“Garden Route”: 800 quilómetros com cenários deslumbrantes

“Garden Route”: 800 quilómetros com cenários deslumbrantes

“Garden Route”: 800 quilómetros com cenários deslumbrantes

Artigo de André Cruz Martins

A “Garden Route” é uma das road trips mais famosas em África, reunindo ao longo de cerca de 800 quilómetros uma impressionante diversidade de atrações. O percurso faz-se pela costa sul-ocidental da África do Sul, desde Gordon’s Bay, à saída da Cidade do Cabo, até Port Elizabeth.

Leia ainda: 10 praias onde o areal se funde na perfeição com a cidade

Há paisagens deslumbrantes, lagoas, cidades pitorescas, praias maravilhosas, montanhas, grandes parques nacionais, safaris, regiões vinícolas e boa comida. Esta road trip pode ser facilmente percorrida ao longo de três ou quatro dias e, como já se percebeu, é bastante eclética, agradando a todo o tipo de viajantes.

Veja como vai ser o novo aeroporto do Montijo

Dia 1: Gordon’s Bay – Harmanus

Um bom ponto de partida da “Garden Route” é Gordon’s Bay, localizada a 55 quilómetros da Cidade do Cabo. Trata-se de uma pequena cidade portuária com uma bela praia, conhecida por ser um dos melhores destinos no país para mergulho. Na avenida principal há uma série de excelentes restaurantes,onde é possível provar pratos locais, como pescada branca e lulas fritas.

A próxima paragem é Betty’s Bay, a 35 quilómetros. A maior atração é uma reserva natural onde vivem centenas de pinguins, mas também há outros locais que merecem uma visita, como o Jardim Botânico e as magníficas praias da zona.

De seguida, conduza mais 50 quilómetros, na direção de Hermanus, onde há muito a fazer, pelo que aconselhamos que permaneça até ao fim do dia. Há excelentes opções de alojamento, com todo o tipo de preços. Em Hermanus, pode percorrer os 12 quilómetros do trilho costeiro Cliff Path. Caso seja apreciador de vinhos, visite a quinta Hermanuspietersfontein e faça uma prova de vinhos.

Dia 2: Hermanaus – Botlierskop Private Game Reserve

Arranque bem cedo no segundo dia, na direção de Gaansbai, considerado o melhor lugar do mundo para o mergulho em jaulas com tubarões. Embora aqui habite uma grande variedade de tubarões, a espécie mais temida é o tubarão branco, atraído pela enorme população de focas que aqui vive, especialmente na vizinha Dyer Island. Há diversas empresas que realizam safaris marítimos, sendo possível observar diversas espécies de baleias e tubarões e centenas de focas. Um aviso: o mar costuma ser agitado, por isso se costuma enjoar, esta atividade não é para si.

De seguida, poderíamos sugerir que partisse em direção ao Cabo das Agulhas, o ponto mais ao sul de África. No entanto, não o vamos fazer, pois seria um longo desvio apenas para observar o farol que lá existe. Não há mais nada para fazer lá, por isso siga para o Botlierskop Private Game Reserve, um lugar super luxuoso onde poderá hospedar-se e pernoitar. Neste lugar não faltam atividades interessantes, como safari a cavalo e interação com elefantes.

Dia 3: Botlierskop Private Game Reserve – Knysna

Acorde cedo, pois terá de percorrer 200 quilómetros até ao próximo destino, a cidade de Knysna. Asseguramos que vai valer a pena e arriscamos mesmo dizer que se trata do local mais bonito da “Garden Route”. De resto, merece que gaste um dia inteiro por aqui, ou até mais, caso tiver maior disponibilidade de tempo do que este roteiro de quatro dias que sugerimos.

A cidade é protegida do Oceano Índico pelas Heads, dois monolíticos de arenito, que criam uma estreita passagem que conecta o oceano a uma lagoa. As Heads fazem jus ao nome (“Cabeças”, em Português) e dividem-se na Head do leste e na Head do Oeste. É possível chegar até ao miradouro do lado leste, onde vai ter uma vista sensacional sobre uma lagoa e sobre o Oceano Índico.

As praias de Knysna têm uma beleza indescritível, embora as águas sejam um pouco frias. A 15 quilómetros de Knysna encontra-se o Brenton on Sea, que apresenta outra paisagem de cortar a respiração. No centro da cidade, não faltam excelentes restaurantes. E se for apreciador de cerveja, desloque-se ao bar Mitchell’s, onde estão disponíveis os seis tipos de cerveja fabricados no local, sendo que cada copo tem qualquer coisa como 75ml.

Dia 4: Knysna – Jeffreys Bay

O quarto dia começa com uma visita ao Elephant Sanctuary, na baía de Plettenberg, a cerca de 50 quilómetros de Knysna. Aqui, é possível optar por uma visita ou até por passar a noite. É permitido passear em cima dos elefantes e escová-los, entre outras atividades.

De seguida, dirija-se para Jeffreys Bay, a meca do surf na África do Sul e que costuma receber o Campeonato do Mundo da modalidade. As provas já tiveram de ser interrompidas várias vezes por se terem avistado tubarões na zona. No entanto, de acordo com especialistas, esses tubarões não constituem perigo para os humanos. Perto de Jeffreys Bay fica o Intle Game Lodge, um dos melhores locais para fazer um safari na África do Sul. Chegou ao fim a “Garden Route”, mas de Jeffreys Bay pode seguir para Porth Elizabeth (a 77 quilómetros), onde há muito a descobrir e a visitar.

Percorra a galeria e veja o que pode esperar desta road trip pela “Garden Route”.

< >

Partilhar Artigo

Top