página anterior
página seguinte
Paris - Eterna Cidade da Luz, do amor e da elegância

Paris nunca desilude. Cidade histórica de
França, desenhada nas margens do Sena, foi palco de
grandes revoluções que marcaram a História do Mundo. Ao mesmo
tempo guarda segredos de arte, religião, cultura, gastronomia e moda, que
só o visitante mais apaixonado consegue descobrir.
Deleite-se com a verdadeira Cidade da Luz.

As longas avenidas rodeadas de árvores, as pontes, os candeeiros de ferro, os cafés com esplanadas aquecidas, os prédios nunca demasiado altos, a Torre Eiffel iluminada, os museus e os monumentos mais conhecidos do Mundo e os crepes de chocolate na rua. Isto é Paris, mas não só. Ao mesmo tempo que tudo lhe possa parecer familiar, a cidade está em constante renovação e crescimento, ainda que de forma regulada, associada sempre a um delicado bom senso, a que se pode chamar elegância. É isso. Elegância. Nenhuma outra palavra descreve melhor a aura de Paris, sendo essa elegância que apaixona qualquer visitante, em qualquer altura do ano.

Divididos pelos 20 arrondissements – uma espécie de freguesias numeradas que se desenvolvem desde o centro até aos limites da cidade, no sentido dos ponteiros do relógio – os vários bairros de Paris mantêm as suas características, que não envergonham a personalidade elitista dos parisienses. Nem os bares mais alternativos do Marais nem a rua mais imprópria para menores, de Pigalle, deixam de ser Paris. Por outro lado, o luxo das lojas do 8.º arrondissement e o Triângulo de Ouro, os museus concentrados nos arredores do Louvre e da Torre Eiffel, a vida estudantil do histórico Quartier Latin e o novo palpitar de tendências do canal de St. Martin ajudam
a compor a vida desta cidade, com estrutura de aldeia, onde se pode encontrar desde o mais antigo túmulo egípcio ao mais recente vestido de alta costura, de Valentino.

Cidade de revoluções várias e movimentos contracultura, é conhecida pelos turistas por ser a que tem o maior número de monumentos registados, entre os quais o maior museu do Mundo e a primeira torre de ferro parecida com um arranha-céus, e por ser berço de alguns dos pintores mais ilustres da história da arte, bem como palco de alguns filmes inesquecíveis. Paris continua a ser a Cidade da Luz (que ganhou o título por ser a primeira a ter iluminação pública nas ruas), cheia de brilho e glamour. É para ser visitada com dedicação e muito amor.

As ilhas

Muitas vezes carecidas de especial atenção pela maioria dos turistas, as duas pequenas ilhas do Sena, no centro de Paris, merecem uma visita com tempo. Na Île de la Cité, por onde passa a famosa Pont Neuf, que liga a praça do Hôtel de Ville a Saint Michel, fica o centro de Paris. Sim, o centro, a partir de onde são medidas todas as distâncias de França. Habitada desde os tempos dos gauleses e depois tomada pelos romanos, esta língua de terra no rio é, hoje, o local onde está a mítica Catedral de Notre Dame. Erguida a partir de 1145, é o símbolo do gótico francês, agraciado por diversas esculturas do fim do período românico e início do gótico, ao mesmo tempo que conserva o mais importante conjunto de vitrais medievais do Mundo. Para além de visitar o interior da catedral, uma das melhores formas de a admirar é mesmo... de barco. Pelo rio Sena, passam, serenamente, os famosos bateaux mouche, que fazem percursos de cerca de 70 minutos. A viagem é saborosa e vale bem a pena. Logo ao lado da Île de la Cité fica a castiça Île de St. Louis. onde se comem os melhores gelados de Paris, na histórica gelataria Berthillon. As ruelas desta ilha, repletas de lojas pitorescas, tornam-na num pequeno retiro muito apreciado pelos parisienses.

