Equador, o país das maravilhosas ilhas Galápagos, dos vulcões e da capital Património da Humanidade

Equador, o país das maravilhosas ilhas Galápagos, dos vulcões e da capital Património da Humanidade

Equador, o país das maravilhosas ilhas Galápagos, dos vulcões e da capital Património da Humanidade

Artigo de Redação

As maravilhosas ilhas Galápagos são a atração mais conhecida no Equador, mas este pequeno país na América do Sul tem muitos mais motivos de interesse. Para além de ser o país onde passa a linha imaginária que divide o mundo em dois, tem em Quito uma capital muito interessante. Cidade com um centro histórico que é Património Mundial da Humanidade.

O Equador destaca-se ainda pelo elevado número de vulcões, sendo que cinco localizam-se nas imediações da capital. Parta à descoberta de um destino muito interessante, ainda longe dos holofotes, o que o torna ainda mais apetecível.

A Catedral Metropolitana e o Palácio de Carondelet

Quito é a capital do Equador. Localizada nos Andes, a 2850 metros de altitude, destaca-se pelo seu muito bem preservado centro histórico que mistura influências indígenas e europeias. Foi declarado Património Mundial da Humanidade pela UNESCO em 1978 e tem muitos edifícios em estilo colonial.

No centro histórico, todos os caminhos vão dar à Plaza de la Independencia, também conhecida como Plaza Grande. É lá que ficam dois edifícios majestosos, a Catedral Metropolitana de Quito e o Palácio de Carondelet.

Leia também: Tudo o que precisa de saber sobre Udaipur, a cidade indiana que é a “Veneza do Oriente”

A Catedral Metropolitana foi construída no século XVI e combina vários estilos arquitetónicos, nomeadamente o mourisco, o barroco e o neoclássico. No seu interior, destaca-se o magnífico altar em ouro.

O Palácio de Carondelet é residência oficial do presidente do Equador e a sede do governo do país. Uma vasta área do edifício está aberto ao público, que pode visitar os vários imponentes salões do seu interior e conhecer mais sobre os antigos presidentes equatorianos.

Mais igrejas, a rua mais animada e o morro Cruz Loma

Ainda na Plaza de la Independencia, está o Monumento à Independência, que homenageia a conquista de 1809. Mesmo ao lado, fica a Catedral Primada de Quito, que mistura elementos barrocos, árabes e neogóticos. É possível subir à cúpula – desde que não tenha medo do escuro e de corredores muito estreitos – e desfrutar de uma das melhores vistas da capital, com panorâmica dos vulcões que rodeiam a cidade.

Numa rua próxima fica a Plaza de São Francisco, onde se estabeleceu a primeira área comercial da cidade. Nesta praça destaca-se mais uma igreja católica, de São Francisco, a mais antiga de Quito. Com estrutura imponente, tem no seu interior uma imagem da Virgem de Quito.

Falemos agora de La Ronda, possivelmente a rua do centro histórico mais animada de Quito. Existem lojas de artesanato, cafés e restaurantes com esplanada. Quando o tempo o permite, algo que acontece com grande frequência, está repleta.

Os vulcões nos arredores de Quito

Há 64 vulcões no território do Equador. Cinco deles encontram-se num raio de 60 quilómetros nos arredores de Quito. Isto porque a capital encontra-se em plena Avenida dos Vulcões, como é chamado um extenso vale que corta o país de norte a sul, ladeado pelos Andes.

O vulcão mais conhecido é o Cotopaxi, com 5897 metros de altitude. Trata-se do segundo vulcão ativo mais alto do mundo e o seu pico está sempre coberto de neve. Hoje em dia, não é possível subir até ao topo, mas é permitido chegar até a um parque nacional nas suas imediações. Aqui realizam-se trilhos e anda-se a cavalo.

Leia ainda: Chernobyl: do maior acidente nuclear da história até ao “boom” do turismo

Outro vulcão muito famoso é o Cotacachi, que tem uma lagoa dentro da sua caldeira, a Laguna Cuicocha. Esta lagoa encontra-se 3068 metros acima do nível do mar. E foi formada pela água da chuva e do degelo do próprio vulcão desde sua última erupção, há centenas de anos. Há duas pequenas ilhas no meio que podem ser alcançadas de barco. O caminho até à entrada da lagoa pode ser feito de carro.

Já o vulcão Quilotoa tem um fantástico lago na sua cratera, sendo possível descer até a margem. O vulcão Antisana possui uma altitude de 5.704 metros, enquanto o Pichincha é uma elevação formada por vários picos, entre os quais dois vulcões, chamados Rucu e Guagua. Se utilizar o teleférico de Quito, irá atingir os 4100 metros de altitude, mas até é possível fazer trilhos até ao topo do Rucu (4696 metros) e do Guagua (4776 metros). Tem de ir com guia e o caminho demora entre oito a dez horas.

Galápagos, uma ilha com incrível diversidade de espécies

Se adora animais e estar em contacto com espécies no seu habitat natural, uma das suas viagens de sonho será às ilhas Galápagos, Património Mundial da Humanidade desde 1978. As Ilhas Galápagos são uma província do Equador e formam um pequeno arquipélago no Oceano Pacífico. São 13 ilhas remotas e isoladas, a cerca de 1000 km da costa da América do Sul, num total de 50.000 km2.

As Galápagos são mundialmente reconhecidos pela incrível diversidade de espécies de animais. Destacam-se as tartarugas gigantes, os leões marinhos, as iguanas marinhas e inúmeras espécies de pássaros. A paisagem das ilhas é estéril e vulcânica. Mas com uma extraordinária beleza. A sua montanha mais alta é o Volcán Wolf, na Isla Isabela, com 1707 m de altura.

As melhores atrações das Galápagos

O Centro de Pesquisa Charles Darwin, localizado na Ilha de Santa Cruz é um local onde os visitantes podem acompanhar o programa de reprodução em cativeiro e de reintrodução dessas espécies nas ilhas. O biólogo e naturalista Charles Darwin esteve nestas ilhas de 15 de setembro de 1835 e 20 de outubro do mesmo ano. As observações de plantas e de animais que realizou foram essenciais para a sua Teoria da Evolução da Origem das Espécies.

A Rocha Pináculo é outra atração bastante conhecida, encontrando-se no meio do Oceano. É possível fazer visitas de barco ao local e fazer mergulho com leões marinhos e pinguins.

Leia também: Sugestões para umas férias perfeitas em São Tomé e Príncipe

As praias de areia vermelha de Rábida são conhecidas pelas centenas de leões-marinhos que lá descansam ao sol. Já a ilha de Bartolomé, no centro do arquipélago, é essencialmente conhecida pelo vulcão, do cimo do qual é possível vislumbrar uma paisagem fantástica.

A ilha de Isabela é a maior ilha das Galápagos e tem cinco vulcões, entre os quais avulta o Sierra Negra. Destaque ainda para as inúmeras tartarugas-gigantes no seu habitat natural em Urbina Bay.

Percorra a galeria e veja mais fotos do Equador.

Fotos: D.R.

< >

Partilhar Artigo

Top