Estivemos na Feira Internacional de Turismo de Cuba (FitCuba2018)

Estivemos na Feira Internacional de Turismo de Cuba (FitCuba2018)

Estivemos na Feira Internacional de Turismo de Cuba (FitCuba2018)

Artigo de Redação

A Próxima Viagem foi convidada a estar presente na 38.ª edição da Feira Internacional de Turismo de Cuba (FitCuba 2018) que este ano decorreu em Cayo Santa Maria, Villa Clara, e descobriu um país fascinante, repleto de cores, onde o povo, principalmente as crianças, demonstra toda a sua alegria e felicidade só pela nossa passagem… pessoas acolhedoras, amáveis, doces e que têm sempre um sorriso estampado na cara.

Cuba parece um país retirado de um filme, onde tudo parece ter parado no tempo. Tudo tem um encanto especial, os detalhes, as cores, as pessoas…tudo é maravilhoso. A música e a dança estão sempre presentes nas ruas, onde músicos e dançarinos profissionais e amadores se espalham para alegrar quem passa.

Cavalos, carros vintage americanos dos anos 50 e carros mais modernos andam lado a lado pelas ruas em ruínas das suas cidades. Os edifícios e as casas de arquitetura colonialista, pintados com cores alegres e vibrantes, transportam-nos até outras épocas do passado.

De referir que esta edição da FitCuba que teve como temática central o Sol e a Praia e o Reino Unido como país convidado, realizou-se numa altura de extrema importância para o crescimento do turismo cubano, já que esta zona dos Cayos, foi altamente atingida pelo furação Irma, no passado mês de setembro. Um feira internacional que tem como objetivo principal estimular o crescimento não só do destino Villa Clara, mas também de todo o turismo cubano.

As várias delegações tiveram a possibilidade de visitar algumas das principais atrações turísticas, culturais e históricas cubanas, como as cidades de Trinidad, Remédios, Santa Clara e Havana e diversas praias do Cayo de Santa Maria, bem como de realizar um cruzeiro fluvial pelo Rio Negro na região de Topes de Collantes. Tiveram ainda a oportunidade de assistir ao lançamento de Sagua La Grande como novo destino turístico cubano.

Em 2019, ano em que comemorará os seus 500 anos, Havana será o palco da FITCuba 2019 e terá como país convidado Espanha, uma edição que será dedicada ao turismo de eventos e incentivos.

São muitos os locais a conhecer pela cinematográfica Cuba. Vamos descobri-los?

– Villa de Santa Clara
Um dos lugares mais importantes da história da Revolução Cubana

Localizada estrategicamente no centro geográfico da ilha, Villa Clara foi destino de piratas, colonizadores e revolucionários que disputavam riquezas. Os piratas foram uma dor de cabeça constante no início da colonização e a primeira cidade da província, Remédios, foi transferida duas vezes e abandonada completamente no final dos anos 1600 por um grupo de famílias que escapou para o interior em direção à atual cidade de Santa Clara.

Mais tarde, a taxa demográfica da região foi ampliada por imigrantes vindos das Ilhas Canárias, que levaram os seus conhecimentos agrícolas e a sua pronúncia alegre e ritmada do espanhol para os campos de tabaco da pitoresca região de Vuelta Arriba.

Em dezembro de 1958, Ernesto «Che» Guevara – apoiado por uma equipa de guerrilheiros – comandou a queda da cidade de Santa Clara ao descarrilar um trem blindado que carregava mais de quatrocentos soldados do governo e armamentos na direção leste. Esta vitória contribuiu decisivamente para o fim da ditadura de Fulgêncio Batista e para o consequente triunfo da Revolução Cubana.

Che Guevara não nasceu nem viveu nesta cidade, morreu nas montanhas bolivianas, mas está relacionado a Villa Clara por ter libertado da ditadura de Batista a capital Santa Clara. Ainda assim, o território entre a Sierra del Escambray e os recifes do norte de Cuba, que mistura campos perfumados de tabaco e lagos calmos, oferece muitas outras razões para ser visitado.