Marais, Montmartre, Pigalle

Dos vários bairros, há, pelo menos, três que não pode deixar de visitar: o Marais fica nos arrondissements 3 e 4 e é o centro da vida alternativa da cidade, com bares e restaurantes pautados por um carácter cosmopolita e moderno, ao mesmo estilo de imensas lojas de roupa vintage ou de decoração e design. Montmartre, logo atrás da Basílica de Sacre Coeur, nos arrondissements 9 e 18, é conhecido por ser o bairro dos pintores, frequentado por grandes nomes da pintura do Séc. XX, pleno de criatividade e de lojas de antiguidades. Aqui fica o popular café, onde, no filme, trabalhava a Amélie Poulain. Também em Montmartre fica a zona de Pigalle, onde se concentram os famosos cabarets da Belle Époque, como o Moulin Rouge e onde, ainda hoje, permanecem imensas salas de teatro burlesco e sex shops. Não deixe de espreitar também o Quartier Latin, que é o bairro universitário por excelência e zona ilustre e tipicamente literária de St. Germain.

Culto da beleza

Capital e berço da moda, Paris é uma cidade bonita, cheia de pessoas elegantes, com um sentido estético naturalmente apurado, que não as deixa sair de casa de qualquer forma. Isso não significa que os parisienses estejam sempre em compras. Pelo contrário, valorizam a qualidade em detrimento da quantidade. Cidade onde nasceu a moda, como é conhecida hoje, e mãe das grandes casas de alta costura, Paris mantém o título de uma das melhores cidades de compras do Mundo. De artigos de luxo sim, mas não só. O conhecido Triângulo de Ouro, formado pelas avenidas George V, Montaigne e Champs Elysées, é onde se concentram a maior parte das casas Chanel, Dior, Louis Vuitton, Lanvin, Prada e Hermès, bem como na avenida Saint Honoré e nas avenidas circundantes da Ópera Garnier, onde ficam, por exemplo, as galerias La Fayette. Se o orçamento é outro, permita­se descobrir as lojas de criadores emergentes, vintage e outlets do Marais, da rua Étienne Marcel, rua da Alésia e Canal de St. Martin.

Museus

Por entre tanto por onde se apaixonar, não deixe de guardar umas horas (ou dias) para visitar alguns dos melhores e mais emblemáticos museus da cidade. Para o Louvre deve guardar, no mínimo, um dia inteiro. Deverá planear a visita com base nas obras que mais gostaria de ver, por entre as 35 mil que residem nestas largas galerias. Construído inicialmente como fortaleza e aumentado depois para ser a residência real, o maior museu do Mundo não para de crescer. De túmulos egípcios a estátuas gregas, passando pela famosa Mona Lisa, de Leonardo DaVinci, o Louvre tem tudo e agrada a todos. Bem diferente, mas não menos esplendoroso, é o Museu d’Orsay, que “habita” numa antiga estação de comboios de estilo art nouveau, construída pela ocasião da exposição mundial de 1900, à beira do Sena. A coleção, inundada de luz natural, é composta por grandes obras impressionistas, pós-impressionistas e de art nouveau, de nomes tão míticos como Monet, Giverny, Cézanne, Renoir, Degas, Pissarro ou Van Gogh. Por último, e num estilo ainda mais diferente, visite o Centro Nacional de Arte e Cultura George Pompidou, onde, para além da coleção permanente de arte contemporânea, poderá usufruir de uma generosa biblioteca, exposições temporárias, concertos, ciclos de cinema e várias iniciativas culturais que estão na vanguarda da arte na Europa. O edifício, por si só, é belíssimo e a visita vale a pena.

Doces sabores

Comer e beber bem é próprio dos franceses e comer bem é fazê-lo com requinte, qualidade e apresentação. Talvez a única exceção a isso sejam os maravilhosos crepes quentes com chocolate, vendidos democraticamente em qualquer esquina, ou a famosa baguette, que segue viagem na mão de um parisiense a caminho de casa. Depois, vêm os coloridos macarrons, os croissants, os vinhos, como os de Champagne, o Bourgogne ou o Bordeaux e queijos roquefort ou camembert. Sabores elegantes, muito ao estilo francês, que fazem as delícias dos apreciadores gastronómicos de todo o Mundo.

