República Dominicana, sol, rum e muito merengue

República Dominicana, sol, rum e muito merengue

República Dominicana, sol, rum e muito merengue

Artigo de Redação

Azul, amarelo, verde, vermelho, branco e infinitos tons deslumbrantes. A Dominicana é a república das cores, um país de inesgotáveis atracções. Descubra as praias de areias brancas e águas cristalinas, os monumentos históricos, o merengue, a culinária, os tradicionais charutos e o rum.

< >

O sol está presente quase todo o ano, criando temperaturas muito agradáveis, mas esta não é apenas uma das razões que fazem da ilha um destino imperdível. É a segunda maior ilha das Caraíbas, tendo sido descoberta, em 1492, por Cristóvão Colombo, na sua primeira viagem pelas “américas”. Nessa altura, chamou-lhe Hispaniola, transformando-a em quartel-general do império espanhol, devido à sua localização estratégica e exuberante beleza. Actualmente, a capital, Santo Domingo, é uma verdadeira jóia arquitectónica colonial, tendo sido classificada Património da Humanidade pela UNESCO, devido aos seus monumentos históricos e emblemáticos.

Além da sua importância histórica, a República Dominicana tem tudo aquilo que se espera de uma ilha tropical nas Caraíbas: muita animação e festa, no embalo do merengue, o ritmo nacional; um rum que se compara ao cubano, assim como os seus famosos charutos. As praias, essas, são belas e paradisíacas, onde apetece ficar e desfrutar das águas quentes e cristalinas.

A cultura dominicana é tão variada e colorida como o próprio país, devido às influências dos grupos étnicos que se misturaram na ilha: europeus, africanos e, em menor número, indígenas. Também as expressões artísticas, a gastronomia, o artesanato, o desporto e a religião, entre outros aspectos, formam a identidade do povo dominicano.

Santo Domingo

É uma cidade de fortes contrastes, onde convivem as grandes avenidas, com os grandes edifícios e as modernas estruturas das ruas sem asfalto, os bairros mais pobres  e a zona colonial onde se localizam alguns monumentos edificados pelos colonizadores espanhóis. Apesar de tudo, é possível observar um sentimento comum nos seus habitantes: a alegria de viver. Nas ruas, principalmente na zona da marginal, é frequente ver grupos de pessoas à volta de uma aparelhagem a dançar ao ritmo do merengue e da bachata ( um ritmo musical originário das favelas na década de 60. É considerada um híbrido do bolero (sobretudo, do bolero rítmico) com outras influências musicais, como, por exemplo, o cha-cha-cha e o tango.

< >

Guia do viajante

Onde ir

Cidade Colonial de Santo Domingo
Alcácer de Colombo
El Malecón
Museo de las Casas Reale
Palace of Fine Arts Freddy Beras-Goico
Faro a Colón
Jardim Botânico
Catedral de Santo Domingo
Fortaleza de Ozama
Parque Los Tres Ojos

Onde comer

Onde ficar

Clima

Predomina o clima tropical húmido, com uma temperatura que oscila entre os 28 e 30º C.

Documentos

Passaporte (validade mínima de seis meses).

Outras Informações

Moeda: Peso dominicano. Idioma: Espanhol Taxas de aeroporto: Ao efectuar a reserva, deverá pagar as taxas de aeroporto. Taxas locais: À entrada deverá pagar uma taxa de dez dólares e à saída do país, 20 dólares (sujeito a possíveis alterações). Voltagem eléctrica: A corrente é de 110-115 volts, sendo por isso necessário um transformador. Diferença horária: - 5 horas. Gorjetas: Não estão incluídas nas contas dos bares e restaurantes. Calcule entre dez e 15 por cento do valor total da compra. Segurança: Apesar da República Dominicana ser um dos países mais seguros do continente, não é demais tomar algumas medidas de precaução, que decerto tomaria para ir a qualquer das grandes cidades do Mundo. Utilize sempre o cofre de segurança do hotel para guardar o seu passaporte, dinheiro e outros artigos de valor. Para andar pelas cidades, é recomendável levar uma fotocópia do passaporte. Ande sempre só com o estritamente necessário e, em relação ao dinheiro, utilize o cartão

Partilhar Artigo

Top