Berlenga, a bonita ilha isolada do mundo onde quem manda são as gaivotas

Berlenga, a bonita ilha isolada do mundo onde quem manda são as gaivotas

Berlenga, a bonita ilha isolada do mundo onde quem manda são as gaivotas

Artigo de André Cruz Martins

O arquipélago das Berlengas, composto por três ilhas graníticas, fica a apenas 8 quilómetros do Cabo Carvoeiro e próximo de Peniche. Foi declarado Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO e divide as opiniões de quem o visita. Concretamente, da Berlenga, a única ilha habitável. Há quem adore as águas transparentes, a proximidade das gaivotas e a falta de serviços existentes, quase como se estivéssemos numa ilha deserta. Mas há quem não queira repetir a experiência, dado o barulho infernal das gaivotas, o facto de não haver sombras (só há uma árvore na ilha) e a tal ausência de serviços.

Nada como lá ir para tirar as dúvidas. Para chegar à Berlenga, tem de apanhar um barco na Marina de Peniche. Existem embarcações de vários operadores que para além de fazerem a viagem em direção à ilha proporcionam aos visitantes atividades como visita a grutas, mergulho e canoagem. Ou ainda percursos pedestres e observação de aves. A viagem até à ilha dura cerca de meia-hora, havendo várias por dia, sendo o tempo de permanência na Berlenga variável.

Três possibilidades de alojamento

As Berlengas são uma Reserva Natural da Biosfera e por isso a oferta de serviços é muito limitada, de modo a preservar o meio ambiente. Deve, por isso, viajar com mantimentos e roupa quente, especialmente se for acampar. A temperatura muito raramente é elevada e com o aproximar do final de tarde pode ficar bastante frio, mesmo no verão.

Leia ainda: Aljezur e Odeceixe, os destinos da Costa Vicentina para quem não gosta de multidões

Berlenga é uma ilha de pequenas dimensões, com 1,5 quilómetros de comprimento e 800 metros de largura. A água do mar é super limpa, assumindo vários tons, com destaque para o verde-esmeralda e para o azul-turquesa. Existem três possibilidades de alojamento nas Berlengas: o Forte de S. João Batista, o Berlenga Bed & Breakfast e a área de campismo.

O Bairro dos Pescadores

Depois da chegada ao cais, surge o pequeníssimo Bairro dos Pescadores, com apenas 30 casas. É aqui que fica o único café/restaurante, uma pensão, casas de banho e um mercado. Existem dois caminhos demarcados a partir do Bairro dos Pescadores, ambos com cerca de 1 quilómetro de extensão, durando cerca de uma hora a percorrer, em velocidade moderada: o Trilho da Berlenga e o Trilho Ilha Velha.

Pontos de interesse

O ponto mais alto na Berlenga é o seu farol. Entrou em funcionamento em 1842 e está instalado numa torre com 29 metros de altura. Trabalha a energia solar desde o início do ano 2000. Perto do farol fica o Forte de São João Baptista, uma notável fortificação do século XVIII.

Veja também: 10 praias onde o areal se funde na perfeição com a cidade

Como já foi referido, é possível ficar alojado neste local, mas sem qualquer tipo de luxo: deixa de haver luz a partir da meia-hora, tomar banho só com água fria e não existe qualquer hipótese de pedir algum tipo de comida. A Praia do Carreiro do Mosteiro é a única na ilha. De pequenas dimensões, destaca-se pela água muito límpida, ideal para mergulhos refrescantes.

Percorra a galeria e conheça os locais a visitar na Berlenga.

< >

Partilhar Artigo

Top