Onde ir

Notre Dame

A igreja catedral de Paris inspirou filmes e romances. Símbolo da arquitetura gótica francesa, é conhecida pelas suas rosáceas e vitrais, bem como pelas estátuas das terríveis gárgulas que “guardam” a cidade do topo do monumento.

Trocadéro

A melhor vista que pode ter para a Torre Eiffel é no alto do Trocadéro, onde fica o Palácio Chaillot. Daqui poderá ver os jardins do palácio, as fontes, o Sena, a Torre Eiffel e os jardins de Champ de Mars. Este é o melhor postal fotográfico da sua viagem.

Torre Eiffel

O clássico que não pode perder, mesmo que não queira subir aos 274 metros da terceira plataforma. Cá fora, a estrutura de ferro impressiona. Ainda assim, a vista de 360º sobre a cidade é magnífica, se subir ao cair da noite. Estará mais frio, mas haverá menos filas, e é mesmo muito bonito.

Montparnasse

Não só pelo bairro em si, mas também pelo arranha-céus de Montparnasse. Por quê? A subida ao topo da torre, com mais de 200 metros de altura, oferece-lhe uma das melhores vistas sobre o centro de Paris, com a Torre Eiffel incluída!

Arco do Triunfo

Fica no centro da maior rotunda de Paris, a Praça Charlles de Gaulle ou Etóile (estrela), que faz a ligação entre 12 avenidas da cidade. Construído em homenagem às vitórias militares de Napoleão, oferece uma excelente paisagem do alto dos seus 50 metros.

Museu do Louvre

Para visitar o maior museu do Mundo vai precisar de mais do que um dia, tendo de ir para a fila bem cedo. Enquanto espera, aprecie a vista do palácio que o detém e da enorme pirâmide de vidro que compõe a entrada.

Sacre Coeur

Para muitos, é o local mais bonito da cidade. Pela basílica de estilo romano-bizantino, pela escadaria, pela vista, pelo bairro de Montmartre que a rodeia... A subida ao Sacre Coeur é obrigatória. Pelo caminho, experimente dar uma voltinha no clássico Carroussel Belle Époque, que está no início da escadaria.

Jardim do Luxemburgo

O Jardim e o Palácio do Luxemburgo, hoje sede do Senado francês, são um dos locais preferidos dos parisienses para descansar, ler, passear ou apenas desfrutar do sol... O jardim, com vista para a fachada sul do palácio, tem um enorme largo, agradáveis flores e canteiros, cadeiras, bancos e uma esplanada.

Ópera

Também chamado de Palácio Garnier, é um edifício neobarroco belíssimo, que merece uma visita, saboreada com um café na sua varanda. É um excelente ponto de partida para algumas das melhores ruas de compras de Paris.

Praça La Concorde

Fica num dos extremos da avenida Champs Elysées e a sua forma octogonal, rodeada de edifícios, dá-lhe uma grandiosidade ímpar. Foi mandada construir em honra de Luís XV, com a devida estátua que desapareceu na Revolução Francesa. Nessa época, passou-se a chamar Praça de Revolução, local onde foi decapitado o rei Luís XVI e a mulher, Maria Antonieta. O nome que tem hoje só lhe foi atribuído 40 anos depois da revolução, quando foi colocado o enorme obelisco de granito rosa Louksor, oferecido pelo vice-rei do Egito.

Guia do Viajante

ver mapa maior

Mapa Paris

onde ficar

Pavillon Louvre Rivoli, 1Arr.

Hotel Malte Opera, 2 Arr.

Hotel Paris Rivoli, 4 Arr.

Hotel Astoria Opera, 8 Arr.