O que fazer na província de Villa Clara
# Conheça a história do lendário Che no Monumento Ernesto Che Guevara e no Monumento Toma del Tren Blindado, em Santa Clara.
# Compre charutos e café na Fábrica de Tabacos Constantino Pérez Carrodegua, em Santa Clara, e na cafetaria vizinha La Veguita.
# Faça caminhadas, nade e aproveite a serenidade de Embalse Hanabanilla.
# Delicie-se nas praias paradisíacas de Cayo Santa Maria.

– Museu e Memorial de Che Guevara

O Mausoléu, Museu e Memorial de Che é a grande atração da pequena cidade de Santa Clara. Do lado de fora do mausoléu fica o famoso monumento com a estátua de Che Guevara e a réplica da carta do herói da revolução cubana. Dentro do edifício, onde não é permitido tirar fotos, existe um museu que conta a história de Che, onde não faltam alguns dos seus objetos pessoais.

Este é, com certeza, um dos locais históricos mais importantes para visitar em Cuba, pois mostra-nos como este estudante de medicina da classe média argentina, que saiu do seu país para percorrer a América Latina e se emocionou tanto com a miséria do seu continente que decidiu pegar em armas para tentar ajudá-lo.

O acervo tem muitas fotos, textos e objetos históricos que pertenceram a Che e aos seus companheiros mais próximos. Aqui também estão os restos mortais e de outros guerrilheiros.

– Memorial do Trem Blindado

Este pequeno memorial feito a Che Guevara é considerado o ponto de virada na luta contra a ditadura de Fulgêncio Batista. Foi neste local que, em 1958, Che e os seus companheiros comandaram um ataque vitorioso contra um trem blindando do governo. Usando uma retroescavadora, interromperam a linha e tomaram o comboio e todo o armamento que estava a bordo.

Neste memorial, estão alguns dos vagões do trem e a retroescavadora usada no ataque. Dentro dos vagões há uma pequena exposição, com alguns dos objetos usados no ataque ao comboio.

– Cayerías del Norte
Cayos Las Brujas, Ensenachos e Santa Maria

El Pedraplén é uma estrada de 45 quilómetros construída mar adentro que permite levar os visitantes às mais populares ilhas do Arquipélago de Sabana-Camaguey (mais conhecidas por Cayerías del Norte), nomeadamente os cayos Las Brujas, Ensenachos e Santa Maria.

Cayo Santa Maria é um dos destinos mais procurados em Cuba para desfrutar do calor e do mar, uma estância de resorts «tudo incluído» com praias de areia branca, mar quente e tranquilo, onde se pode passear de barco, pescar e fazer snorkeling. A maior praia das Cayerías del Norte estende-se ao longo de 13 quilómetros da costa Norte de Cayo Santa Maria e é precisamente sobre essa praia que se encontram a maioria dos resorts.

Para entretenimento dos visitantes existem três «pueblos» em Cayo Santa Maria, três pequenas vilas construídas entre os resorts, com lojas, cafés e restaurantes, nomeadamente Pueblo Las Dunas, Pueblo La Estrela e Pueblo Las Terrazas. Outra atração do Cayo é o Delfinario, onde os visitantes podem assistir a espetáculos com golfinhos e até mergulhar com eles.

Há excursões em catamarã desde a marina de Cayo Las Brujas que incluem paragens para snorkeling e visita ao Delfinário, com espetáculo, interacção com golfinhos e almoço.

Em terra, há um autocarro panorâmico que faz um percurso várias vezes ao dia entre Villa Las Brujas e todos os hotéis de Cayo Santa Maria.

– Sagua La Grande
O novo destino turístico

Uma das grandes novidades da FitCuba 2018 foi o lançamento de Sagua La Grande como um novo destino do turismo de Cuba, com a inauguração de dois novos hotéis: Hotel Sagua e Palácio Arenas. De acordo com o ministro de Turismo de Cuba, ?Manuel Marrero Cruz, «oferece ao visitante a possibilidade de se encontrar com uma cidade com um património rico e encantador, com uma cultura, arquitetura e história que irá deleitar os turistas que chegarem a esta cidade».

Poucas cidades de Cuba reúnem tanta glória e relíquias arquitetónicas como Sagua La Grande. Une as maravilhas da sua natureza _ o rio, a vegetação e a baía _ a uma portentosa cidade edificada durante o século XIX e a primeira metade do século XX.

Fundada em 1912, foi declarada Monumento Nacional porque rompe com os estereótipos de cidade de interior, possuindo uma forte personalidade urbana.

