A lenda do Drácula e muito mais para conhecer na misteriosa Transilvânia

A lenda do Drácula e muito mais para conhecer na misteriosa Transilvânia

A lenda do Drácula e muito mais para conhecer na misteriosa Transilvânia

Artigo de André Cruz Martins

A Transilvânia é automaticamente associada à célebre lenda do Drácula, mas há muito mais para ver e experienciar nesta região romena. Localizada no centro-oeste da Roménia, a 270 quilómetros da capital Bucareste, destaca-se pelos castelos medievais majestosos. E pela beleza de Sighisoara, uma pitoresca cidade medieval que nos vai fazer recuar alguns séculos. Saiba o que fazer nesta zona cheia de mistério e em que algumas das principais atrações são pouco propícias a pessoas facilmente impressionáveis.

O castelo do Drácula

Não poderíamos deixar de começar por fazer referência à lenda do Drácula, afinal de contas ainda e sempre o principal chamariz para o turismo nesta zona. O Conde Drácula é uma personagem fictícia que dá título ao livro de Bram Stoker, escrito em 1897. Reza a lenda que este vampiro, que na verdade era o príncipe Vlad Tepes, viveu no Castelo de Bran, localizado nos arredores da cidade de Brasov. No entanto, subsistem algumas dúvidas que isso tenha mesmo acontecido.

Leia ainda: Estes são os 20 hotéis mais luxuosos do mundo

Verdade ou não, essa ideia é vendida aos turistas e sem dúvida que o castelo é uma impressionante fortaleza medieval que merece ser visitada. Para chegar até lá, é preciso subir uma longa escadaria no meio da floresta. O nevoeiro que muitas vezes assola o lugar aumenta a sensação de mistério e temor. Esta fortaleza beneficiava de uma localização estratégica, na fronteira da Transilvânia com a Valáquia.

Foi mencionada pela primeira vez no século XIV, mas é provável que já existisse no local uma construção mais antiga.Atualmente, o castelo alberga um museu aberto ao público, exibindo peças de arte e mobiliário colecionados pela Rainha Maria da Roménia (1870-1894). Existem ainda antigas armas e armaduras e uma escadaria secreta, por trás de uma lareira, que liga o primeiro ao terceiro andar. Os turistas têm à sua disposição visitas guiadas.

Castelo de Peles, “o mini Palácio de Versalhes”

O Castelo de Peles, em Sinaia, no sopé das montanhas Bucegi, é outra construção majestosa bastante interessante. Já esteve em várias listas dos castelos mais bonitos da Europa e pode mesmo dizer-se que se trata de uma versão modesta do magnífico Palácio de Versalhes. Tudo devido ao luxo que se respira em cada recanto.

Este lugar foi mandado erigir pelo Rei Carol I, tendo a sua construção durado dez anos, entre 1873 e 1883. Serviu de residência oficial de verão da família real até 1947 e também como alojamento de líderes estrangeiros que visitavam a Roménia. E destacou-se por ter sido o primeiro castelo europeu totalmente iluminado por eletricidade, que era produzida por um gerador próprio. O luxo abunda nas 160 salas do Castelo de Pepes, com chandeliers de cristal, esculturas em madeira, pinturas no teto, tapeçaria riquíssima e móveis caríssimos.

A cidade medieval de Sighisoara

Sighisoara, pequena cidade do distrito de Mures onde nasceu Vlad Tepes, é uma bela cidade medieval. Tem importantes monumentos históricos, entre os quais a Torre do Relógio. Foi construída no século XIV como uma torre de portões para guardar a entrada na cidadela. No início, havia apenas rés-do-chão e dois andares, mas no século XVI foram acrescentados dois andares, uma varanda e um telhado. O nome deste monumento deve-se ao impressionante relógio na parte de cima.

Veja também: Bruxelas, Meca do estilo, arte e design

Na cave da Torre do Relógio encontra-se o Museu da Tortura, mas não visite este local se for uma pessoa que se impressiona facilmente. Isto porque na sua cave encontra-se a sinistra Câmara de Tortura, onde eram desmembradas as pessoas condenadas por bruxaria. A atmosfera criada dá bastante medo, garantem muitas pessoas que por lá passaram.

Mesmo em frente à Torre do Relógio fica a casa onde Vlad Dracul nasceu. Já foi um museu mas hoje em dia é apenas um restaurante. Ainda assim, não faltam referências ao Conde Drácula no local, como diversas pinturas nas paredes. No primeiro andar, há dois grandes salões reservados para festas.
Neste restaurante, vai poder provar pratos típicos da Transilvânia. O que nos leva à próxima “paragem” nesta viagem: quais são os melhores pratos da região?

A gastronomia

A Transilvânia é a terra das sopas. Ciorba é o nome dado a todos os tipos de sopas feita com carnes e/ou vegetais. Muitas vezes, é um prato tão generoso que não é necessário comer mais nada à refeição. A Ciorba mais tradicional é a Fasole, feita com feijão e carne. Muitas vezes é servida dentro de um pão.

O Sarmale é um prato de carne de porco moída e arroz com ervas, e a mistura é enrolada numa folha de repolho. Já a Tochitura é um guisado feito com carne de porco, fígado, rim, coração, bacon e salsicha. É servido com queijo feito com leite de ovelha ou com queijo curado. O doce mais conhecido é o Papanasi, um pequeno bolo frito feito com farinha, creme azedo e geleia.

Percorra a galeria e veja algumas fotos da Transilvânia.

  • A lenda do Drácula e muito mais para conhecer na misteriosa Transilvânia
  • A lenda do Drácula e muito mais para conhecer na misteriosa Transilvânia
  • A lenda do Drácula e muito mais para conhecer na misteriosa Transilvânia
  • A lenda do Drácula e muito mais para conhecer na misteriosa Transilvânia
  • A lenda do Drácula e muito mais para conhecer na misteriosa Transilvânia
  • A lenda do Drácula e muito mais para conhecer na misteriosa Transilvânia
  • A lenda do Drácula e muito mais para conhecer na misteriosa Transilvânia
< >

Partilhar Artigo

Top