Hotel Bradford Elysees, 8 Arr.

Hotel Le 123 Elysees, 8 Arr.

Hotel Lorette Opera, 9 Arr.

Hotel Acadia Opera, 9 Arr.

Hotel Bergere Opera, 9 Arr.

Hotel George Opera, 9 Arr.

Hotel Astra Opera, 9 Arr.

Mercure Paris Terminus Nord,
10 Arr.

Crowne Plaza Paris Republique, 11 Arr.

Kyriad Hotel Paris Bercy, 12 Arr.

Best Western Bercy Rive Gauche, 13 Arr.

Novotel Paris Tour Eiffel, 15 Arr.

Best Western Hotel Elysées Bassano, 16 Arr.

Hotel Campanile Paris, 19 Arr.

Mercure La Defense 5 Hotel,

La Defense

Hotel Campanile Paris Est, Bagnolet

onde comer

Le Cinq, 8 Arr

Le Relais d’Ile,
Ile St. Louis, 4 Arr

Little Breizh, 6 Arr

Les Papilles, 5 Arr.

Taillevent, 8 Arr

Le Meurice, 1 Arr

Chez Gabrielle, 17 Arr

Le Bistrot Lorette, 9 Arr

Paul Chene, 16 Arr

Chez Marie Louise, 10 Arr.

Kura, 16 Arr

Au Petit Sud Ouest, 7 Arr

Restaurant Mariette, 7 Arr

Le Dindon en Laisse, 4 Arr

L’Atelier du Parc, 15 Arr

Le Coin du Table, 10 Arr

Guy Savoy, 17 Arr

Le Petit Bourdelais, 7 Arr

fora de Paris

Se tiver tempo e dois dias livres, perto de Paris, há, pelo menos, duas atrações que não deve perder: Versailles e Disneyland.
Património Mundial da Unesco, o Palácio, o Castelo e os Jardins de Versailles são os maiores símbolos da grandiosa monarquia francesa do Séc. XVIII. Foi a residência de várias cortes desde 1682 até à Revolução Francesa de 1789, tendo atingido o extremo do luxo e opulência nos reinados de Luís XIV, Luís XV e Luís XVI. Sedento por dispendiosas guerras e por aumentar o esplendor do seu palácio, Luís XIV esvaziou os cofres da monarquia na construção de Versailles, onde, anos mais tarde, viveu a famosa rainha Maria Antonieta, decapitada depois da Revolução juntamente com o marido, Luís XVI. Um local que surpreende pela grandiosidade e pelo cunho histórico.

Ideal para pequenos e graúdos, o parque temático da Disney oferece magia, diversão e momentos inesquecíveis. Aqui, pode conhecer pessoalmente todas as personagens Disney, viajar até à lua na Space Mountain, voar em cima do Dumbo ou perder-se no labirinto da Alice no País das Maravilhas. A Disneyland é promessa de um dia fabuloso para toda a família, com direito a variados souvenirs, presentes, doces e fotografias para mais tarde recordar.

informações

Moeda
Euro

Idioma
Francês. Contra tudo o que normalmente é dito, os franceses têm vindo a tentar falar inglês com os turistas. Ainda assim, na maioria dos sítios, se não souber um pouco de francês, não vai conseguir comunicar. Se assim é, leve um minidicionário consigo.

Documentos
Os cidadãos da União Europeia não precisam de visto para permanências inferiores a 90 dias.

Fuso horário
UTC/GMT: + 1 hora

Voltagem
220 volts

clima

O mais provável é apanhar dias com chuva (ou mesmo neve), já que esta ocorre em todos o meses do ano. As temperaturas são mais amenas na Primavera e no Verão, podendo chegar aos 25º C ou mais. No Inverno, as mínimas chegam a ser negativas, mas a média anual está entre os 5º e os 20º C.

 

Texto: Ana Catarina Alberto | Fotos: Arquivo Impala, Wiki Commons e Flickr
edição 5 a próxima viagem