No século XIX era uma cidade próspera: foram construídos caminhos de ferro, foi uma das primeiras cidades a ter eletricidade e aquedutos no país; toda esta prosperidade e desenvolvimento resultou num centro histórico rico em edifícios neoclássicos, ecléticos e toques de modernidade.

Mesmo com a deterioração que sofreu durante os anos, as construções desta antiga colónia espanhola continuam a ser verdadeiras relíquias. São elas o Casino Español, o Hotel Sagua e o Hotel Telégrafo, os edifícios que pertenceram ao Royal Bank of Canada, The City Bank of New York, a Villa de París e o Palacio del Conde de Casa Moré.

Como é comum em todas as praças de Cuba, no parque central de Sagua está localizada a imponente Igreja Paroquial da Purísima Concepción, e não muito longe dali a Puente del Triunfo, o Colégio dos Jesuítas com o seu sino de estilo neogótico, coroado com uma imagem de Jesus na companhia de anjos negros surpreendentes.

 

– Hotel Sagua

Inaugurado em 1925, era um dos hotéis mais luxuosos daquela época. Hoje, completamente remodelado, mantém a sua imponente arquitetura, e os seus 84 quartos estão dotados de equipamentos modernos e repletos de conforto. Localizado no centro da cidade, o seu estilo arquitetónico e os seus cinco andares resultaram num hotel esplendoroso e surpreendente.

– Palacio Arenas

Considerado como uma das sete maravilhas da arquitetura de Villa Clara, disponibiliza 11 quartos confortáveis e charmosos. Com um estilo eclético e elementos de «art nouveau», o Palacio Arenas é uma mansão que data de 1918 e é famosa pela peculiar decoração dos seus pisos, murais, madeiras, tetos baixos, bares, escadas de mármore, terraços esplendorosos, luzes coloridas…

– A Puente del Triunfo

Conhecida como a Torre Eiffel de Cuba, Sagua é das poucas cidades em que tem um rio a dividi-la em duas partes e a sua ponte em ferro é motivo de orgulho dos seus habitantes que por ali passam a pé ou de bicicleta. De referir que o movimento de embarcações por baixo das estruturas metálicas do viaduto e dos mais variados transportes, foi por muito tempo, uma atividade regular na vida desta cidade.

Remédios
Uma viagem pela época colonial

Declarado «Monumento Nacional», o seu centro histórico, colorido, alegre e muito bem conservado, está repleto de diversos exemplos em bom estado da arquitetura espanhola do século XVII.

Dentro das características da arquitetura da cidade predominam os amplos portais em forma de corredores e presença de beirais para proteger os visitantes do sol, grandes janelas com gradeamentos em ferro forjado, casas com pátios interiores e decorados com vegetação verde e tetos com decorações e pequenos detalhes.

Prestes a converter-se em poucos anos como o segundo destino de Cuba, esta cidade colonial pitoresca está a sofrer um grande desenvolvimento. É imprescindível a visita à Igreja de São João Batista, remodelada em várias ocasiões, mas conservando sempre sua estrutura original do ano 1570. Também pode visitar dois museus: o da Música e o das Parrandas Remedianas.

O Museu de Música Alejandro Garcia Caturla, nas redondezas do Parque Isabel II, destaca pelos azulejos e a coleção de manuscritos do compositor, um dos primeiros a introduzir ritmos africanos na música cubana. Coincidindo com as festas da vila, as famosas Parrandas de Remédios, terá a oportunidade de perceber de perto o senso lúdico dos cubanos.

Hanabanilla
Um lago entre montanhas

Este é o único lago artificial com características montanhosas do país, local ideal para os amantes da natureza, está localizado no município de Manicarágua, província de Villa Clara. O Hanabanilla tem um espelho de água de 14,9 quilómetros quadrados, e cerca de 40 metros de profundidade.

No idioma aborígene o seu nome significa «pequena cesta de ouro», fiel reflexo da riqueza natural da região. Ocupa o lugar outrora conhecido como Valle de la Siguanea, onde se estabeleceram emigrantes galegos, que se dedicavam principalmente ao cultivo de café.

