúne as primeiras edificações religiosas, civis-governamentais de saúde, judiciais e municipais com a chegada dos espanhóis a América

Alcácer de Colombo

El Alcazar de Colón: é um imponente palácio de pedra, situado na zona colonial da cidade, onde funciona o Museu Alcazar de Colón. Foi erguido para servir de morada a Diego Colombo, o filho de Cristóvão Colombo no ano de 1500.

El Malecón

A avenida principal é a George Washington, a via de transporte mais atractiva que a cidade possui e que se estende por toda a costa, percorrendo quase metade da cidade, com uma vista impressionante para o mar das Caraíbas.

Museo de las Casas Reale

Um dos mais concorridos pelos turistas, é onde está patente toda a História da República Dominicana entre 1492 e 1821.

Palace of Fine Arts Freddy Beras-Goico

Alberga uma área de 13 000 metros quadrados, funcionando aí a Escola Nacional de Arte Visual, o Ballet Folclórico Nacional, o Coro Nacional, a Escola Nacional de Dança, a Oficina da Orquestra Sinfónica.

Faro a Colón

Um dos monumentos mais modernos e onde se encontram os restos mortais de Cristóvão Colombo.

Jardim Botânico

Ocupa uma extensão de dois milhões de metros quadrados e foi fundado com o objectivo de se estudar, preservar e investigar a variada flora da República Dominicana.

Catedral de Santo Domingo

É a primeira do Novo Mundo. De estilo gótico e com detalhes renascentistas.

Fortaleza de Ozama

É outro dos monumentos históricos que fazem parte da zona colonial de Santo Domingo. Foi edificada entre 1502 e 1508, por Fray Nicolás de Ovando, governador da ilha.

Parque Los Tres Ojos

Neste parque estão quatro lagos de água enxofrada, três dos quais estão dentro de uma grande caverna.

Clima

Predomina o clima tropical húmido, com uma temperatura que oscila entre os 28 e 30º C.

Documentos

Passaporte (validade mínima de seis meses).

Outras Informações

Moeda: Peso dominicano. Idioma: Espanhol Taxas de aeroporto: Ao efectuar a reserva, deverá pagar as taxas de aeroporto. Taxas locais: À entrada deverá pagar uma taxa de dez dólares e à saída do país, 20 dólares (sujeito a possíveis alterações). Voltagem eléctrica: A corrente é de 110-115 volts, sendo por isso necessário um transformador. Diferença horária: - 5 horas. Gorjetas: Não estão incluídas nas contas dos bares e restaurantes. Calcule entre dez e 15 por cento do valor total da compra. Segurança: Apesar da República Dominicana ser um dos países mais seguros do continente, não é demais tomar algumas medidas de precaução, que decerto tomaria para ir a qualquer das grandes cidades do Mundo. Utilize sempre o cofre de segurança do hotel para guardar o seu passaporte, dinheiro e outros artigos de valor. Para andar pelas cidades, é recomendável levar uma fotocópia do passaporte. Ande sempre só com o estritamente necessário e, em relação ao dinheiro, utilize o cartão

Partilhar Artigo

Top