Vilnius, a cidade barata cheia de história onde o turismo de massas ainda não chegou

Vilnius, a cidade barata cheia de história onde o turismo de massas ainda não chegou

Vilnius, a cidade barata cheia de história onde o turismo de massas ainda não chegou

Artigo de André Cruz Martins

Se procura uma capital europeia sem muitos turistas, mas com inúmeros pontos de interesse históricos e locais pitorescos para visitar, Vilnius, na Lituânia, é uma boa opção. E com a vantagem de ser um destino barato. Trata-se da cidade mais populosa do país, com cerca de 600 mil habitantes. O seu centro histórico, conhecido como Cidade Velha e datado do século XVI, foi classificado Património da Humanidade pela UNESCO, em 1994.

< >

Nas últimas décadas, Vilnius tem conhecido um desenvolvimento acentuado, nomeadamente desde 1991, quando a URSS reconheceu a independência lituana. A cidade modernizou-se e muitos de seus antigos edifícios foram renovados. A melhor altura para visitar Vilnius é entre maio e setembro, pois fora destes meses o frio é intenso. Ainda assim, no verão, esteja preparado para apanhar chuva.

A cidade das igrejas

A Cidade Velha é local de passagem obrigatória para quem visita Vilnius. Com cerca de 1500 edifícios históricos, entre os quais mais de 40 igrejas, está rodeada por muralhas medievais. Quando passeamos pelo centro sentimos o pulsar da cidade nos inúmeros cafés, lojas, museus e galerias que por ali existem e que tornam Vilnius num dos mais importantes pólos culturais do leste europeu.

É fácil percorrer toda a Cidade Velha a pé, enquanto observamos exemplos de arquitectura de diferentes épocas, destacando-se os estilos Barroco e Gótico. A Igreja de São Pedro e São Paulo é um dos melhores exemplos do Barroco. É considerada uma obra-prima do Património da União Soviética e apresenta mais de duas mil figuras em estuque.

Leia ainda: Os destinos preferidos dos portugueses para passar a Páscoa estão mais baratos

Os exemplos mais conhecidos do Gótico são as igrejas de Santa Ana, São Francisco e São Bernardino. A pequena igreja de Santa Ana é por muitos considerada a mais bonita na cidade. Construída no final do século XV, destaca-se pela magnífica fachada, que se manteve quase inalterável em mais de 500 anos. Esta construção chamou a atenção de Napoleão quando atravessou Vilnius a caminho da Rússia. De tal forma que terá dito: “Se pudesse, levaria esta igreja comigo, na palma da minha mão”.

Logo atrás da bela igreja de Santa Ana encontra-se a igreja de San Bernardino. Embora à primeira vista possa parecer apenas uma, a verdade é que são duas igrejas diferentes, unidas pelo mesmo estaleiro. Não é tão famosa nem bonita como a sua “irmã” de Santa Ana, mas chama a atenção pela grande dimensão e pelas paredes lisas e brancas.

Outras atrações

A igreja de São Francisco de Assis, de muito maior dimensão, foi construída em tijolo vermelho, como muitas igrejas outras construções no Báltico. Foi incorporada às muralhas da cidade, dando-lhe um forte caráter militar e defensivo que ainda hoje podemos apreciar no seu exterior.

Para além das igrejas, há muitos outros edifícios de grande valor arquitetónico em Vilnius. Não podemos deixar de fazer referência ao Palácio dos Grãos-Duques da Lituânia, construído no século XIV para os governantes do Grão-Ducado da Lituânia. Este palácio encontra-se no Castelo inferior de Vilnius.

Outra atração imperdível são as Portas da Madrugada, que fazem jus ao nome, pois são autenticamente as portas de entrada na cidade. E se gosta de ler, não deixe de passear pela Rua da Literatura, onde podemos encontrar frases numa parede a homenagear escritores e poetas de todo o mundo.

Os mercados de rua

Entre o final da primavera e durante todo o verão, os habitantes de Vilnius têm o hábito de viver ao máximo a vida ao ar livre, aproveitando os vários mercados de rua existentes. Em todos eles podemos encontrar morangos lituanos saborosos e comida judaica tradicional, nomeadamente os Bagels, pães redondos e fofos com um furo no meio.

O Hales Turgus é o maior e mais antigo mercado e está localizado bem no centro, perto da estação de comboios. Funciona desde 1906 e aqui podemos encontrar vegetais, fruta e comida tradicional lituana, nomeadamente queijo branco caseiro, que condiz na perfeição com mel. A doçaria é deliciosa, com bolos com todos os tipos de recheios.

O Uptown Bazaar é outro mercado de rua, mas mais chique e podemos compará-lo ao Time Out Market, de Lisboa. Aqui há muitos restaurantes, cafés e bares da moda, sendo o lugar ideal para jantar ou tomar um copo.

O castelo misterioso

Embora esteja localizado a 30 km do centro de Vilnius, vale a pena fazer uma visita ao Castelo de Trakai, antiga capital do país e que se situa numa área de densas florestas. Acessível através de passadiços de madeira, este castelo é feito de tijolos vermelhos e tem uma ponte levadiça sobre um fosso.

As torres têm telhados em forma de cone e lá dentro há pátios e salas escuras que podem ser aterradores para quem acreditar em fantasmas. Datado do século XV, foi restaurado na década de 50 e alberga agora o museu do castelo. É possível alugar barcos para contornar o exterior e navegar pelo lago, enquanto se tem uma visão de sonho sobre o bosque.

Percorra a galeria e veja mais fotos de Vilnius.

< >

Partilhar Artigo

Top