Devido às suas características naturais e preciosa vegetação, aqui praticam-se caminhadas, pesca, turismo ecológico, atividades náuticas e observação de aves. Aqui também fica situado o hotel Hanabanilla, com uma vista fantástica sobre o Rio Negro, no qual se podem efetuar passeios de barco.

Parque Natural Topes de Collantes

Depois de atravessar o Rio Negro, ou seja, o lago Hanabanilla, está na altura de entrar na maior das aventuras. Descobrir os Topes de Collantes em camiões da Segunda Guerra Mundial, por estradas vertiginosas e com imensas curvas, entre uma densa vegetação verde. A paisagem é fantástica e as vistas são de cortar a respiração.

São muitas as sensações e as emoções que este parque desperta, uma verdadeira maravilha da natureza de todos os tempos, e perfeita para os fanáticos pelo turismo ecológico.

De referir que os Topes de Collantes se encontram no alto da montanha, na Serra do Escambray, a 25 quilómetros de Trinidad, têm um microclima especial e por isso é considerado como um importante centro turístico e de saúde. Com uma paisagem natural de 200 quilómetros quadrados está organizada em seis pequenos parques: Guanayara, Codina, Altiplano Topes de Collantes, El Cubano, El Nicho e Cayo Las Iguanas.

Trinidad
A alegria das cores vivas

Voltada para o Mar do Caribe, Trinidad é a cidade mais turística de Cuba e está localizada a 360 quilómetros de Havana. Fundada em 1514, foi um importante centro de produção de açúcar dos tempos de domínio espanhol, no Valle dos Ingenios, também considerado património da UNESCO.

Esta pérola colonial cubana foi classificada Património Mundial pela UNESCO. Pelas suas ruas vamos descobrindo cantos e recantos, lojas artesanais, praças, igrejas e os habitantes que nos acolhem e nos saúdam sem hesitar.

O primeiro local a conhecer deverá ser o Centro Histórico, passear pelas praças, visitar as igrejas, museus e casarões. Alguns dos pontos mais conhecidos são: a Igreja da Santíssima Trindade, Museu Municipal de História, Casa Rafael Ortiz, Plaza Mayor, Igreja do Espírito Santo, Convento São Francisco de Assis, Parque Central Cespedes, o Museu Nacional de la Lucha Contra Bandidos e a Taberna La Canchánchara, o melhor lugar para descansar e beber um rum com mel. Porém, o verdadeiro símbolo da cidade é a Torre do Palácio Iznaga, atualmente sede do Museu de Arquitetura.

Havana
A cidade que parece um filme!

Para conhecer bem a cidade, o ideal é passear a pé, especialmente a zona de Havana Vieja. Pode também optar por fazer um tour de cerca de duas horas num autocarro turístico panorâmico ou apanhar um táxi.

Na cidade distinguem-se duas zonas principais e bem demarcadas: a Havana Velha e a Moderna. Na primeira está o centro histórico da capital, possui um notável conjunto arquitetónico colonial e nela se destacam: A Plaza de las Armas, o Museu da Cidade e a Plaza de la Catedral.

Ao fim da tarde, não perca o pôr-do-sol desde o Malecón, a varanda de Havana sobre o mar. Quando o dia acaba, pode receber a noite ao som dos canhões que todos os dias às 21 horas se realiza na Fortaleza de San Carlos.

Havana representa a verdadeira essência do país, é uma cidade com muita vida noturna, que vive ao ritmo da música latina. Se gosta deste ritmo, aprenda a dançar o mambo, o bolero, a salsa e o chachachá num dos muitos bares espalhados pela cidade.

Uma cidade nostálgica que resiste ao passar do tempo, uma das mais bonitas do Mundo e o melhor conjunto monumental colonial da América Central, reconhecido como Património da Humanidade. As fachadas coloridas das suas casas e a melancolia de alguns dos seus recantos exercem tal atração sobre os seus visitantes que se pode falar de autêntico feitiço.

Com um clima invejável, Havana parece que nos convida permanentemente a gozar a vida, enche-nos de História, ritmo e imensa cor.

Passear pelas suas ruas é ter encontros frequentes com fachadas deslumbrantes e pinturas personalizadas com cores e temas diversificados, com os «clássicos» carros americanos vintage dos anos 50 que dão mais colorido e vida a esta magnífica cidade.

