Cidade do Cabo, o destino africano que respira multiculturalismo

Cidade do Cabo, o destino africano que respira multiculturalismo

Cidade do Cabo, o destino africano que respira multiculturalismo

Artigo de Redação

África é África, distingue-se pelo cheiro e pela cor. Ainda assim, a Cidade do Cabo é muito mais do que uma paragem intermédia. Surpreende os visitantes pelo seu jeito cosmopolita, pelos contrastes culturais e multirraciais, marcado pelo clima por uma beleza natural ímpar, características que fazem dela um dos dez destinos mundiais mais cobiçados. Capital administrativa da África do Sul – onde está sediado o Parlamento Nacional – é a mais antiga da região sul do continente, estando próxima do cabo da Boa Esperança, na confluência dos oceanos Atlântico e Índico.

Situada na costa da Baía de Table, junto ao monte homónimo, Cape Town – nome original – foi fundada em 1652 pela Companhia Holandesa das Índias Orientais, através de Jan van Riebeeck e, em 1806, ocupada pelos ingleses. Em 1848, as questões raciais mancharam a história do país devido à adoção da ideologia da segregação social, que promovia a exclusão dos negros: o apartheid.

A luta contra o racismo penalizou diversos líderes que combateram os seus ideais, entre os quais se destaca o exemplo de Nelson Mandela, cativo em Robben Island ao longo de 27 anos. O seu primeiro discurso, após recuperar a liberdade, teve lugar no edifício da câmara, em 1990.

Cidade do Cabo é um importante centro industrial e comercial

A Cidade do Cabo é um importante centro industrial e comercial, acolhendo diversas refinarias de petróleo, empresas de curtumes, têxteis e de produção de automóveis. Além disso, possui um dos principais portos do país – com estaleiros – e detém uma forte produção vinícola. A par destas infraestruturas, é incontornável a grande aposta no sector do turismo, um dos que apresenta maior rendimento.

Sugerimos que faça uma paragem no Greenmarket Square, um dos mercados apreciado pelos turistas, e visite Long Street, a rua mais movimentada da cidade, ao longo da qual, porta sim, porta não, poderá entrar em restaurantes, bares, antiquários, lojas de conveniência ou de roupas em segunda mão. A oferta é variada, sendo difícil não ceder ao consumo. Com o pôr do sol, esta zona não se esconde na penumbra e marca pontos pela agitada vida noturna que a caracteriza.

Os principais museus e lugares históricos concentram-se no centro da cidade, a par de edifícios altos e modernos, muito ao estilo europeu, onde operam diversas empresas. As diferenças arquitetónicas das estruturas são visíveis a olho nu, convivendo harmoniosamente entre si. No entanto, ninguém fica indiferente às construções tipicamente vitorianas – com varandas em ferro forjado –, herança da colonização holandesa e inglesa. Esta faceta multicultural encontra-se bem patente na cidade.

Museus e lugares históricos concentram-se no centro da cidade

Hoje, aos ex-colonos, juntam-se muçulmanos, judeus, brancos e negros, originando uma comunidade local que, no fundo, defende os seus costumes e valores sem quaisquer preconceitos. A grande atração turística é Table Mountain, com uma vista fantástica sobre a malha urbana. Pontos como Victoria & Alfred Waterfront, Castle Good Hope, Robben Island e as extensas praias, ideais para a prática de surf, estão também no top das preferências dos visitantes.

< >

Guia do viajante

Onde ir

Table Mountain
Cabo da Boa Esperança
Boulders Beach
Kirstenbosch National Botanical Gardens
Victoria & Alfred Waterfront
Robben Island Museam
Bo Kaap
South African Museum e Planetarium
District Six Museum
Castle Good Hope
Groot Constantia
Greenmarket Square

Onde comer

La Colombe
Two Oceans Restaurant
Catharina’s The Restaurant at Steenberg
The Showroom
África Café
Jardine Shines Jardine

Onde ficar

Hotel St. George
Mandela Rhodes Place Hotel & Spa
Belmond Mount Nelson Hotel
The Westin Cape Town
Hotel The Table Bay
Cape Town Ritz Hotel
ONOMO Hotels Inn on the Square
The Rockwell All Suite Hotel
Place On The Bay
Parliament Hotel

Clima

As regiões do norte apresentam temperaturas amenas nos meses de inverno (20º/23º C), sendo ideais para safaris. A sul, e apesar dos aguaceiros que ocorrem durante o verão, o termómetro pode atingir os 28º/30º C. No entanto, a África do Sul é um país a visitar ao longo de todo o ano.

Documentos

Passaporte com validade mínima de seis meses. É necessário visto de entrada no país, obtido gratuitamente à chegada ao aeroporto.

Outras Informações

Moeda A moeda local é o rand sul-africano. Idioma O inglês é a língua oficial, mas o afrikaans e o xhosa também são habituais. Fuso horário Na costa leste: + 01h00 (Abril a Outubro); + 02h00 (Novembro a Março). Eletricidade 220/230 volts; 50 Hz.

Partilhar Artigo

Top