Veneza, arte e mistério ao virar da esquina

Veneza, arte e mistério ao virar da esquina

Veneza, arte e mistério ao virar da esquina

Artigo de Redação

Considerada a porta do Oriente, no século X, Veneza era uma importante província bizantina, ponte de comércio exclusiva com o Leste. Atualmente, integra-se na região do Véneto e é ponto de visita obrigatório e verdadeiramente único na Itália moderna.

< >

Cento e vinte ilhas, separadas por numerosos canais e interligadas por mais de 400 pontes, constituem a cidade de Veneza. Toda a vida desta cidade assenta, literalmente, sobre água e os transportes são igualmente efectuados deste modo, seja usandoos vaporettos (o equivalente aos nossos autocarros, mas em versão anfíbia), barcos-táxi ou barcos particulares. As populares gôndolas são usadas sobretudo pelos turistas.

No centro histórico, com menos de 70 mil residentes permanentes, estão situadas as funções administrativas e ligadas à indústria do turismo.

O turismo é fulcral nesta região italiana, movimentando mais de 12 milhões de pessoas por ano. Para tal, contribui todo o misticismo e monumentos históricos desta antiga cidade-estado, mas também as actividades culturais presentes ao longo de todo o ano, como a Bienal de Arte, o Festival Internacional de Música Contemporânea, a Mostra de Cinema ou a programação musical do famoso Teatro La Fenice, que retomou a actividade em 2004, depois do incêndio que praticamente o destruiu em 1996.

A história de Veneza

Está intimamente ligada à da sua arte, reproduzida nos inúmeros monumentos que dão cor aos bairros que dividem a cidade, os sestieri. Os dois núcleos principais são compostos pelo complexo arquitectónico da Piazza de San Marco, o cartão de visita da cidade, e as zonas burguesas e comerciais do Rialto.

Na Piazza de San Marco, que Napoleão descreveu como “a mais elegante sala de recepções” da Europa, milhares de turistas visitam diariamente os mais importantes marcos históricos de Veneza, como a Basílica, o Palazzo Ducale, o Campanile, o Museo Correr ou a Torre dell’Orologio. Ainda nesta praça, situam-se elegantes cafés, rivalizando entre si com o serviço prestado ou as orquestras musicais que fazem as delícias dos turistas.

Ao longo da principal artéria da cidade, o Grande Canal, poderá admirar alguns dos palazzos mais famosos, como o Ca’ Vendramin-Calergi (datado de 1500), Ca’ d’Oro (1420), Ca’ Foscari (séc. XV), Mocenigo (séc. XVI), ou Dario (1487). Muitos destes palácios históricos albergam importantes museus, como o Museo Correr, na Piazza de San Marcos, que alberga uma riquíssima pinacoteca e o Museu Arqueológico; tem ainda o Ca’ Rezzonico, um museu que retrata a Veneza de 1700; o Ca’ d’Oro, com a famosa colecção Franchetti; ou o Museu de Arte Moderna em Ca’ Pesaro.

< >

Guia do viajante

Onde ir

Piazza di San Marco
Basílica di San Marco
Palazzo Ducale
Campanile
Ponte dos Suspiros
Santi Geovanni e Paolo
Burano
Torcello
Gondola Rides
Santa Maria della Salute
Rialto
Madonna Dell'Orto
Santa Maria dei Miracoli
Scuola Grande di San Rocco

Onde comer

Spritz
Caffè Florian
Cantina do Mori
Grand Canal
Vini da Gigio
Alle testiere - Poisson
Harry's Dolci
Ristorante AcquaPazza

Onde ficar

Hotel Bonvecchiati Venice
Hotel Antico Panada
Belmond Hotel Cipriani
The Gritti Palace, a Luxury Collection Hotel, Venice
Hotel IL Mercante di Venezia
Hotel Montecarlo

Clima

O clima de Veneza, como o do vale do rio Pó, tende para o regime continental, e pode ter Invernos rigorosos e Verões quentes. A chuva pode atingir o valor máximo no Verão, com tempestades.

Documentos

Documentos: Basta levar o Cartão de Cidadão e convém também levar o Cartão Europeu de Seguro de Doença.

Outras Informações

Moeda: Euro Idioma: Italiano Diferença horária: Fuso horário padrão: UTC/GMT +1 hora

Partilhar Artigo

Top