Não saia de Havana sem….
# Passear pelo Malecón para reviver épocas passadas da história de Cuba, desfrutar daquele ambiente, ver passar as suas gentes e apreciar o pôr-do-sol.
# Percorrer Havana Vieja pelas suas ruas e vielas empedradas.
# Visitar a Bodeguita del Médio (e beber um mojito) e pela Plaza de la Catedral, ouvindo algum grupo musical.
# Contemplar a cidade a partir da Fortaleza del Morro.
# Tomar um daiquiri na Floridita, beber uma cuba libre no Habana Club (Museu do Rum ), visitar o Passeio do Prado, a antiga casa de Galicia (Teatro García Lorca), o Capitólio, tomar uma cerveja no Hotel Inglaterra e visitar o seu pátio andaluz.
# Visitar a Plaza de la Revolución.
# Passar uns bons momentos no Cabaret Tropicana ou almoçar ou jantar no restaurante La Guarida, que fica num antigo palacete e frequentado por muitos famosos, como Beyonce, Rainha Sofia de Espanha, Rhianna, entre outros.
# Provar a gastronomia típica (comida crioula, misturada com a espanhola, a africana e a verdadeiramente caribenha e conhecer uma realidade diferente).
# Assistir à cerimónia dos canhões na Fortaleza La Cabaña, às nove horas da noite.
# Visitar o Cristo de Havana através do ferry que cruza a baía.
# Visitar o Hotel Nacional. É um autêntico museu, onde se alojaram americanos de todo tipo antes da chegada de Fidel Castro. Tem um bar com as fotos de todos os que se hospedaram ali, artistas e gente famosa de Espanha.
# Visitar o Museo de la Revolución.
# Percorrer as ruas e os passeios intermináveis do Cementerio de Colón, uma verdadeira joia.
# Provar os sorvetes cubanos supercremosos e saborosos.

Informações úteis:

Segurança: Sabia que Cuba é um dos países mais seguros do mundo para viajar? Aqui o crime é quase inexistente. Claro que não deve andar com dinheiro à mostra e ter atenção aos seus bens pessoais quando circula pelos locais mais movimentados.

Dinheiro: Moeda: Peso Cubano e Peso Convertível (CUC). Há duas moedas a circular em simultâneo no território – os pesos cubanos (CUP), também chamada de Moneda Nacional, e o Peso Convertível, e é esta última que está acessível aos visitantes. Os Pesos Convertíveis só podem ser comprados em território cubano em câmbio de euros, libras, dólares canadianos ou francos suíços.

Documentos: Passaporte (validade mínima de seis meses) e visto obrigatório. .

Idioma: Espanhol

Diferença horária: – 5 horas.

Gorjetas: Não estão incluídas no serviço de bares e restaurantes. Deverá calcular cerca de 10 por cento sobre o valor total da conta. É costume dar-se gorjeta aos bagageiros e ao pessoal de serviço do hotel.

Clima: Subtropical, quente e húmido. A temperatura média varia entre os 26° e os 30° C. A estação das chuvas tem início em Maio e prolonga-se até Outubro.

Vestuário: Leve roupas leves e frescas. Os óculos de sol e os protetores solares são indispensáveis, já que o sol é muito intenso.

Gastronomia: Embora limitada aos recursos naturais do país, é muito rica, através da cozinha crioula uma mistura de sabores cuja origem está na mestiçagem de ingredientes e formas de cozinhar próprias trazidas de Espanha, África e Antilhas, através dos escravos Africanos e dos Conquistadores Espanhóis.

A culinária tem como base a carne de porco e o frango, cozinhados de forma variada e bem temperados. Poderá saborear bons mariscos como camarões e lagosta.

Bebidas: Cuba é o paraíso dos cocktails. Os afamados mojitos, daiquiris y piña colada são as bebidas mais consumidas. O rei das bebidas alcoólicas é o rum,uma bebida nacional que atingiu fama mundial. A marca mais conhecida é a Havana Club.

Texto e fotos: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt)
Agradecimentos: Ministério de Turismo de Cuba;
Oficina de Turismo de Cuba em Madrid;
Turismo de Cuba (www.cuba.travel);
Embaixada de Cuba em Portugal;
Grupo de Turismo Gaviota (www.gaviota-grupo.com)

Partilhar Artigo

Top